Arquivo para Política no Brasil - Daniele Barreto
03
janeiro
2017
Vou parar de falar de política?

Opa meninas e meninos! Tudo certinho com vocês?

Tenho refletido sobre o conteúdo e produção no canal do youtube e insatisfeita com apenas comentar as pautas políticas da grande imprensa com vocês. Política é mais do que isso! O canal não fluiu no segundo semestre de 2016 e percebi que é o momento de mudanças – até porque a minha vida está mudando muito, tenho novas vontades, desejos de estudar novos assuntos, e estou mudando de cidade; então, nada mais justo do que trazer vocês nessa jornada interior (e que se manifesta em muitas decisões pessoais e profissionais), para nos conhecermos mais: juntos! Política é nossa relação com o próximo, com o meio ambiente, com as compras conscientes, com os alimentos que ingerimos… Sou extremamente grata a cada um de vocês, leitores, e em 2017 vou apresentar um conteúdo diferente e dar o melhor de mim para vocês.

Espero contar com cada um de vocês nessa jornada. Beijão e até daqui a pouco na próxima postagem.


01
fevereiro
2016
Vídeo: Colapso do Lulismo

Bom dia, pessoal, tudo bem?

Semana de Carnaval mas a gente não tira os olhos da folia momesca política, né? E nós já vamos começar a semana lançando quadro novo aqui no blog e no canal do Youtube (amamos uma novidade)!

Eu já vinha conversando com vocês que um dos nossos objetivos nesse ano de 2016 é gravar mais vídeos e acompanhar mais de perto o cenário político. Tenho muitas muitas muitas ideias de postagens e quadros para nosso canal do Youtube, mas a falta de tempo e correria me impedem de gravar na quantidade e disciplina que eu gostaria. Confesso! Mas mudei isso: e a partir de agora o blog/Youtube são prioridade absoluta e teremos muitas novidades.

E nesta segunda-feira linda ensolarada em Salvador, venho anunciar a reformulação do blog e alguns dos novos quadros que teremos. E a primeira mudança é que todo dia às 7h da manhã teremos o quadro “ACORDA PRA POLÍTICA“, com vídeo no qual vou ler e comentar alguma notícia de jornal, revista ou site.

Vou explicar melhor para vocês: tenho por hábito acordar e cochilar mais um pouquinho já pegar uma revista ou jornal e tomar café da manhã lendo. Vou marcando as páginas das matérias que preciso ler e uso esse horário cedinho especialmente para isso! <3 Então, nada melhor do que dividir esse momento com vocês. Em 2016, uma das minhas metas é (além de emagrecer hahaha)me aproximar mais das pessoas que acompanham minhas redes sociais e blog; e que assistem os vídeos, comentam, compartilham, interagem… E resolvi que nada melhor do que já acordarmos juntos, lendo matérias e nos preparando para um dia de trabalho, estudo e política.

A partir de hoje, o ACORDA PRA POLÍTICA será nosso ponto de encontro às 7h da amanhã. Serão vídeos curtos, de uns 6 a 10 minutos, e vou publicar às 7h. Se você não puder assistir nesse horário, não tem problema, o vídeo fica disponível para sempre no youtube, só acessar nosso canal lá e assistir qualquer hora e dia.

Bacana, né?

DSC00071

E hoje vamos falar de um artigo publicado na Revista Piauí.

———————————————————————-

André Singer publicou o artigo Colapso do Lulismo na Revista Piauí de dezembro, eu comprei, mas com os eventos de final de ano, não li e deixei na mesinha de estudos. Hoje, peguei para ler e aproveitei para estrear nosso quadro novo ACORDA PRA POLÍTICA comentando esse artigo.

Sou interessada nos textos de André Singer, especialmente pelo fato de ter sido sua aluna na USP e na Casa do Saber. Nessa última, fiz o curso LULISMO: raízes e consequências, com o André como professor. Muito próximo do presidente Lula, André foi Porta Voz da Presidência e é um dos articuladores do Lulismo; mas do que uma opinião, seus ensinamentos sobre o tema ganham força e importância por se tratar de um dos construtores da era Lula, um dos construtores e idealizadores do Lulismo.

No vídeo, faço um resumão do artigo publicado na Revista Piauí e dou minha opinião, claro!

Vamos lá:

Gostaram do vídeo? Espero que tenha ajudado a entender mais sobre o Lulismo.

Se vocês quiserem que eu comente alguma matéria ou opine sobre algum assunto, é só avisar, viu? ;-)

——————————————————————-

E para a mulherada que sempre me pergunta sobre os produtos que utilizo nos vídeos, segue:

Blusa: Renner | Pulseira: Vivara | Batom: Evelyn Regly para Essenzi di Pozzi | Pele: Base Sephora, pó compacto Vult, blush Caudalie | Olhos: Rímel Maybelline, lápis preto Payot | Todos comprados em lojas no Shopping Salvador

——————————————————————-

Aguardo vocês nas redes sociais!!!

 Me encontre nas redes sociais para conversarmos mais sobre política:

 Facebook | FanPage | Twitter | Instagram


16
outubro
2015
Bom dia! Revista VEJA: Todo o poder à família Picciani

Oi pessoal. Bom dia!!!

Hoje vamos começar cedo, 5h30, com um post bem especial: o nosso “Bom dia!” de hoje será “Comentando a matéria” da Revista VEJA sobre uma família de pecuaristas e empresários que estão comandando espaços no cenário político do Rio de Janeiro. Li a matéria hoje quando acordei e resolvi correr para postar o texto para vocês com meus comentários.

Clicando no link abaixo, você lê a matéria “A ascensão dos Picciani” e em seguida temos os trechos da reportagem em azul e meus comentários em preto.

DSC09535

Todo o poder à família

Como o pecuarista Jorge Picciani, patriarca de um clã político do Rio de Janeiro, conseguiu aproximar-se do Planalto, emplacar dois ministérios para o PMDB e alçar o sobrenome da família ao cenário eleitoral nacional.

Quando o tabuleiro do poder estremece, peças tombam, embaralham-se e se sobrepõe umas às outras. Nesses momentos, mesmo peões, desde que estrategicamente posicionados, podem ganhar relevância. Os Picciani sabem disso melhor que ninguém. O notório clã da política do Rio de Janeiro hoje tem como seu representante mais visível o deputado Leonardo Picciani, o atual líder do PMDB na Câmara. Mas o grande articulador da ascensão familiar é seu pai, o deputado estadual e pecuarista Jorge Sayed Picciani. Presidente do PMDB fluminente, ele é considerado há duas décadas um dos mais sagazes caciques políticos do estado. Agora, quer que também o resto do país conheça seus predicados.

Inicialmente, uma constatação de sempre: pecuaristas, fazendeiros, grandes mandachuvas do agronegócio mandam nos bastidores da política brasileira. Quando não  são os próprios candidatos, financiam as campanhas de seus rebentos e comparsas mais leais para ter poder de interferências nas decisões do Executivo e Legislativo; e, obviamente, interferir em demandas locais, elaboração de leis, contratações e gestão pública. Não é algo novo no país – pelo contrário, é prática desde que nos entendemos enquanto país (ainda que colônia)!

Ler as expressões “pecuarista e deputado federal” ou “pecuarista e senador” em matérias sobre políticos não é uma novidade e já nos acostumamos com a ideia de que: quem tem dinheiro, manda na política local e nacional. Aí na sua cidade, com toda certeza, tem um fazendeiro com filho vereador, aspirante a outros cargos, ou financiador de campanha (para gozar dos louros da possibilidade de interferir nas políticas públicas e legislação).

Difícil mesmo, gente, é encontrar político com legitimidade, e nos depararmos com histórias de ascensão mediante militância. Difícil e cada vez mais raro, raríssimo. Nunca foi a regra no nosso país – vide Câmaras de Vereadores e Prefeituras por esse Brasilzão. E não será!

Vivemos em um país no qual “fazer política” é tomar whisky (não sei escrever e nem vou procurar no Google) em jantares bancados com dinheiro público (da Prefeitura, Câmara de Vereadores, Câmara dos Deputados, Governadorias), em restaurantes de aliados políticos (que superfaturam as contas da comilança para tirar o dinheiro que deixou de ganhar na campanha, quando os correligionários do político comiam de graça no seu restaurante), discutindo sobre mulher, boi e como conquistar espaços de poder manipulando opositores, ameaçando com baixarias e sarcasmo (e nisso as redes sociais têm sido grandes aliadas) e comprando lideranças políticas (que, por sua vez, manipulam os pobres coitados que dependem de seus favores pessoais).

Pronto! Resumo do que significa fazer política no Brasil hoje.

Militância? Nascimento e crescimento em bases eleitorais? Disputa legítima de espaços em partidos políticos? Lideranças surgidas de embates e discussões produtivas e em benefício da coletividade? Elaboração de discursos? Levantar bandeiras?

Sinto muito, nobre leitor, mas você não achará políticos assim em Brasília em número suficiente nem para contar nos dedos das mãos.

Os sagazes caciques políticos não nascem da militâncias nem da disputa terrena de poder. Os caciques sagazes, influentes e que enriquecem na política (a imensa maioria – quase unanimidade, para ser exata), nascem da disputa baixa e mesquinha em espaços nos quais o dinheiro é rei e votos se conquistam com “cinco mil dilmas” na mão de cada cabo eleitoral – e não com ideias, projetos de governo ou outra bobagem que o valha…

Esse é o “chocadouro” e criadouro dos caciques sagazes!

Picciani pai fez carreiras construindo alianças improváveis e arregimentar fundos para campanhas milionárias, tanto as suas como as de colegas que lhe são eternamente gratos. Foi decisivo na eleição de um sem-fim de vereadores e deputados, além de ter dado sua fundamental contribuição aos governadores Sérgio Cabral Filho e Luiz Fernando Pezão. Nos últimos meses, mudou de patamar. Hábil nas costuras de bastidores, ganhou importância no cenário nacional ao se revelar um dos fiadores do mandato de Dilma Rousseff no Congresso.

Construir alianças improváveis é, por excelência, regra na política brasileira. Não importa o partido político – até porque carecemos de partidos programáticos -, as alianças são construídas, única e exclusivamente por critérios de afinidades… ahhhh, claro que não… rsrs Estou brincando com vocês! As alianças são construídas baseadas em alguns critérios:

* quantidade de dinheiro que o grupo político pode arregimentar com empresários para a eleição

* possibilidade de interferir nos contratos, compras e contratações; recebendo cargos, secretarias e ministérios com a “porteira fechada” para mandar, desmandar e roubar muito (objetivo maior dos políticos brasileiros)

* possibilidade real de ser prejudicado caso não faça a aliança. E aqui quero muita atenção de vocês: na política, você vale pelo mal que pode causar. Portanto, uma boa aliança sempre tem, por trás, um bom “cala boca”. Inimigos se aliam pela possibilidade de – separados – prejudicarem uns aos outros. Assim quem lidera pesquisas e sai na frente na opinião pública muitas vezes se vê obrigado a fazer alianças as mais espúrias com empresários ricos e fazendeiros, além de adversários políticos, para que esses fiquem calados (mediante, em troca, recebimento dos louros da administração pública)

Por isso, vemos tantas “alianças improváveis” no país.

O pragmatismo é a marca de Picciani. Herdou a característica, além de Leonardo, de 35 anos, o caçula Rafael, que, aos 29 anos, já é deputado estadual em segundo mandato, atualmente licenciado para tocar a poderosa Secretaria Municipal de Transportes. Um exemplo do estilo de atuação do patriarca se deu em 2014, quando ele amarrou o apoio de uma ala do PMDB à candidatura do tucano Aécio Neves, fato que resultou numa improvável aliança conhecida como Aezão (Aécio + Pezão, então candidato). Seu partido fincava assim os pés em duas canoas, já que, oficialmente, continuou fechado com a candidata Dilma. Vitoriosa, ela passou os oito primeiros meses de mandato mantendo distância dos Picciani – então unha e carne com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, inimigo jurado do Planalto.

Está vendo como as costuras sempre terminam em candidaturas de filhos e agregados mais próximos dos mandachuvas financeiros do estado? Foi o que falei para vocês. Isso não é novidade. Só pergunto: qual a legitimidade desses candidatos a cargos eletivos, se você compreender a política como a ocupação de espaços mediante bandeiras e disputa real de ideologias e projetos de nação? Nenhuma!

A política sai completamente do campo das disputas de ideias e debates, para o “quem dá mais”. Quem tem dinheiro, compra lideranças e  se elege. Compra aliados. Compra votos. Compra “cabeças”. Compra consciências. Compra alianças. E vai buscar retirar todo o dinheiro gasto em desvios de dinheiro dos cofres públicos.

Não estou necessariamente me referindo aos Picciani´s. Óbvio que não! Nem pesquisei sobre a existência de denúncias envolvendo a família (possivelmente o farei até o final do texto). Desconheço o assunto. Mas não tenho dúvidas em afirmar, por todos os políticos que conheço e pesquisei , que essa é a regra. (joga “Picciani” aí no Google para ver o que sai, e depois compartilhe seus achados conosco)

Quanto ao jogo duplo retratado pela revista, nada mais “PMDB”, né?

