Arquivo para Sarney renuncia - Daniele Barreto
26
junho
2014
Coluna “Política à Flor da Pele”: Sarney anuncia que não será candidato a Senador

Olá, amigos, bom dia!!!

Hoje teremos a coluna “Política à Flor da Pele”. Leia abaixo ou nos sites e jornais parceiros.

Sarney anuncia que não será candidato ao Senado

Na segunda-feira (23), em meio ao foguetório pela vitória do Brasil, mais uma notícia virou motivo de comemoração e não passou despercebida no meio político: o anúncio da aposentadoria do senador e ex-presidente da República José Sarney.

Sarney está na vida pública há mais de 60 anos. Além de presidente da República, foi governador do Maranhão, Senador pelo Maranhão e Senador pelo Amapá, cargo que ocupa atualmente. No conjunto do mais de um século que está na política, o cacique peemedebista é, sem dúvidas, o político mais influente da história do país. Esteve ao lado de todos os Presidente da República nas últimas duas décadas, tendo grande espaço e poder tanto no governo petista quanto no tucano; e fez curvar diante de si até Lula, que tanto o criticou. O ex-presidente petista, por exemplo, mesmo tendo sido grande opositor e crítico de Sarney, quando alcançou a Presidência da República logo tratou de compor com o maranhense para conseguir apoio no Congresso Nacional. Conseguiu apoio de Sarney em seus anos de Presidência, deixou Sarney de herança para Dilma, mas com isso perdeu o respeito de muita gente que consideram o peemedebista uma das figuras mais nefastas da política brasileira.

Mas ao mesmo tempo que o prestígio de Sarney é amplo nos bastidores do Congresso Nacional e Palácio do Planalto, antagonicamente, ele sofre forte desgaste no Maranhão e Amapá. E esse é o motivo principal de sua não candidatura ao Senado.

Mas a não candidatura não representa uma saída dele da política. O cacique tem tentáculos em governos, ministérios e continuará com muito poder e voz de comendo no Maranhão, no Amapá e na parcela do governo federal que o coube com o loteamento que Dilma fez entre os partidos aliados.

Um homem poderoso como Sarney só saí da política ou morto ou para evitar um vexame eleitoral. E embora seu poderio perdure certamente até o fim dos seus dias, essa saída simboliza uma mudança na mentalidade de país, porque o grande temor de Sarney nas Eleições 2014 é um vexame eleitoral. Há 24 anos no cargo de Senador, ele enfrenta problemas de popularidade no Amapá e foi vaiado nesta segunda-feira passada, ao participar de evento em Macapá ao lado de Dilma. Também se inquieta pela falta de apoio no Estado.

O PMDB tem tentado o cacique voltar atrás, mas sabe que uma decisão como essa é embasada em muitas pesquisas de opinião pública e, se Sarney anunciou publicamente a aposentadoria, é porque não dá para mais para ele. Com certeza, ele sabe que não há qualquer hipótese de vitória, caso contrário, permaneceria na disputa e tentaria a todo custo, como sempre fez, manter a sua vaga por mais oito anos.

Daniele Barreto é advogada, consultora política, colunista e escreve no blog www.danielebarreto.com.br.

Siga-nos nas redes sociais: FacebookFanPageTwitter e Instagram.