A situação mudou em 13 de agosto, em um café da manhã que juntou Jorge e Leonardo Picciani com Dilma. o encontro foi organizado por Pezão e pelo prefeito Eduardo Paes. Na ocasião, já de olho na barca governista, Picciani pai instituiu na importância de construir uma “coalizão de fato” na base de apoio à presidente e fez a análise do momento com uma metáfora bem a seu modo. É como tirar o burro do atoleiro. “É difícil, tem lama, mas é preciso avançar”, comparou, arrancando risadas da interlocutora. Dias depois, Leonardo Picciani desligou-se da ala Cunha e bandeou-se para o lado do PMDB pró-governo, com a árdua tarefa de garantir quórum para o governo nas votações decisivas – no que até agora fracassou redondamente. Da sua parte, porém, o clã já está no lucro: um mês depois do café com Dilma, emplacou os ministérios da Ciência e Tecnologia e da Saúde.

Lendo o início e o final do trecho, uma conclusão simples (nem precisa ler a história toda): café da manhã articulado para negociar cargos e apoio com Dilma.

Primeiro: não me admira que o Governo Dilma esteja degringolando. Desde o início, foi eivado de alianças dessa qualidade (no toma lá , dá cá). Ela herdou de Lula a tradição de pagar aos deputados em dinheiro e cargos (o que já faz parte da política brasileira desde sempre). Dilma não coibiu e terminou se “atolando” em alianças que visam achacar. Aliados do Governo que sempre receberam benefícios passaram a bradar para receber cada vez mais. Querem um “cala boca” maior. Não tem dinheiro e cargos que possibilite saciar a gula dos oposicionistas de araque – que querem mais e mais dinheiro público para se aliar e não pressionar a presidente. Ela cede! Redefine alianças. Mas a estabilidade momentânea e aparente não resiste ao primeiro vendaval. Logo, logo, os mesmos aliados estão achacando a presidente novamente, em troca de mais e mais e mais cargos e espaços no governo. Não há erário que resista!

Picciani fez o que, em política, a gente chama de “criar dificuldades para gerar facilidades“. Aliou-se a Cunha (unha e carne), para no momento certo chamar Dilma para a conversa.

Cunha – também do Rio de Janeiro – sempre possuiu fama de articulador sagaz e que muitos temem. Cunha iniciou sua carreira política da melhor forma para aprender o que faz de melhor: arrecadando dinheiro para a campanha de Collor. Ser aliado dele trás benefícios óbvios. O patriarca da família citada na revista foi inteligente. Manteve-se do lado de Cunha quando a crise política foi iniciada. Viu a presidente sangrar, assistiu pacientemente até que chagado o momento certo de agir.

Meu amigo leitor, veja bem que a lógica é simples e o cálculo matemático:

* Se a presidente vai bem, não tem porque comprar seu apoio. Você vale nada.

* Se a coisa começa a piorar para a presidente, um aliado passa a ter seu passe um pouco mais valorizado.

* No mesmo sentido, um não aliado começa a ser cortejado – ele passa de “desnecessário” à peça que pode ser útil no tabuleiro da política.

Mas se a presidente cai e está rolando ladeira abaixo, meu amigo, se prepare:

* Os aliados começam a ameaçar sair do barco – para conseguir convencer a ganhar mais pelo apoio (consequentemente, ele passa a ameaçar e a se achar no direito de exigir mais cargos e contratos pra se manter na trupe)

* Os não aliados que não possuem interesse em se aliar – por questões partidárias, de disputas tradicionais de poder – fazem das tripas coração para desgastar a presidente cada vez mais, e aparecer na mídia ganhando projeção.

* Os aliados que não possuem condições nenhuma de manter cargos e contratos (por falta de competência nas indicações ou por serem tão pombo sujo que nem em crise terrível você os quer do seu lado) correm pra oposição, para tentar aparecer na mídia e tirar qualquer louro que der da crise.

* Os não aliados que estavam “de espreita” se achegam pra vender o passe por um valor infinitamente maior.

Reconheceram os nomes?

Todos ganham! Menos você, que paga a conta da orgia no orçamento público.

Nascidos em Anchieta, subúrbio carioca, Jorge Picciani é filho de padeiro e doceira. Formado em estatística, comprou uma fazenda na cidade de Rio das Flores, interior do estado, e construiu a partir dela o grupo Monte Verde, produtor de gado. Atualmente, aventura-se no ramo da mineração.

Quem toca o império é seu único filho que está fora da política, Felipe, de 34 anos. A contar pela declaração de bens apresentada à Justiça Eleitoral em 2014, os negócios da família vão bem, obrigada. Os três políticos Picciani possuem juntos 27,4 milhões de reais, quase o dobro do valor de 2010. O pai cultiva a fama de generoso em vários escalões: patrocina tintos de mais de R$ 1.000,00 reais a garrafa para o alto-comando da política e não se esquece de agradar, com lautas refeições, também os soldados das campanhas.

Eu não tenho a menor dúvida de que os negócios de uma família com patriarca tão articulado e sagaz estejam de vento em polpa. Especialmente depois que entraram na política, claro! Não se entra na política – quando se é um cara desses – para perder se dinheiro. Entra pra multiplicar por milhares de vezes. Então… juntem os pontinhos… rsrsrs

Preciso nem dizer que a própria revista relatou que em 5 anos o patrimônio da família dobrou, né? No mais, a generosidade do pai com os políticos é muito bem recompensada. Percebe-se!

A base do clã hoje é a Barra da Tijuca, onde o patriarca, de 60 anos, vive com a segunda mulher, Hortência, de 26. Picciani só ouve tango e bolero e se interessa por dois assuntos: política e boi. A família banca um leilão anual de gado no hotel Copacabana Palace, onde aposta alto. Uma vez, em Minas Gerais, eles uniram-se aos atores Alexandre Nero e Murilo Benício em um lance de 380.000 reais por uma cabeça. O filho Leonardo se encontra em fase de metamorfose: antes tímido, desenvolveu um fraco por ternos brilhantes e de cores vivas, cultiva um topete mantido a cera e não resiste a uma selfie – inclusive durante o trabalho. O caçula Rafael é o que tem mais verniz.

Desde que entrou na política, em 1990, pelas mãos do deputado federal Marcelo Cerqueira, Jorge Picciani sempre esteve ao lado do poder. Serviu aos governadores Marcelo Alencar, Anthony e Rosinha Garotinho, Sérgio Cabral e Pezão. A todos prestou valiosos serviços na Assembleia Legislativa, que presidiu entre 2003 e 2010 e novamente agora. “Ele cumpre tratos”, resume Paes.

Não por outro motivo cresceu, enriqueceu e é filiado ao PMDB: serve a todos!

O embrião da atual ascensão de Jorge Picciani está na dura derrota que sofreu em 2010, quando perdeu a eleição para o Senado e ficou sem mandato pela primeira vez. A partir daí, dedicou-se com afinco à engrenagem partidária, tecendo composições e impulsionando o PMDB fluminense. Pensou alto. Quando apresentou o filho Leonardo como pré-candidato à prefeitura do Rio, sabia que mobilizaria Paes, que sempre planejou entregar a cadeira a seu braço-direito, Pedro Paulo Carvalho. Assim, para garantir o controle da própria sucessão, o prefeito cedeu uma secretaria ao caçula dos Picciani, Rafael, e se empenhou em alçar Leonardo à liderança do PMDB na Câmara. Agora, Rafael está cotado para vice-prefeito do Rio e Leonardo deve buscar o Senado. Quanto ao chefe do clã, ele admitiu a VEJA que não descarta uma candidatura a governador em 2018. O tabuleiro ainda treme. E os Picciani nem pensam em recuar nas casas.

Você já leu as últimas matérias que comentei aqui no blog? Vem ver:

Me encontre nas redes sociais para conversarmos mais sobre política:

 Facebook | FanPage | Twitter | Instagram


13
outubro
2015
Agenda de comentários políticos em rádios

Oi, pessoal!

A semana começou ontem e já temos vários fatos relevantes preenchendo a agenda política do país. Zapeando para buscar as novidades do final de semana e dessa terça-feira que começa atípica, destaco – no âmbito da política internacional – a notícia de que que o Estado Islâmico confirma a morte de seu número 2, Fadhil Ahmad al-Hayali, em ataque americano.

E para nossa surpresa, a matéria do G1 informa que Lula finalmente resolveu abrir a boca sobre as pedaladas de sua pupila e falar: Dilma fez as pedaladas para pagar a Minha Casa Minha Vida e o Bolsa Família. Primeiro que a defesa do ex-presidente a sua criação vem atrasada, após TCU rejeitar as contas, e mais: não há quem, a essa altura, ainda caia nos discursos da personalidade máxima petista, eivados de “quase-lógica”. Tem algo errado na forma como Lula ainda acredita que continuará comandando as mentes. Com a crise batendo no bolso do trabalhador e com a classe mais favorecida pelos programas sociais enraivecida com o governo, dificilmente jogar a culpa nesses projetos terá êxito e acalmará os ânimos da população.

Outro que anda em maus lençóis é o Eduardo Cunha, que vê contra si uma representação no Conselho de Ética, impetrada pelo PSOL e o recém-nascido REDE, de Marina Silva. Pois é, amigos, a semana mal começou e já temos muitos assuntos polêmicos para debater nos comentários políticos nas rádios baianas. Então, sintonize e não perca! Aproveite para mandar sugestões e comentérios sobre os temas.

Ouça e me mande sua opinião!!! linha do tempo

 Horários e sites:

  Quarta – 18h – Rádio 93 FM (Alagoinhas)

 Programa: Opinião

 Apresentadores: Cláudio Pinto, Marconi e Marcelo Oliveira

 Sintonize e ouça! Caso você perca algum dos programas, nossos áudios estão disponíveis no canal do Youtube. Aguardo vocês nas redes sociais!!!

 Me encontre nas redes sociais para conversarmos mais sobre política:

 Facebook | FanPage | Twitter | Instagram


05
outubro
2015
Debates Políticos no Facebook – Setembro 2015

Oi, pessoal! Bom dia.

Quem não ama Facebook, né? E a rede tem sido uma das maiores ferramentas de divulgação de informação política e de discussões. E na minha página do Facebook – quem acompanha já sabe hihihi – todos os dias tem vários posts de debates sobre os temas mais importantes do cenário político – e dos menos importantes também. Setembro foi um mês atípico e um dos mais movimentados dos últimos tempos. Não faltaram polêmicas, escândalos, novas descobertas do Petrolão, delações e mais escândalos.

E se você já acompanha o blog sabe que todos os meses temos nosso post “O que rolou no Facebook”, no qual eu conto a resenha as discussões que nortearam nosso mês. Olha, num país no qual o povo não prima pela memória política e que a mídia não tem como forte acompanhar os desdobramentos de todos os fatos noticiados, é importante que a gente dê uma geral quando o mês acaba, para lembrarmos do que aconteceu de importante, do que não podemos esquecer, e, acima de tudo, do que temos (TEMOS!) que continuar acompanhando.

Mas vamos combinar que lá no Facebook não dá pra fazer isso, né? Porque a timeline vai rolando e as postagens vão ficando para trás e de difícil acesso. Juntando tudo isso, surgiu a ideia de colocar um post reunindo as discussões que rolaram no Facebook aqui no blog. Abaixo, transcrevo algumas postagens que escrevi nas redes sociais e coloco o link para quem quiser debater mais o assunto conosco.

Não podemos deixar que as notícias e informações sejam perecíveis, né?

Vamos aos posts:

  • 29 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Uma oposição que argumenta que a economia está em frangalhos e os cofres públicos foram assaltados por uma década precisa esclarecer onde ela estava enquanto isso acontecia. Não se esmigalha a economia de um país de uma hora para outra. Para um governo trapalhão se manter no poder, é necessário uma oposição idêntica.

  • 29 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

“Nós já descobrimos qual a causa dos nossos problemas. Não os efeitos que vocês nos fazem combater como causas!” Vou nem dizer mais nada! Ouçam!

  • 29 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

É curioso ver a oposição levantar a bandeira de que o “PT está destruindo o país há 13 anos”. E a oposição NÃO FEZ NADA PRA BARRAR ESSE TEMPO TODO?

  • 28 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Pronto! Se vc quer entender tudo sobre a crise econômica e política, como afeta nosso bolso, consequências da alta do dólar, medidas que pressionam a inflação pra cima… venha ver nosso quadro novo no Youtube.

Hoje falo sobre a alta do dólar, quem ganha (SIM!, há quem lucre com a desvalorização da moeda brasileira) e quem perde. De forma objetiva e simples. Assista pra entender

  • 26 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

A sequência de tiros (raiva) e o cigarro (desdém) deixam claro: Angel não amava Alex, ela estava envolvida numa relação com um cara mais experiente, acostumado a atingir seus objetivos a qualquer custo, vaidoso, que encarava as relações com uma possessividade doentia. Ela estava presa ao domínio que ele exercia sobre as pessoas, achando que podia tudo; viciado em ferir, comprar e manipular. A sequência de tiros de Angel vinga as milhares de meninas abusadas por pedófilos, envolvidas em relacionamentos abusivos, praticamente obrigadas a aceitar desrespeitos para seguir a profissão e realizar seus sonhos, enganadas por manipuladores covardes e ardilosos, perseguidas por doentes… ‪#‎verdadessecretas‬

  • 25 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Crítico, politizado e defensor de uma sociedade mais justa, o Papa Francisco é o artífice da reaproximação história entre Cuba e os Estados Unidos, tendo sido aclamado na ilha por milhares de fiéis nos últimos dias. De Cuba, seguiu para a terra de Obama, onde tenta convencer o Congresso a revogar o embargo econômico a Cuba.

Em respeito à autoridade moral do Papa, Obama e Raúl Castro – líderes dos dois países que possuem relações hostis a mais de 50 anos – aceitaram a conclamação ao diálogo.

  • 25 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Se usarmos o ‘deputado/senador padrão’ como referência para o conceito de família tradicional brasileira, a lei deveria trazer a formação homem, mulher, filho e amante.

  • 25 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Aqui pensando: imagine se fossem 700 católicos mortos no Vaticano…

Mas não foi!
Assim a gente não precisa ficar assistindo o plantão da Globo, nem o dia todo ao vivo direto do Vaticano, nem mil reportagens, nem Globo Repórter sobre as vítimas, nem entrevistas às famílias das vítimas, nem o surgimento de mais uma ONG em defesa das vítimas, nem chorar por semanas, nem manifestações de apoio em vários países, nem pronunciamento da ONU, nem reunião de líderes de todos os Planetas, nem luto intergaláxico, nem… ‪#‎comoçãoseletiva‬

  • 24 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Jogo duplo da zorra do PMDB na propaganda partidária.

Cada peemedebista que fala conduz o discurso – nas entrelinhas – para um sentido diferente (contra o governo, a favor do governo, contra o governo, a favor do governo, ajustar contas ajudando o governo, não aceitar aumento de impostos, rechaçar irresponsabilidades, ajudar o governo a se recuperar…). Um mosaico de frases conflitantes e contraditórias. Tentou agradar a população e o governo ao mesmo tempo. Tentou falar o que Dilma quer ouvir (pra sacramentar a nomeação de ministros do partido) e o que o povo quer ouvir (pra posar de paladino-mor da moralidade – até porque Temer quer assumir a cadeia de Dilma e vai precisar de apoio popular). Na propaganda, buscou ficar bem na fita com governistas e com a oposição (mas pelo menos mostrou estar mais ao lado do governo do que na propaganda anterior). É o PMDB fazendo o que melhor sabe fazer: confundindo e jogando com a plateia. Putszzz…

  • 24 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Não podemos nos omitir e deixar que a intolerância religiosa seja banalizada. Com o crescimento do número de fundamentalistas cristãos, precisamos refletir e coibir a ação de supostos pastores que incitam a violência, desrespeito às liberdades individuais e apedrejamento de templos de outras religiões.

O pastor que cito no vídeo de ontem (do “5 Minutos de Política”) escolhe seus adversários (em regra, minorias políticas: mulheres, homossexuais, usuários de drogas) e convence seu rebanho de que se tratam de inimigos de Jesus. Alienados por suas dores, fragilidades e vulnerabilidades pessoais diante do “líder religioso”, um exército de fiéis sem discernimento fazem tudo que ele manda e o aplaudem.

  • 23 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

O PMDB afirmou que não aceitaria negociar cargos. 24 horas depois: aceitaram indicar 5 ministros! Conseguiram resistir 24 horas. Até muito tempo para os moldes peemedebistas, quando se coloca cargos, dinheiro e contratos na frente deles. Ulysses deve estar orgulhoso. kkkkkkkkkkk

( quando eu digo que o partido tem se colocado como oposição, desde janeiro, para atingir o único objetivo de achacar a presidente, tem gente que manda mensagem pra mim reclamando … olha aí, gente… )

  • 22 de setembro (clique AQUI] para ver no Face)

“Vai quebrar a cara quem apostar na alta do dólar”, Guido Mantega, 19.10.2014.

  • 21 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Reuniões com grupos da oposição, críticas ao governo… Temer sinaliza à oposição que quer assumir a cadeira de presidente da República.

  • 21 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

E o movimento dos europeus em direção aos outros países? Os mesmos que renegam os imigrantes querem ser (e são) muito bem recebidos em outros países, nos quais possuem mania de agir com superioridade e se comportar como “colonizadores”. ( assistam esse vídeo! demais! )

  • 20 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

O PMDB finge que não tem a mesmíssima culpa do PT na situação que o país está. É o partido mais cínico da história!

  • 20 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Bruno Reis diz que só mora na rua quem quer.

‘Primeiramente’, nem deveria ser secretário municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza por que não tem conhecimento técnico, trabalho na área, nem legitimidade pra isso.

Mas pelo menos podia nos poupar de ouvir as opiniões playboyzisticas dele, né? Já faria muito…

(antes que comece o mimimi do povo do DEM: sei que Bruno vem de família humilde, mas a realidade dele é absolutamente outra. O grupo do qual faz parte e suas vivências mudaram desde a adolescência, quando passou a comungar da política, ideologias e práticas que em nada coadunam com o que se espera de alguém que assuma essa pasta. Não tem legitimidade e falou uma bobagem que demonstra falta de preparo e preconceito. Pronto!)

  • 18 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Você já ouviu falar da Bancada BBB? São deputados ligados aos setores evangélicos, ruralista e indústria de armas e munições, que se organizam na Câmara dos Deputados, em Brasília, por afinidade e votam defendendo pautas conservadoras. No vídeo trato algumas questões:

* partidos políticos com representação na Câmara dos Deputados (pulverização e consequências)
* organização dos deputados em bancadas formais e informais
* formação de bancadas por afinidades
* bancada BBB: boi, bala e Bíblia (composição e principais representantes)
* votação unificada e fortalecimento da bancada BBB

  • 18 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Criança recebe alta depois de 1 ano no hospital e palhaços simulam fuga

  • 17 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Casal sueco dá a volta ao mundo de bicicleta.

Aí chegam numa estrada brasileira e são atropelados. A moça morre e o rapaz está internado com traumatismo craniano. É… Brasil… nossos motoristas, né? Quando é que vamos compreender que nosso trânsito mata mais do que uma guerra? Quando vamos assumir que a culpa não é das “estradas”, do “semáforo”, “dos buracos”, mas sim dos motoristas?

  • 17 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

O governo não cortou na carne. Com seu pacote de maldades, jogou a conta para o contribuinte e os servidores públicos. Nenhuma das medidas propostas atinge diretamente sonegadores, banqueiros, parlamentares, prefeitos corruptos. E, para piorar, Levy, ao defender a alíquota de 0,2% para a CPMF como algo irrisório para o cidadão – mas importante para as contas do governo -, finge que não sabe que se trata de tributo que incide em cascata e que os valores pagos por nós serão infinitamente maiores.

Em um orçamento de R$ 1 trilhão, o governo mostra desequilíbrio em não conseguir cortar R$ 32 bilhões de seus gastos com cargos fantasmas, contratos superfaturados e gastos excessivos.

  • 15 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

12009544_872925692790735_270084652492098327_n

  • 15 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

De todas as entrevistas que assisti até agora, de políticos e especialistas, sobre as medidas de Levy-Dilma, me parece que só quem se manifestou favoravelmente foram Renan e os banqueiros. Daí vc tira…

  • 14 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Se a Federação Brasileira de Bancos se manifestou em apoio às medidas anunciadas por Levy, eu sou NECESSARIAMENTE contra! Não existe possibilidade nesse plano terreno dos banqueiros e o povo serem beneficiados pelas mesmas medidas. “Isso non ecziste”. (QUEVEDO, Padre) ‪#‎JornalNacional‬

  • 14 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Resumindo: nós já pagamos, mas roubaram; aí a gente vai ter que pagar de novo! ‪#‎JornalNacional

  • 14 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Sabendo que as investigações chegariam ao seu nome, Cunha tentou, no primeiro semestre, se antecipar e criar uma cortina de fumaça. Janot foi mais rápido!

  • 13 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Uma lei proibindo Thais Araujo de sair de casa pra humilhar a gente com esse corpo, cara e cabelo… Isso, que é importante, o Congresso não faz! ‪#‎DomingãoDoFaustão

  • 11 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

O mundo falhou na proteção aos refugiados que saem de seus países fugindo da morte e dos horrores da guerra. Na Hungria, em campos nos quais estão sendo obrigados a ficar, os policiais jogam comida para os refugiados como se tivessem alimentando “animais” (o que nem deveria ser dessa forma tb)

  • 11 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Semana passada, um grupo de parlamentares entregou a Rodrigo Janot uma representação pedindo o imediato afastamento de Eduardo Cunha da Presidência da Casa. Eles acusam Cunha de usar o cargo para obstruir a Operação Lava-Jato. Antes disso, Janot havia protocolado denúncia contra o peemedebista, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Em que pese todas as denúncias envolvendo o Cunha (e outras tantas que já o atingiram ao longo de sua vida pública), o cacique permanece inabalável, vendo seu poder na Casa Legislativa crescer. De onde vem esse poder de Cunha?

  • 11 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Alex é homofóbico, machista, nojento, pedófilo e perverso. Tem caso com a filha, mesmo casado com a mãe – embaixo do mesmo teto. Não ama a Angel, a quer por posse, desafio. Mas a “tradicional família brasileira” não reclama de nada disso… Pelo contrário, o personagem tem popularidade e o ator posa em campanhas publicitárias como o galã do momento – fruto da aprovação ao “desejado” Alex.

Porque o que CHOCA mesmo a sociedade é o beijo entre duas idosas casadas que se amam, né? ‪#‎VerdadesSecretas‬

  • 10 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Pessoal, ontem publiquei o vídeo do “5 Minutos de Política” igual ao PAC de Dilma: atrasadíssima! rs

Mas adiantei o vídeo de hoje pra compensar vocês que acessam diariamente o canal, ok? Já está no ar!!!!

  • 9 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

MOMENTO OSTENTAÇÃO

Você encontra o Senador Randolfe Rodrigues e ele, depois de olhar várias vezes com a testa franzida, diz: “lembro de você de algum lugar… ah, é do blog de política. Você tem um blog, desde a hora que te vi sabia que lembrava de vc de algum lugar. Muita gente lê, é conhecido em Brasília (etc)”. Eu fiquei tão boba que nem sabia o que dizer, enquanto ele falava coisas do blog que demostravam que ele realmente conhece a página! rs ‪#‎EscreviEssePostSóPraMeAmostrar‬ ‪#‎AtéRandolfeConheceOBlogEVocêAíSemAcessarHojeAinda‬

11224360_908128279265027_4106605737675424454_n

  • 8 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

O fogo amigo da militância petista contra Levy (somado ao fato do próprio PT minar o trabalho dele) pode ser a casca de banana que falta pra Dilma despencar de vez…

(a presidente escorregando e a militância caindo na estratégia da oposição… mas olha…)

  • 7 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Sem boneco não tem graça fazer manifestação, né? Hahaha Como o tempo seco parece que danificou a estrutura dos bonecos, a passeata foi cancelada por questões climáticas. Mas gente…

  • 7 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Dilma erra em não se pronunciar em cadeia nacional, hoje. Ela tem cometido “sistematicamente” esse erro. Em momentos importantes da crise, nesse 2015, ela ou silenciou ou se deixou representar por ministros sem expressão e desconhecidos do eleitor – isso aconteceu em pronunciamentos importantes. Ela tem uma equipe de gerenciamento de imagem fantástica, comandada pelo extremamente competente João Santana, que jamais a deixaria cometer um erro tão banal – e que custa tão caro – para uma presidente da República. Se estão deixando é intencional. Ou Dilma toma as rédeas, muda essa postura, perde esse receio de se pronunciar e vai pra cima (e dispersa, aos poucos, os panelaços), ou a apreensão popular vai aumentar e a situação ficar mais crítica… Ela tem que mostrar que ainda tem comando – já que diz ter – e passar segurança aos brasileiros. Em entrevistas e discussos menos importantes, ela diz que o país está sobre controle, mas num momento importante como esse, sua atitude mostra que não. Ela precisa concatenar o discurso com a ação! Logo!

  • 7 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

A professora viu os hematomas e denunciou ao Conselho Tutelar. A criança foi para um abrigo. Devolvido pela juíza à família, foi assassinado pelos pais e colocado num frizer.

Dois irmãos, crianças, foram espancados, expulsos de casa e pediram socorro na guarda municipal. Foram encaminhados ao Conselho Tutelar. O juiz mandou de volta pra casa. O pai e a madastra esquartejaram os meninos e espalharam os corpos em sacos de lixo pela cidade.

Aí eu te pergunto: quando vamos começar a falar em responsabilização de juízes e conselheiros por esses crimes? É preciso haver uma punição, por menor que seja, ou que seja advertência… enfim, é necessário que haja uma consequência, para termos agentes públicos mais atentos e comprometidos. Uma vez realizada a denúncia, o Estado (Conselho Tutelar, Ministério Público e Judiciário) passa a ser responsável por essas crianças que só possuem o próprio Estado para salvar de suas vidas. E crianças não podem ser vítimas de conselheiros, promotores e juízes negligentes que não percebem o óbvio: que elas não podem ser devolvidas a notórios doentes (nenhum laudo psiquiátrico indica a periculosidade de pais que são agressores contumazes e frios o suficiente para esquartejar ou colocar o filho no congelador?!). ‪#‎BrasilUrgente‬

  • 7 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Sorte a nossa que a opção era entre independência ou morte, por que se alguém tivesse gritado, na beira de um rio, “independência ou cerveja” a gente era colônia até hoje.

  • 3 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

O vídeo de hoje já está no ar:  falo sobre a reforma administrativa e a mea-culpa de Dilma sobre a crise política. Além de contar porque parei temporariamente de gravar os vídeos (mas agora VOLTEEEI)

  • 3 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

O sumiço da picada de Dilma… ops… A picada do sumiço de Dilma… ops… Enfim, no vídeo de hoje falo sobre sumiço, picada e Dilma – não necessariamente nessa ordem. rs Assiste aí pra saber do que estou falando!

  • 3 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

A pedido de MILHÕES de pessoas (na verdade foram só umas 3 pessoas mesmo hehehe), hoje a gente retorna com os vídeos do “5 Minutos de Política”. Êêêêêêêêê Vai ter vídeo às 20h no nosso canal do Youtube. Clica aqui, se inscreva e fique ligado nas discussões.

  • 3 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Como pode a construção de uma estrada iniciada em 1976 não ter sido finalizada? Absurdo. Falo sobre isso no vídeo de ontem sobre a viagem ao Oiapoque.

  • 2 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Genteeee, algumas pessoas me pediram para falar mais sobre como chegar no Oiapoque, a operação da Polícia Federal no “meu quarto” (sem malícia, tá, galera? kkkkkkk), a barreira epidemiológica (tive que assinar um documento antes de deixar o Oiapoque sobre meu estado de saúde) e o caso do estrangeiro ilegal que fez meu ônibus ficar retido no meio da floresta… eitaaaaaa… foi resenha, viu? hahaha

Gravei vídeo contando tudo e já tá no canal do Youtube!

  • 2 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

A CPI da Petrobrás realizou acareação entre réus e delator hoje em Curitiba. No comentário político de hoje, falei sobre dois institutos que pouco são utilizados quando a intenção é prender político no Brasil: delação premiada e acareação.

  • 2 de setembro (clique AQUI para ver no Face)

Sobre os produtos que compramos no supermercado e os orgânicos

  • 1 de setembro (clique AQUI para ver no Facebook)

11954802_904543836290138_7649875854863595727_n

Me encontre nas redes sociais para conversarmos sobre os acontecimentos políticos do país diariamente:

 Facebook | FanPage | Twitter | Instagram


15
setembro
2015
Debates políticos no Facebook (julho e agosto)

Oi, pessoal! Bom dia. Tudo bem?

Julho e agosto (mês infinito) já se foram, eu sei! Mas se promessa é dívida, então estou devendo para vocês nosso “O que rolou no Facebook?”, que coloco todo final de mês aqui num post do blog.

Se você é novo por essas bandas, primeiramente, seja bem vindo rsrsrs, já vou explicar do que se trata: realizamos vários debates no Facebook diariamente, com a postagem de frases que geram discussões políticas. Mas nem sempre elaboro textos sobre esses assuntos para publicar aqui no blog. Daí surgiu a ideia de colocar um post reunindo as discussões que rolaram no Facebook. Abaixo, transcrevo algumas postagens que escrevi nas redes sociais e coloco o link para quem quiser debater mais o assunto conosco. Geralmente as postagens no Facebook vão ficando para trás, mesmo sendo assuntos que ainda nos interessamos em debater, e não “descemos” a página principal ao ponto de ler textos mais antigos. E não podemos deixar que discussões importantes sejam perecíveis, né?

Pensando nisso, sempre faço nosso post com os links do Facebook aqui no blog, assim, podemos dar continuidade às discussões e vocês podem ler e escolher qual link que abrir e discutir especificamente. Clique nos links abaixo e dar sua opinião, ok?

1

Clique AQUI e leia no Facebook.

  • 26 de agosto

A crise econômica bateu na porta dos brasileiros. Paralelamente, vivemos um período de crise política. Diante disso, o ex-presidente FHC afirmou que a renúncia de Dilma seria um gesto de grandeza, ressaltando a desarticulação do governo no Congresso. Outro ex-presidente cujo destaque volta a crescer no cenário nacional é o Lula.

  • 22 de agosto

Almoço e tarde no Pelourinho. A Feira da Cidade foi no Terreiro de Jesus hoje, nos dando a oportunidade de vivenciar um dos locaismais vivos culturalmente no mundo. É uma riqueza nossa, precisamos valorizar. Além d afeira, participei de visita guiada com um profissional. Fantástico conhecer o Pelourinho com um novo olhar. Dia incrível. Ah, e ainda teve show de Marquinhos (Ilê Aiê) e Lazo. (para quem não pode ir hoje, amanhã tem mais)

  • 17 de agosto

Quando vc pegar um ônibus no Oiapoque calculando que chegará em Macapá (12h de viagem) apenas 5 horas antes do seu voo para Salvador, saiba que:

a) haverá um moço refugiado ilegal no ônibus; o veículo será retido pela Polícia Rodoviária Federal (porque a lei proíbe que a empresa venda passagem para quem não tem documentação, então não podem apenas retirar o rapaz e seguir viagem; o certo, pelo que me explicaram, é realmente reter o veículo e motorista) por horas, horas e mais HORAS, e TODOS os passageiros terão que esperar na estrada, no meio da floresta, enquanto o rapaz é conduzido de volta ao Oiapoque para a Polícia Federal, e o ônibus só será liberado depois da situação dele resolvida (sim, vc, se estiver com sua documentação, vc poderá ser liberado, claro, só que nessas horas e horas não vai passar carro/ônibus/táxi na estrada e Macapá fica a 650kms. Vc não vai andando, né? Portanto, tem que ficar esperando a liberação do ônibus pelas PRF e PF mesmo).

2) depois do ônibus liberado (a PF permitiu que o africano fique 3 meses no Brasil e ele seguiu conosco – ah, depois conto no blog a saga pra ele entrar no país), de madrugada, no meio da floresta fechada, seu ônibus vai furar um pneu num atoleiro.

Cheguei no aeroporto em Macapá e nem preciso dizer pra vcs que perdi meu voo pra Salvador, né?

  • 16 de agosto

Aquele tipo de gente que enquanto os policiais federais fazem uma ação no hotel onde está hospedada na fronteira (inclusive no seu quarto, com forte armamento, buscando estrangeiros ilegais e outras coisas), só consegue pensar: “MEU DEUS, QUAL A AGÊNCIA DE MODELOS QUE SELECIONA ESSES CARAS DA POLÍCIA FEDERAL… GENTEEEE?!?!?!” kkkkkkkk

‪#‎Superincera‬ ‪#‎VoltemSempre‬ ‪#‎QuasePeçoOWhatsappDeDois‬ ‪#‎ComoFazPraTerAçãoTodoDia‬? ‪#‎ComTodoRespeitoÀInstituiçãoClaro

  • 15 de agosto

Uma das melhores experiências da minha vida: morar exatamente um mês na fronteira do Brasil, bem na floresta Amazônica. Que maravilha ter tomado essa decisão de viver os hábitos, o dia a dia, comer e morar de acordo com a realidade local, transitar e conhecer as etnias e tribos indígenas, fazer mercado, aprender com pesquisadores de órgãos do governo, aprender a viver no limite do país (com outro país diante de minha janela), sentir as emoções e dificuldades de viver no meio da floresta Amazônica, não ter determinados alimentos que eu gostaria de comer, morar diante do rio onde o dia inteiro desembarcam centenas de índios e franceses, perceber como é viver num local com o Exército e polícias atuando tão próximo dos cidadãos, etc

(pena que a internet não me ajudou e não consegui compartilhar tudo em tempo real com vcs, mas vou postar no blog)

  • 7 de agosto

Dilma foi definhando por medo de fazer um “ajuste político”. As alianças firmadas para vencer as eleições e governar (desde o primeiro dia de governo de Lula), eram insustentáveis a longo prazo. Para mantê-las, seria necessário (como de fato foi), inchar o Estado a um tamanho cuja manutenção se tornaria impossível. Não haveria cargos, contratos e ministérios que dessem conta da gula dos “aliados”. O medo do ajuste político mata Dilma aos poucos.

Em tempo: vale lembrar que boa parte dessa “culpa” é do Lula, que vendeu governo e alma aos interesses ligados a sua manutenção fácil no poder. Dilma, refém das decisões do seu criador, passou da hora de romper e ajustar as alianças. E a cada dia a viabilidade desse ajuste diminui.

  •  4 de agosto

Sobre o Brasil 247: se botar um chocalho em todos os deputados federais e senadores que compram notinhas e matérias nos sites e jornais de seus Estados, ia fazer um barulho tão grande em Brasília que eu ouviria aqui do Oiapoque.

( escrevi isso só pra dizer que ainda estou no Oiapoque… hahahaha)

  • 3 de agosto

Dirceu é um fenômeno a ser estudado. Em prisão domiciliar por um escândalo (Mensalão), é preso tb por outro (Petrolão). Ah, e teria recebido valores enquanto era acusado no mensalão e enquanto já estava preso.

Galera do PT, sinceramente, não dá pra defender!

  • 15 de julho

Vocês sabiam que Arnon de Melo (pai de Collor) quando era senador matou outro senador dentro do Plenário? DENTRO DO PLENÁRIO!!! ‪#‎chocada‬

Pois é, e ainda tem mira ruim: atirou em seu desafeto, o senador Silvestre Péricles, mas a bala pegou no também senador Kairala – que morreu horas depois. Arnon e Péricles foram presos em flagrante e… adivinhe… absolvidos, claro!

E a gente reclamando de Collor, né?! kkkkkkkk

  • 15 de julho

Nunca vi a Globo se preocupar tanto em consertar um erro de informação: todos os jornais e o portal da emissora enfatizando que não houve busca e apreensão na casa de Arnon de Melo Neto (filho de Collor), como haviam noticiado inicialmente.

( das maravilhas de ser dono de uma afiliada e namorar uma das maiores e mais influentes diretoras da emissora )

  • 15 de julho

Quanto será que custa uma luminária dessas?

‪#‎CollorNãoTomaJeito‬
‪#‎ImpeachmentNãoTeveCaráterPedagógico‬
‪#‎CasaDaDindaEuJáViEsseFilmeAntes‬

  • 12 de julho

A luta do ‪#‎UFC‬ foi comprada! Um amigo meu falou que um primo da cunhada dele que trabalha com um cara que é irmão de um assessor do sócio do UFC falou sem querer pro tio da sogra dele que foi comprada… tem um negócio do Petrolão aí no meio… E parece que é verdade mesmo, viu? ‪#‎brinks

  • 11 de julho

Decididamente: nossa sociedade está regredindo!

Colocando de lado posicionamentos políticos sobre o candidato em questão (ACM), vamos falar sobre a chapa majoritária apresentar essa peça no programa eleitoral hoje: ele não teria nenhuma chance de vitória, estaria fora da disputa. Com o crescimento dos partidos políticos e bancadas compostos por indivíduos fundamentalistas, nenhum partido hoje ousa exibir uma propaganda eleitoral com esse conteúdo e mensagem. E mais, ainda que fosse exibido: uma parcela da população chamaria de sensacionalismo; outros diriam que ele quer fazer “média” com as religiões afro-brasileiras; outros tantos taxariam a peça de “polêmica” e “inovadora” (?); outros afirmariam que FINALMENTE alguém teve coragem de realizar uma propaganda assim…

Pois é… 25 anos depois, teríamos reações muito mais preconceituosas!
Alguma coisa está fora da ordem…

  • 10 de julho

Para quem defende Eduardo Cunha alegando gostar da postura que ele assume diante do governo, fica a dica:

O inimigo do seu inimigo não será, necessariamente, o seu amigo.

  • 10 de julho

Gente, com a correria, esqueci de avisar para vcs que saiu um artigo meu no jornal Tribuna da Bahia essa semana! Adoro o jornal e sempre fico super feliz quando o editor de política Osvaldo Lyra opta por publicar um texto meu! Emoticon wink Agradeço ao Osvaldo e a toda equipe do jornal pela moral! rs

O artigo segue abaixo! Falo de Eduardo Cunha e quem são os deputados que o seguem. ( ah, se vcs quiserem acompanhar as edições em pdf., podem acessar www.tribunadabahiavirtual.com.br, se cadastrar gratuitamente e ler. Massa, né? )

  • 10 de julho

Você já se perguntou pq e em que época decidiram que crianças e adolescentes não seriam punidas como adultos?

O país começou a discutir uma idade mínima quando Bernardinho (12 anos), engraxate, ao terminar de polir sapatos de um cara levou um calote. Enquanto o caloteiro se afastava, ele sujou a calça dele de tinta. A polícia foi chamada, Bernardino tentou explicar, mas não deixaram. Ele foi preso numa cela com 20 adultos, violentado, agredido e foi parar num hospital. Lá, ele e os médicos contaram tudo a um jornal e o país começou a discussão sobre o que crianças passavam dentro da cadeia.

  • 8 de julho

Eduardo Cunha despreza Dilma, tem gente que acha bonito.
Ele desrespeita o Regimento, tem gente que aplaude.
Ele corta o microfone de deputados da base do governo, tem gente que ri.
Ele debocha da Justiça e Lava-Jato, tem gente que se cala.
Vai vendo aonde vai chegar…

  • 8 de julho

Todos os deputados que são advogados ou bacharéis (pelo menos esses) deveriam ter se manifestado em relação a Cunha afirmar que a OAB é um cartel e não tem credibilidade. Tenho diversas objeções à falta de transparência das contas da OAB (pago minha anuidade contrariada) e não comungo com vários posicionamentos públicos da Ordem. Mas em nenhuma hipótese se pode permitir que um presidente de uma Casa Legislativa se refira a um órgão de representação profissional de forma tão desrespeitosa (sendo Cunha, então, a situação piora porque nem moral ele tem para isso). E a OAB precisa reagir, mais uma vez, como o fez em vários momentos nos quais nossa Democracia se viu ameaçada por políticos arrogantes, sem trato democrático e que flertam com a ilegalidade. ‪#‎DitaduraDeCunha‬ ‪#‎OAB

  • 6 de julho

Lembram que na encenação de Reforma Política, a Câmara dos Deputados aprovou alguns pontos (fim da reeleição, financiamento privado de campanhas, 5 anos de mandato, mudança na data de posse de governadores e presidente, e acesso ao Fundo Partidário e ao tempo de rádio e TV)?

Então… tem que votar em segundo turno agora. Vai ser amanhã!
‪#‎ReformaPolítica

  • 5 de julho

Aproveita a tarde de domingo para assistir o “Nuvens de veneno” e saber o que ingerimos com a alimentação. Detalhe: o alimento que fica no Brasil é o que foi julgado inadequado para exportação e não foi aceito por outros países.

“A nuvem se espraia pelas plantações. Em vez de molhar, seca. Ela não traz a chuva, traz o veneno. O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de soja, algodão, milho e também um dos maiores consumidores de fertilizantes químicos e agrotóxicos.”

  • 4 de julho

Só pra lembrar que “então leve esses marginais para casa” e “tomara que aconteça com vc” NÃO são argumentos, tá?!

Obrigada, de nada.

  • 3 de julho

Eu queria ter uma ideia da divisão dos amigos do Face em relação à redução da maioridade penal. Quem não se incomodar em declarar a posição, poderia me dizer se é contra ou a favor?

(ah, pode justificar a posição tb, se quiser)

‪#‎Enquete‬ ‪#‎Política‬ ‪#‎MaioridadePenal‬ ‪#‎DêSuaOpinião

  • 3 de julho

Por falar nisso, a redução da maioridade penal foi aprovada em votação em primeiro turno, na Câmara dos Deputados. Eles ainda vão analisar a matéria em segundo turno. Depois vai para o Senado.

( não está decidido ainda não, viu? )

  • 3 de julho

Pra não dizer que não avisei:

O que Eduardo Cunha está fazendo (com a lei, com a Constituição e as regras do jogo democrático) é pra vcs sentirem o gostinho do que seria essa turma dele, por exemplo, na Presidência da República!

Vai vendo…

  • 2 de julho

Algumas pessoas questionando: “mas se o povo quer a REDUÇÃO, não estaria Eduardo Cunha correto em buscar uma forma de contemplar a MAIORIA?”
.
Pois eu te pergunto: que maioria? A maioria da pesquisa da DataFolha? Uma pesquisa não precisa ser fraudada para indicar o resultado desejado por quem a encomendou. É muito fácil ficar por 30 dias passando matérias sobre violência, mostrando (o dia todo) menores de idade criminosos nos maiores jornais (comunicação em massa) e, na semana seguinte, fazer pesquisa e sair alardeando que, de acordo com o resultado, o povo quer a redução. Ninguém aqui é ingênuo! Pesquisas são feitas nos dias subsequentes à exposição (exaustiva) de um posicionamento do assunto na mídia.
.
Qual o programa de TV que fez uma discussão mostrando os dois lados para que a população pudesse decidir?
.
Faço um desafio a vcs: vamos passar 30 dias mostrando o ECA na TV, fazendo matérias com jovens que se recuperaram, mostrando a situação dos presídios, discutindo como o jovem negro da periferia é castrado dos seus direitos, mostrando entrevistas com professores da rede pública que lutam para não perder seus alunos para o crime e o caixão, mostrando exemplos de políticas públicas bem sucedidas em outras países… Aí na semana seguinte a gente repete a pesquisa e vcs me dizem qual o resultado.
.
O grande problema é quando a mídia e os políticos conseguem nos convencer que estão defendendo o que o povo quer, quando na verdade é exatamente o contrário – o povo que se rendeu às suas vontades.

 

De um dia para o outro (literalmente), 28 deputados federais voltaram atrás no seu voto e resolveram apoiar a redução da maioridade penal.

 

Estou achando que rolou “contribuição para reivindicações corporativas”, se é que vcs me entendem…

  • 2 de julho

Eu já estava deitada, mas voltei aqui só pra dizer que independentemente da posição que vc adote sobre a redução da maioridade, vc precisa compreender que o que Cunha fez hoje é um golpe, uma manobra que atenta contra a segurança do Processo Legislativo, uma lesão à Democracia, uma condução de Poder Legislativo abusiva e sem precedentes em nossa história democrática. O Processo Legislativo tem uma função pilar num Estado de Direito, e nós precisamos refletir sobre o que isso significa para além de debates sobre o mérito do projeto, ou posicionamentos ideológicos.

Era só isso mesmo!

Boa noite, pra quem conseguir…

  • 1 de julho

Só digo uma coisa pra vcs: nesse momento, os deputados estão no Plenário analisando novamente a redução da maioridade penal. Cunha vai votar mil vezes a mesma coisa (rasgando a CF e o Regimento) até conseguir o resultado que quer?

O Legislativo está sendo conduzido na base do golpe! Tá difícil…

  • 1 de julho

BANCADA DA BALA
Hoje, falo sobre a rejeição da redução da maioridade penal nos casos de crimes hediondos. E explico para vcs o que é a “Bancada da Bala”, que, ao contrário do que alguns pensam, não quer diminuir a criminalidade, nem garantir mais segurança ao cidadão. Camuflados pelo discurso oficial de combate ao crime, os parlamentares da Bancada da Bala escondem que recebem dinheiro e têm suas campanhas financiadas pelo lucro que o crime proporciona para a cadeia que vive em torno dele (indústria de armas, programas ”mundo cão”, empresas de segurança privada, terceirizadas prestando serviços para presídios, obras em presídios etc).

Sintonize e ouça! Vc não pode perder de jeito nenhum. (vá por mim, rs)

  • 1 de julho

Estou fazendo uma pesquisa sobre a lista dos parlamentares da Câmara dos Deputados que compõe a “Bancada da Bala”. Curiosamente, boa parte dos nomes também compõe a bancada Evangélica.

Rhum!

  • 1 de julho

A Câmara dos Deputados rejeitou a proposta que propõe a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos nos casos de crimes hediondos, como estupro, latrocínio e homicídio qualificado. (mesmo com a pressão da bancada da bala e com Eduardo Cunha tentando impedir o ingresso de cidadãos e a manifestação democrática)

Mas a Casa ainda poderá votar em plenário a proposta original da PEC – que reduz a maioridade penal não só para crimes graves, mas para qualquer tipo de crime. Precisamos ficar atentos!

Me encontre nas redes sociais para conversarmos sobre os acontecimentos políticos do país diariamente:

 Facebook | FanPage | Twitter | Instagram


26
agosto
2015
Entrevista de Dilma: velhos erros

Pronto! Vocês pediram e lá vamos nós comentar a entrevista que Dilma concedeu ao entrevista ao GLOBO e aos jornais “Folha de S.Paulo” e “O Estado de S. Paulo”, em mais um post da série “Comentando a matéria”, quando você encontra: abaixo em azul, o texto da Folha e em itálico preto meus comentários.

Dilma afirma que errou na avaliação da situação econômica

15236581

A presidente Dilma Rousseff ensaiou um mea-culpa nesta segunda (24) e admitiu que errou na avaliação da situação econômica durante a campanha eleitoral do ano passado, demorando a perceber a gravidade da crise.

Em entrevista à Folha e a outros dois jornais brasileiros, a petista afirmou que as dificuldades só ficaram mais claras entre os meses de novembro e dezembro de 2014, depois da sua reeleição.

Não se trata de mea-culpa, nem assunção de erros pelo Governo. Já havia, ainda durante a campanha eleitoral de 2014, clara noção da situação política e econômica do país. Anos atrás, alguns políticos da oposição, como o Senador Álvaro Dias, discorriam em seus discursos sobre os riscos da Presidente da República maquiar contas públicas e expor o país a uma severa crise econômica. Obviamente que durante a campanha, com a economia dando mostras de estar aos frangalhos, a publicidade oficial (nunca se gastou tanto como no ano passado) e o marketing da campanha criaram ficções para levar Dilma ao resultado que esperavam: a vitória nas urnas. A situação econômica do país era diagnosticada por especialistas em jornais, programas de TV, centros acadêmicos, corredores de universidades… Nenhuma dúvida havia sobre isso! E Dilma sabia, até pela formação acadêmica que possui, e pela habilidade em lidar com números. Até porque, boa parte da situação se mostrava consequência de decisões adotadas por seu próprio Governo.

A presidente convidou jornalistas para explicar a reforma administrativa anunciada nesta segunda pelo governo, que promete cortar dez ministérios até setembro.

Não se sabe por que cargas d´água Dilma demorou tanto para fazer isso: convocar uma coletiva, assumir erros e mostrar controle da situação. Em outros momentos da crise,  Dilma se deixou representar por ministros inexpressivos – inclusive em pronunciamentos na TV – quando deveria ter mostrado aos brasileiros que estava no controle – pois eleita para tanto.

O mais impressionante é que Dilma possui ao seu lado um dos papas do marketing político, que jamais, em tempo algum, deixaria de se adiantar à crise que cerca a presidente e adotar providências de gerenciamento eficaz da imagem. Inacreditavelmente, o João Santana deixou  que transcorressem muito tempo e muitas denúncias, possibilitando, assim, uma aproximação perigosa entre as acusações e a imagem da presidente. Partindo de João Santana, não se pode considerar isso um erro. Ele jamais cometeria um erro dessa natureza. E como também não foi um acerto, só podemos interpretar como uma ação consciente do marqueteiro, que, extremamente hábil em gerenciar crises de imagem, negligenciou intencionalmente de sua pupila mor.

O atual grau de comprometimento da imagem de Dilma, e a ausência de providências oportunas, deixam claro a extemporaneidade da entrevista aos jornais que Dilma reuniu nessa oportunidade.

Admitir erros e cortar na carne são duas das principais cobranças feitas pela oposição e até por aliados desde a corrida presidencial. Dilma não quis falar sobre a crise política que enfrenta, e evitou responder aos críticos e àqueles que defendem seu impeachment ou renúncia.

Apesar da forte turbulência econômica e política, Dilma mostrou-se tranquila, e garantiu estar em fase “budista”, mas atacou aqueles que, segundo ela, tentam envolver o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com corrupção e incentivam a intolerância: “É fascista”, disse.

*

REFORMA ADMINISTRATIVA

A presidente previu dificuldades políticas para mexer em redutos ocupados por aliados, mas disse que ninguém será preservado dos cortes, nem mesmo seu partido, o PT. “Vamos passar todos os ministérios a limpo”, disse ela.

Em entrevista à Folha em julho, porém, ela classificou como “lorota” a proposta de redução dos ministérios, defendida pela oposição, por não trazer “economia real” aos cofres públicos. Nesta segunda, disse que o objetivo principal não é arrecadar mais. “Quero tornar eficiente o gasto. E tenho, ao mesmo tempo, de fazer a composição política”. Alegou não ter feito antes um enxugamento da Esplanada porque tinha “urgências maiores”, como o ajuste fiscal. “Ninguém consegue brigar em todas as frentes.”

Não há qualquer dúvida sobre o motivo de tantos ministérios, né? Loteamento de cargos e  espaços, contratos e lobby norteiam as decisões sobre a criação e composição do alto escalão desses órgãos públicos.(escrevi post no blog falando sobre isso em abril, quando se levantou a possibilidade de diminuição dos ministérios)

O tema sempre gerou críticas ao governo e não era difícil perceber que, a cada crise, iam aumentando as pastas, afinal, nada como um ministério para “acalmar” os ânimos de partidos políticos ávidos por poder e dinheiro (e doidos para fazer um escarcéu midiático para conseguir seu intento). Na contramão, muita gente mais esclarecida (e que acompanha o cenário político mais e perto) sempre defendeu a desnecessidade das pastas em grande número, ressaltando os gastos para manutenção.

Dilma defendia as pastas não por uma convicção pessoal, mas por dois motivos menos republicanos: necessidade de agradar aliados e opção pelo aparelhamento do Estado.

CRITÉRIOS

Dilma argumentou que seus objetivos são ganhar eficiência de gestão, mas não quis antecipar quais cargos cortará. “Não posso dizer quem está marcado para morrer porque eu não tenho certeza, primeiro, se vai morrer”. Questionada se o PT seria preservado, disse: “Óbvio que não, querida. Não é por partido. O critério não pode ser o PT será preservado e todos os outros… Não será isso.”

O critério será reajustar os interesses dos verdadeiros aliados. Serão limados do processo aqueles que ocupam dezenas de cargos de primeiro e segundo escalão – mas que comandam o arsenal contra Dilma nos bastidores para angariar cada vez mais cargos, contratos e posar de oposição, quando foram alguns dos mais beneficiados pelo governo petista, como o PMDB da Bahia e do Rio de Janeiro.

A estratégia de Dilma será, obviamente, reposicionar as peças no tabuleiro. Com uma centena de aliados achacadores, a presidente usará a estratégia de tirá-los da zona de conforto, da qual eles, sentados convenientemente, colhem os louros de ameaçar a governabilidade, na mesma medida em que panfletam contra o governo. Vamos ver quem está disposto a pagar o preço de entregar seus cargos (cultivados e cultuados no apagar das luzes) para continuar bradando moralidade ao acender das luzes da Esplanada.

CORRUPÇÃO

Questionada se, em algum momento, imaginou que petistas estivessem envolvidos no esquema de corrupção descoberto na Petrobras, disse: “Não”. Quando um dos jornalistas quis saber se tinha sido “completamente surpreendida”, respondeu: “Fui. Acho, e lamento profundamente”.

Uma resposta previsível.

LAVA JATO

Dilma não quis tecer comentários sobre o juiz Sergio Moro. “Minha querida, me desculpa, se você me perguntar de qualquer pessoa, não vou dar opinião”. Sobre o futuro da Lava Jato, afirmou: “ninguém pode interromper esse processo”. Reconheceu, porém, que “as investigações, quanto mais rápidas, melhor”.

(aproveite para ler a matéria do Globo sobre a mesma entrevista)

SAÍDA

Dilma não quis responder sobre os pedidos de impeachment, feitos pela oposição, ou para que renuncie ao cargo, sugestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. “Não vou falar”, afirmou. “Não é fácil, né? Não é uma sugestão fácil [pedir para alguém que renuncie.”

Como estadista, julgo desnecessário o comentário de Fernando Henrique Cardoso. E também não haveria motivos para Dilma comentar a afirmação equivocada do ex-presidente. Como tal, ao contrário de Lula, que nunca desce do palanque, FHC deveria ter mantido o decoro mínimo exigido e não entrar em especulações (e espetacularização) sobre renúncia e impeachment.

ERRO 1

“Vocês sempre me perguntam: em que você errou? Eu fico pensando (…). Em ter demorado tanto para perceber que a situação podia ser mais grave do que imaginávamos. E, portanto, talvez nós tivéssemos de ter começado a fazer uma inflexão antes”, disse. “Talvez porque não tinha indício de uma coisa dessa envergadura. A gente vê pelos dados”, justificou. “Nós levamos muito susto. Nós não imaginávamos. Primeiro que teria uma queda da arrecadação tão profunda. Ninguém imaginava”. Para a presidente, a crise só ficou evidente entre novembro e dezembro.

Mais do que uma avaliação equivocada, houve um menosprezo ao fato de se maquiar contas públicas, e a tentativa oficial de mascarar a crise. Não foi um erro, um equívoco ou uma decisão não administrada corretamente. Foi uma opção. Se tinha a certeza da dimensão da crise, mas era mais importante maquiar com a publicidade institucional e garantir a eleição.

ERRO 2

“Gasto público. Talvez o meu erro foi não ter percebido prematuramente que a situação seria tão ruim como se descreveu. Ela [dificuldade] começa em agosto. Só vai ficar grave entre novembro e dezembro. É quando todos os Estados da federação percebem que a arrecadação caiu”, disse.

MICHEL TEMER

Dilma fez um desagravo ao vice-presidente da República, que deixou parte da articulação política do governo nesta segunda. “O Temer, aquele dia estava inteiramente estressado porque percebeu que o país ia ter uma aprovação de uma medida provisória que impactaria em bilhões e bilhões”, contou. “Não acho que ele falou aquilo [sobre a necessidade de ter ‘alguém’ para ‘unificar’ o Brasil] com a intenção que atribuíram a ele. O Temer tem sido de imensa lealdade comigo”, “tem responsabilidade com o país”, defendeu. “O papel dele é a macro política, não a micro”.

Ao contrário da ala revoltada do PMDB, Michel Temer somrep foi tido internamente no partido como alguém que “resolve a vida dele” e abandona os reclames dos correligionários. Enquanto Temer deixava de lado os peemedebistas mais insaciáveis, a gula dos mesmos crescia, articulados, nos bastidores, pelos mais gananciosos e que não existam em inventar, plantar matérias e especular para manter-se – sem nenhum mérito – no cenário político. Temer tem sido, desde os governos Lula, de uma lealdade (aos presidentes petistas) que irrita o PMDB.

CONGRESSO

“Não dá para dizer que cada vez que você perde é uma crise. Não é. Se olhar o cômputo geral, a palavra é ‘exitoso’. Apesar de sofrer derrotas sucessivas no Legislativo, afirmou que, “mesmo com todas as turbulências, foi um período bastante tranquilo”. Segundo ela, a primeira fase da articulação política, que aprovou o ajuste fiscal, foi “um sucesso”.

LULA

Dilma defendeu o ex-presidente Lula. “Não acho correto o que fazem com ele. Quero manifestar em alto e bom som que não concordo”, disse. “Acho que tentam diminuí-lo, que tentam envolvê-lo. Não acredito que em algum momento no futuro dê certo. Eu acho que é uma coisa triste de ver isso sendo feito. Passam de todos os limites.”

INTOLERÂNCIA

Em seguida, sem citar nomes ou partidos, sinalizou que a oposição incentiva um sentimento de “intolerância inadmissível”. “De repente você começa a ver que isso é cultivado, incentivado. A intolerância é a pior coisa que pode acontecer numa sociedade, porque cria um ‘nós e o eles’. O ‘nós’ tem direto a tudo, e o ‘eles’, a nada. É fascista.”

Realmente, a intolerância vem sendo disseminada pela oposição (e posso afirmar por vários fatos envolvendo postagens que escrevo nas redes sociais e discussões presenciais com defensores do “Fora, Dilma”), mas se trata de velha estratégia de guerrilha virtual da esquerda – portanto, inegavelmente, inadmissível que ambos os lados utilizem essa estratégia.

CHANCELER

A presidente negou que sua relação com o ex-presidente Lula esteja arranhada. “As minhas relações com o Lula são as mais próximas possíveis”. Dilma afirmou, porém, não ter oferecido um ministério ao ex-presidente. “Jamais acharia que o presidente Lula, pelo tamanho dele, […] mas claro que, se houvesse esse interesse do país, eu não teria nenhum obstáculo”, afirmou. “Todos aqueles que tentaram ou tentam me afastar dele, não vai dar certo. Eu conheço certas coisas do Lula de olhar. E não acho correto o que fazem com ele. Quero manifestar que acho que todas as atitudes que tentam diminuí-lo não vão dar certo”.

EDUARDO CUNHA

Questionada sobre o que sentia em relação ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que ameaça patrocinar um processo de impedimento da petista no Congresso, afirmou, reclamando da pergunta: “Estou ficando budista, viu?”. O cara pode ter denunciado ele, mas não se faz isso, não se manifesta pessoalmente sobre ninguém. Eu não tenho comentários. Estou hoje uma pessoa Dilminha paz e amor.”

CRESCIMENTO

Dilma não quis projetar a evolução do PIB (Produto Interno Bruto) para 2016 nem dizer se haverá aumento de impostos.

“Vamos nos esforçar para que não ocorra [crescimento negativo]. Mas ainda não sabemos como fica o mercado internacional. Espero que a gente tenha um crescimento positivo. Eu espero, mas…”. Em seguida, reclamou: “Só jornalista acha que previsão é exata.”

DESEMPREGO

“Nos preocupamos imensamente com duas coisas. Primeiro é a queda no emprego. Segundo é a inflação.” A presidente previu que a desaceleração da economia da China “terá um efeito bastante acelerado”. Todo mundo pensa que é só commodities. Não é.”

PESSIMISMO

“Acho um perigo pessoas muito pessimistas em relação ao cenário, posto que uma das forças em relação à economia é a expectativa. Não dá para ficar plantando quanto pior, melhor”, disse. “Não temos bolha. Nossas instituições financeiras todas são estáveis. Ninguém aqui no Brasil usou o crédito para comprar ativos desbragadamente. Ou se endividou comprando ações. Não temos uma estrutura especulativa no Brasil.”

MAROLA OU TSUNAMI?

“Até eu voltar [da reunião] dos Brics [em julho], estava achando que [a situação da China] era superável. Só não contava com essa queda sistemática [das bolsas]. Estava achando que era superável por tudo que eu sabia. Ia ter dificuldade, mas não ia ter uma situação muito difícil. A partir de hoje, não sei. Ninguém sabe.”

LEVY

A presidente mostrou-se chocada com rumores espalhados no mercado financeiro nesta segunda de que seu ministro da Fazenda, Joaquim Levy, deixaria o cargo pelo fato de ter viajado para os Estados Unidos inicialmente sem compromissos oficiais. “Vou te falar uma coisa, é de assustar. Me disseram hoje que ele tinha saído daqui porque tinha brigado. É mentira. Ele foi ver a menina [filha] dele, que vai para a China passar um ano.”

FOFOCA

Avessa a vazamentos de ações do governo para a imprensa, Dilma disse ter lido “um livro muito interessante sobre fofoca”. “Daquele [Yuval Noah] Harari, ‘Sapiens – uma breve história da humanidade'”. “E uma das coisas que ele diz, sabe qual é? Que nós [humanos] criamos vínculos sociais. […] E uma das coisas que mais unia era fofoca. Uma coisa que nos distingue, que chimpanzé não faz. Orangotango não faz. Fazemos nós só.”

E você, o que achou da entrevista de Dilma?

Você já leu as últimas matérias que comentei aqui no blog? Vem ver:

Me encontre nas redes sociais para conversarmos mais sobre política:

 Facebook | FanPage | Twitter | Instagram


26
junho
2015
Coluna “Política à Flor da Pele” de hoje – Militância petista: Lula critica 10 dias após Congresso Nacional do partido

Olá, pessoal, bom dia!

Segue abaixo o texto de hoje da Coluna “Política à Flor da Pele”!

1459261_651274248228550_1606959541_n

Militância petista: agregar para não minguar

O ex-presidente Lula, na última segunda-feira, palestrou ao lado do ex-primeiro-ministro da Espanha Felipe Gonzalez, afirmando que o PT está velho, viciado em poder apegado a cargos e perdeu sua capacidade de gerar sonhos. O discurso se deu menos de 10 dias após a realização do Congresso Nacional do partido, em Salvador. No evento, o ex-presidente se ateve a manter o status quo da legenda, que reafirmou a parceria com o PMDB e não mostrou disposição a rumos novos. Assim, a afirmação que se seguiu essa semana constitui uma “facada pelas costas” da militância – que não ouviu, do mesmo Lula, criticas dessa natureza “frente a frente” no Congresso partidário.

Diante da sinceridade calculada do petista, alguns políticos e analistas se puderam a dar crédito e acelerar uma possível morte do partido. Eu não tinha conhecimento sobre a estrutura interna do PT. Procurando me informar mais, e estudar – do meio do ano passado para cá -, arrisco afirmar sem qualquer dúvida: não há nenhuma possibilidade do partido deixar de existir (ou enfraquecer ao ponto de se imaginar essa possibilidade). Em nenhuma hipótese, nem com a ruína da cúpula ou qualquer outro evento político e/ou jurídico, isso está sequer próximo de acontecer. Acredito que o antipetismo aumente até o final do ano (dias piores ainda virão para a agremiação) e que jamais volte a gozar do prestígio e da credibilidade de outrora (ou não, porque se até FHC conseguiram ressuscitar, tudo é possível), mas vai passar por uma reestruturação profunda. Vai ter que passar!

E eu entendo que a maior qualidade do partido é também o ponto que precisa ser reavaliado (cautelosamente) e modificado: a militância. Embora seja indiscutível que a militância petista (especialmente a juventude) é a mais estruturada, organizada e bem disposta, e que sustenta a agremiação hoje – tendo papel fundamental na vitória nas urnas no último pleito – compreendo que esse é o ponto de reformulação necessário. E é o ponto de reformulação possível (porque existem outros pontos nevrálgicos, mas a mudança neles carece de viabilidade). A militância é muito fechada, com pouca capacidade de diálogo e, atualmente, quase nenhum poder de convencimento (de convencer quem não é do grupo, obviamente).

No momento em que o partido perde força, vê sua credibilidade despencar e vive seu pior momento, a militância não se reestrutura, continua “ensimesmada”, falando para dentro, dialogando isoladamente – e o pior: ORGULHOSA DISSO! (?????) Orgulhosos desse erro fatal. No momento em que seus argumentos já não convencem muita gente, a militância é incapaz de utilizar as inúmeras qualidades que possui – conhecimento sobre história, poder de mobilização, engajamento político, inteligência, disposição física e mental/intelectual – para se permitir OUVIR o país, reestruturar seu discurso (não estou falando de perder a essência, obviamente, senão não teria sentido) e mudar os rumos. Acostumada a ver suas “estratégias” e diálogos darem certo, a militância petista não percebeu quando iniciou a fase de “não mais conseguir convencer”. Não percebeu e ficou presa em si mesma, convencendo os já convencidos, dialogando com os iguais, militando em prol… dos mesmos (e com os mesmos)…

Hoje, ela: não se abre ao novo; não possui conhecimento sobre marketing político (erro terrível das lideranças); dialoga apenas entre os “iguais”; fazem cara feia para qualquer crítica (e fará para essa); não está disposta a ouvir para tentar convencer o interlocutor; usa discursos ultrapassados e já rechaçados por setores importantes (“importante” no sentido de estratégicos para ocupação de espaços) da população; não percebe que se limitar a bradar palavras de ordem pode ser divertido/bacana/útil/eficiente, mas não está trazendo novos membros para o partido (um dos maiores problemas do PT hoje, não cresce, não expande, SÓ RETRAI); não reflete sobre os pífios resultados nos pleitos; não absorve o momento político do país de forma a reagir propositivamente; quer empurrar sua adoração aos velhos líderes goela abaixo de todo mundo que tenta dialogar com eles… Enfim: uma séria dificuldade de aceitar o que não é “espelho”.

O partido não vai acabar! Mas se a militância descobrir que além de seu valor (inquestionável – vide eleições 2014 – mas não otimizado) possui nas mãos a possibilidade de mudança de rumos da agremiação, poderá obter resultados melhores. Mas eu arrisco dizer que, dos discursos que ouço e do que tenho lido em alguns perfis do face, dificilmente essa mudança acontecerá.

Agregar para não minguar! Fora isso, o PT vai sangrar até virar mais um partido!

Daniele Barreto é colunista e advogada.

Me encontre nas redes sociais para conversarmos mais sobre política:

 Facebook | FanPage | Twitter | Instagram


20
maio
2015
Vídeo: depoimento da doleira e o comportamento dos parlamentares

Oi, pessoal, bom dia! Tudo bem?

Na segunda-feira passada, publiquei um post aqui no blog com dois vídeos do “5 Minutos de Política“, sendo que um deles – sobre o depoimento da doleira na CPI da Petrobras – deu problema e encerrava antes do final. Algumas pessoas me avisaram que o vídeo terminava de repente, eu fui olhar e percebi que realmente havia um erro. Não sei especificar o porquê, mas o vídeo não carregou inteiro após a edição. Então, ontem à noite, gravei novamente, revisando o assunto e complementando o raciocínio que estávamos fazendo, para não perdermos o conteúdo sobre o assunto.

Quem tiver interesse em saber mais sobre o comportamento dos deputados durante o depoimento,

aperta o play:

Me encontre nas redes sociais para conversarmos mais sobre política:

 Facebook | FanPage | Twitter | Instagram


23
abril
2015
PEC da Redução dos Ministérios

Oiiii, então, ontem tivemos uma notícia do “mundo político” que me chamou atenção: a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) entendeu pela constitucionalidade da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que reduz de 38 para 20 o número de ministérios.

A ideia parece legalzinha, né? Mas é puro populismo barato. É mais uma arte do PMDB – que está jogando com a plateia. A proposta foi apresentada em 2013 pelo Eduardo Cunha (que na época era deputado federal, mas ainda não presidia a Câmara dos Deputados) e agora toma destaque pelo fato do parlamentar estar em linha de guerra com Dilma. O PMDB magicamente apagou da memória (passada e recente) que ocupou (e ocupa) ministérios e domina um sem fim de cargos de primeiro e segundo escalão, e partiu para o ataque, como se tivesse legitimidade para isso. Não tem! Como se tivesse moral para isso. Não tem! E como se alguém caísse nessa conversa do partido que compõe com qualquer governo e que só diante de holofotes adota posturas mais aprazíveis aos olhos da população – mas que longe deles comanda um arsenal bélico contar o Executivo de “toma lá dá cá” e cria dificuldades para gerar facilidades (para os seus).

Mas, vamos avaliar o assunto baseados numa matéria do G1, de ontem (fiquei com os dedos coçando para escrever sobre o tema ontem, mas o cansaço me venceu). Como sempre fazemos em nossa série “Comentando a matéria“, o texto original estará em azul e meus comentários em preto itálico.

Vem cá:

CCJ da Câmara aprova proposta que reduz para 20 o número de ministérios

Texto ainda precisa passar por comissão especial e votações no plenário.
Depois da extinção da SRI, governo Dilma passou a ter 38 ministérios.

 Nathalia Passarinho Do G1, em Brasília
CCJ da Câmara aprova PEC da redução dos ministérios (Foto: Lucio Bernardo Jr / Câmara dos Deputados)(Foto: Lucio Bernardo Jr / Câmara dos Deputados)

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou nesta quarta-feira (22), por 34 votos a favor e 31 contra, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que reduz para 20 o número de ministérios. Atualmente, com a recente extinção da Secretaria de Relações Institucionais, o governo Dilma Rousseff possui 38 ministérios.

A redução do número de ministérios é algo que a gente sempre defendeu, né? Na última década, quase dobramos o número de pastas.

Número de Ministérios:

– Getulio Vargas – 13
– Juscelino Kubitschek – 13
– Ernesto Geisel – 20
– João Figueiredo – 16
– Sarney – 25
– Collor – 17
– Itamar Franco – 19
– Fhc – 24 / 26
– Lula – 24 /24
– Dilma Rousseff – 39 até um dias desses (entre ministérios e secretarias com status de ministério), mas aí extinguiu uma pasta

O tema sempre gerou críticas ao governo e não era difícil perceber que, a cada crise, iam aumentando as pastas, afinal, nada como um ministério para “acalmar” os ânimos de partidos políticos ávidos por poder e dinheiro (e doidos para fazer um escarcéu midiático para conseguir seu intento). Na contramão, muita gente mais esclarecida (e que acompanha o cenário político mais e perto) sempre defendeu a desnecessidade das pastas em grande número, ressaltando os gastos para manutenção.

A CCJ avalia apenas a “admissibilidade” das propostas, ou seja, se o texto não fere a Constituição e o ordenamento jurídico brasileiro. Agora, a PEC será analisada por uma comissão especial destinada a dar parecer sobre o conteúdo da proposta.

A CCJ opina sobre a constitucionalidade dos projetos de lei em tramitação na Câmara dos Deputados. Após, o projeto será analisado por comissão especial. Só então vai para votação no plenário. 

Em seguida, o texto terá de ser votado em dois turnos no plenário da Câmara, onde são exigidos em cada votação, ao menos, 308 votos favoráveis, do total de 513 deputados. Depois, o projeto precisa passar pela CCJ do Senado e mais duas votações no plenário, onde são exigidos 49 votos entre os 81 senadores.

É o trâmite normal do projeto.

“Acreditamos que o número de 20 ministérios, que reduz em 50% o atual tamanho da administração direta, atende bem às necessidades do Estado moderno e alinha o país ao tamanho dos demais Estados em igual ou superior grau de desenvolvimento”, Eduardo Cunha

Apresentada em 2013 pelo atual presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a proposta altera o artigo 88º da Constituição, que passaria a vigorar com a seguinte redação: “A lei disporá sobre a criação e extinção de Ministérios, que não poderão exceder a vinte, e órgãos da administração pública”.

Gente, óbvio que temos ministérios demais, minha crítica não é sobre a diminuição do número – de forma objetiva. Esse é um anseio dos brasileiros, mas temos que analisar algumas questões.

A primeira, relacionada ao funcionamento dos ministérios:

  • o maior número de pastas aumentou o número de servidores ativos do Executivo Federal (muitos deles, cargos comissionados indicados por apadrinhados políticos);
  • aumento no custo da folha de pagamento, leia-se dinheiro público para pagamento de pessoal (sem citar viagens, hospedagens, diárias);
  • o contingente de servidores passou de 809,9 mil para 984,3 mil;
  • os salários consumiam R$ 59,5 bilhões em 2002 (ou R$ 115,9 bilhões em valores já corrigidos), chegaram a R$ 154,5 bilhões

Você sabe quem são essas pessoas? Para onde vocês acham que essas pessoas vão? Esse batalhão, na sua maioria, não ingressou no serviço público através de concurso público, mas são ocupantes de cargos comissionados – em áreas que compõe os feudos dos aliados. Eles são apadrinhados de políticos poderosos que não vão abrir mão dos cargos e nem de ter esse bando de gente nomeada. Até porque, em seus estados de origem, não conseguiriam vagas com altos salários para todos. Mexer no número de ministérios desempregaria muitos desses apadrinhados, e os deputados não querem isso, né?

A segunda questão, relacionada a forma de divisão dos ministérios:

  • a criação de pastas ocorre em decorrência de acertos políticos nada republicanos
  • não se cria ministérios visando melhoria dos serviços públicos

Portanto, os partidos políticos aliados a Presidente não aceitaram a diminuição do número de pastas. Até porque isso iria ocasionar uma reforma administrativa de grandes proporções e o momento político poderia causar ainda mais desgaste a Dilma. Além disso, nenhum aliado aceitaria que “a sua” pasta fosse justamente a que sumirá, né?

Quando falo “aliados”, me refiro especialmente ao PMDB, que compõe a base do governo (sim, compõe / não, PMDB não é oposição) e que detêm uma legião de nomeados no governo federal – tanto em Brasília, como nos órgãos em diversos estados. Muitos desses “reclamosos” em relação a Dilma, indicaram superintendentes regionais e estaduais de órgãos, ministérios, autarquias, em seus estados.

Obviamente que o PMDB se aproveita do momento político de desgaste petista para dar um show de bizarrice: criticando atitudes do PT que sempre foram corriqueiras no PMDB, reclamando do número de ministérios (quando foi o principal partido a “obrigar” o aumento para acomodar interesses). O PMDB sempre jogou com a “governabilidade”, que nada mais é do que obrigar o governo federal a ceder para conseguir governar “em paz”. Essa “paz” sempre foi superficial e apenas aparente, mas no fundo sempre se imaginou que essa relação – mais cedo ou mais tarde – ruiria, porque não há cargos, vantagens, contratos e ministérios suficientes para a saciar a bancada aliada.

Com a tal “governabilidade” como meta principal, Dilma vendeu até a alma-administrativa para compor com os que agora querem fazer parecer que “nada têm a ver com isso”. Um dos maiores responsáveis pelo crescimento da máquina administrativa – e a, junto com os petistas, enterrar as finanças do governo devido a uma máquina inchada e inoperante – hoje quer posar de anti-corrupção e apressam-se em apresentar projetos que possuem como única justificativa: o populismo.

Na justificativa, Cunha afirma que o texto tem “o intuito de sinalizar para a sociedade que o gasto público com a máquina administrativa terá limite”. O peemedebista ressalta ainda que a PEC não fere o princípio da separação dos poderes, já que ficará “a critério do Poder Executivo o detalhamento da distribuição, composição e atribuição das pastas”.

Durante o debate desta quarta no plenário da CCJ, o deputado Giovani Cherini (PDT-RS) afirmou que a PEC viola a Constituição, dando poderes excessivos ao Legislativo. O parlamentar disse ainda que a proposta é fruto de uma “disputa entre dois grupos”, em referência aos atritos entre a bancada do PMDB na Câmara e o governo federal. Eduardo Cunha é considerado desafeto de Dilma.

Eu não avaliei ainda a PEC do ponto de vista constitucional, mas o deputado Giovani nos dá a luz da única motivação do PMDB: criar mais conflitos com Dilma. Sabe briga de vizinha? Aquela coisa infindável? Aquela relação em que nenhuma racionalidade impera? O diálogo foi cortado e qualquer chance é motivo para espezinhar o outro? É a relação que o PMDB faz questão de nutrir hoje com Dilma. E o partido arrasta uma legião de “baixo clero” vindos de partidos nanicos, que se encostaram no PMDB para conseguir pongar nos resultados do aliado. Interessados em espaço e poder – e vendo que Cunha é bom de criar briga para aumentar sua importância – esse baixo clero se sujeita a ser comandado por ele para receber benefícios na Câmara dos Deputados (contratos, cargos, aumento de verba de gabinete, passagem para esposas , presidência das comissões etc) e gozar de espaços que são negociados para sair a fúria e gula peemebista.

“É indefensável que o Poder Legislativo possa criar ou extinguir ministérios. Aí é melhor aprovar o parlamentarismo mesmo. A Constituição é muito clara em vedar que o Poder Legislativo crie ou reduza ministério. É uma briga de dois grupos, e nós do PDT não estamos nessa briga, votamos pela Constituição”, declarou.

O vice-líder do PT Alessandro Molon (RJ) concordou com a ponderação de Cherini e reforçou o argumento de que cabe ao presidente da República decidir sobre a criação ou extinção de ministérios. “Essa PEC viola a iniciativa reservada do chefe do Poder Executivo e viola a separação dos poderes. Vamos manter a tradição dessa CCJ de separar o que é paixão política.”

Já o relator do texto, deputado André Moura (PSC-PE), negou que a proposta signifique interferência em atribuição do Executivo. Ele também destacou que, durante a tramitação na comissão especial, os parlamentares poderão fixar para o futuro a validade das novas regras, para não afetar o governo da presidente Dilma Rousseff.

“Não estamos determinando quais os ministérios que devem existir no governo, estamos limitando para até 20. O projeto, depois que passar por esta comissão, pode ser aprovado para esta gestão ou gestões futuras, para 2018, 2028”, argumentou.

Economia de gastos

O deputado Célio Silveira (PSDB-GO) defendeu no plenário da CCJ que a redução de ministérios trará economia de gastos públicos e maior “eficiência” à máquina administrativa.

“Cada ministério é uma fonte de desvio de recursos públicos. É um projeto de grande relevância para a sociedade e para a presidente da República, mesmo porque ela tem muitos ministros incompetentes que teria vontade de tirar.”

Gente, vou enfatizar que realmente a diminuição é necessária. E que os ministérios são realmente fonte de desvio de recursos. Mas a intenção de Cunha não é diminuir – até porque ele sabe que no plenário os deputados vão votar contra o projeto (por interesses pessoais e partidários).

Seria muita ingenuidade achar que o Eduardo Cunha (PMDB) coloca esse projeto a tona num momento de crise política por zelo com a administração e finanças públicas.

As intenções de Cunha são:

  • tumultuar,
  • criar mais  problemas para Dilma,
  • desgastar a imagem do governo que terá que se manifestar contra a redução (inclusive porque uma parte dos ministérios está na mão do PMDB),
  • e posar de bom moço perante a sociedade.

Por sua vez, o líder do PSOL, Chico Alencar (RJ), questionou a motivação dos deputados em votar a proposta. “Essa PEC tem claramente o intuito de fazer confronto político, curiosamente, dentro da base do governo. O governo tem, muitas vezes, dentro de si mesmo a sua principal oposição. Essa PEC tem o intuito de dar uma estocada no governo Dilma, como se fosse necessário. Temos um governo debilitado, fraco, confuso, inoperante, contraditório”, disse o parlamentar do PSOL.

E você, o que acha do populismo que está definindo a agenda política nesse momento no país?

Você já leu as últimas matérias que comentei aqui no blog? Vem ver:

Aguardo vocês nas redes sociais!!!

 Me encontre nas redes sociais para conversarmos mais sobre política:

 Facebook | FanPage | Twitter | Instagram


04
março
2015
Amanhã tem coluna “Política à Flor da Pele”, em mais jornais e sites parceiros

Olá, amigos, boa tarde!

Falei que hoje o dia seria corrido, não foi? Pois bem!!! No meio da correria vim aqui rapidinho contar mais uma novidade para vocês: o crescimento da nossa coluna “Política à Flor da Pele”.

A coluna iniciou em 2011 quando eu morava em São Paulo e comecei a escrever para sites e jornais impressos sobre política. De lá para cá, só cresceu e aumentou a responsabilidade e amor com os quais elaboro semanalmente os textos. E é com imensa satisfação que hoje anuncio mais 6 parceiros que publicarão nossos textos em sites e/ou jornais impressos.

Amanhã (quinta-feira) cedinho tem artigo novo e você pode conferir acessando o portal de sua preferência.

Continue conosco acompanhando as publicações e mande suas sugestões de tema, dúvidas, críticas, opiniões.

Democracia se constrói junto! Exercício da cidadania é um trabalho coletivo!!! Vamos seguir nos ajudando a compreender cada vez mais nossa política e nosso país. Contem comigo! Eu conto com cada um de vocês!

1459261_651274248228550_1606959541_n (1)

Leia em um dos sites e jornais parceiros:

Alguns dos nossos textos são publicados esporadicamente no Jornal Tribuna da Bahia e Jornal A Tarde.

Novos parceiros:

1. Jornal do Sudoeste (BA)

2. Calila Notícias (BA)

3. Jequié Repórter (BA)

4. Medeiros Neto (BA)

5. Catu Notícias (BA)

6. Folha Geral (GO)

7. Santa Cruz 24 h (PE)

8. Lagoa Grande Notícia (PE)

9. Jornal da Chapada (BA)

10. Jaguarari Acontece (BA)

11. Revista Geral (PE)

Mais parceiros:

1. DF Agora (DF)

2. Folha de São Simão (GO)

3. Repórter MT (MT)

4. Tudo Rondônia (RO)

5. Gazeta de Rondônia (RO)

6. Montanhas Capixabas (ES)

7. Portal CDP (PI)

8. Cerrado Notícias (TO)

9. TV Jangada

10. Jornal do Paraná (PR)

11. A Boca do Povo (TO)

12. Folha do Norte de MS (MS)

13. A Notícia do Vale (BA)

14. Primeira Hora Notícias (MT)

15. Revista In Foco Magazine (BA)

16. Folha de Goiás Notícias (GO)

17. Portal Aqui Brasil (PR)

18. Site VG News (MT)

19. Portal Natal Press (RN)

20. Portal Inforside (RN)

21. Acajutiba News (BA)

22. Tribuna da Conquista (BA)

23. Portal Aqui Brasil (PR)

24. TV Exibir (PI)

25. SJV Notícias (BA)

26. Bahia Dia a Dia (BA)

27. Portal Alagoinhas News (BA)

Clique AQUI e leia o último artigo publicado no Jornal Tribuna da Bahia.

Acompanhe os textos da coluna clicando na categoria Coluna “Política à Flor da Pele”.

Me encontre nas redes sociais para conversarmos sobre os acontecimentos políticos do país diariamente:

 Facebook | FanPage | Twitter | Instagram

Caso queira publicar a coluna em seu jornal impresso, revista, site ou blog, gentileza entrar em contato: contato@danielebarreto.com.br.

 Um beijo.


09
abril
2014
Hoje faço comentário sobre o cenário político às 18h, na rádio 93 FM

Bom dia, queridos!

Felicidade imensa falar com vocês sobre a repercussão desse primeiro mês fazendo parte da equipe da 93FM. Estou absolutamente entusiasmada com esse projeto que vem dando certo com a ajuda e apoio de cada um de vocês.

Meu MUITO OBRIGADA de coração.

Hoje estarei no programa Opinião, da rádio 93FM (norte/nordeste/litoral da Bahia, Salvador, Aracaju), às 18h, apresentado por Marcelo Oliveira, Cláudio Pinto e Marconi William.

Para ouvir, você liga seu rádio e sintoniza na 93FM; ou acessa o site www.93fmbahia.com

Não perca o programa de hoje!!!

E não deixe de mandar sua opinião, suas dúvidas, sugestões, críticas, dicas, comentários para contato@danielebarreto.com.br; ou poste aqui no blog, Facebook, Instagram ou Twitter. ;-) Nossa hastag é #DanyNoProgramaOpinião93FM.

Bjs, Dany.


02
abril
2014
Não perca comentário hoje na rádio 93FM, às 18h

Bom dia, meus amigos!

Hoje faço mais um comentário político no programa Opinião, da rádio 93FM (norte/nordeste/litoral da Bahia, Salvador, Aracaju), às 18h, apresentado por Marcelo Oliveira, Cláudio Pinto e Marconi William.

Gostaria de agradecer a todos vocês pela companhia e apoio nesse projeto e explicitar minha alegria em realizá-lo.

Para ouvir, você liga seu rádio e sintoniza na 93FM; ou acessa o site www.93fmbahia.com. 

Não perca o programa de hoje!!!

E não deixe de mandar sua opinião, suas dúvidas, sugestões, críticas, dicas, comentários para contato@danielebarreto.com.br; ou poste aqui no blog, Facebook, Instagram ou Twitter. ;-) Nossa hastag é #DanyNoProgramaOpinião93FM.

Bjs, Dany.


27
março
2014
Coluna “Política à Flor da Pele” de hoje: Marco Civil da Internet

Olá, amigos,

como toda quinta-feira, temos a publicação da nossa coluna “Política à Flor da Pele” em sites e jornais de todo o país.

Abaixo, o artigo de hoje. Não deixem de opinar sobre o “Marco Civil da Internet” aqui no blog e nas redes sociais. Quero saber a opinião de vocês para avançarmos juntos nesse debate.

Ah, leia aqui a íntegra do texto final aprovado.

 Marco Civil da Internet abre porta para controle de conteúdo

Na última terça-feira, os deputados federais aprovaram o projeto de lei projeto 21626/11 conhecido como o “marco civil da internet”, uma espécie de “constituição” sobre o tema. Esse projeto, de iniciativa do Poder Executivo, vem sendo tratado como prioridade pela presidente Dilma e o PT. O texto agora vai agora para votação no Senado e depois para sanção da presidente. O objetivo é trazer regras em relação aos direitos e proibições no uso da internet.

A questão, debatida no Brasil desde 2009, emperrou em alguns pontos mais polêmicos, como a neutralidade da rede, o armazenamento de dados no Brasil e a questão da responsabilidade dos provedores sobre conteúdos produzidos por terceiros. Com a neutralidade da rede se proíbe que os provedores de internet vendam planos diferenciados de tráfego de dados ou que selecionem o conteúdo a ser acessado; por exemplo: vendam planos só com acesso a redes sociais ou a e-mail, ou para baixar músicas. Caso pudessem segmentar o conteúdo, as empresas poderiam vender pacotes de assinatura de internet, inclusive para celular, limitando o acesso a alguns sites, como redes sociais. Isso encareceria o preço para ter acesso às redes sociais pelo celular.

Dilma queria carta branca para regulamentar a neutralidade da rede por decreto presidencial, inclusive para legislar sobre as exceções, o que seria um perigo pois a tal norma não passa pelo Congresso Nacional e valeria mesmo sem consulta a qualquer órgão especializado. Na redação final do projeto, ficou determinado que, para regulamentar o tema, a Presidência deverá ouvir a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e o Comitê Gestor da Internet (CGI).

A presidente também queria o armazenamento de dados no Brasil, usando como argumento as recentes denúncias sobre espionagem pelos Estados Unidos. Tais denúncias vêm sendo levantadas como “desculpa” para um controle que há muito o partido tenta. Não há que se duvidar que, com os dados armazenados em dada centers no Brasil, seria muito mais fácil ao governo adotar medidas de acesso às informações. Mas teve que ceder nesse tema também, caso contrário o PMDB não votaria favoravelmente e o projeto por certo não passaria na Casa.

Embora tenha voltado atrás em duas questões amplamente defendidas pela bancada petista, mesmo assim, o governo saiu vitorioso e abriu uma porta para controle estatal do conteúdo.

E não é difícil perceber isso. Se a intenção do governo fosse apenas implementar melhorias técnicas, não precisava dessa lei. Bastava fazer a Agência Reguladora – já existente – trabalhar impondo sanções às empresas que oferecem um serviço de péssima qualidade e extremamente lento no Brasil.

A intenção é interferir no conteúdo, no que o cidadão acessa.

Os defensores do projeto, dizem que essa lei vai assegurar a liberdade. Mas a gente já tem liberdade. Hoje você acessa o site que você quiser, escreve o que quiser, opina, se manifesta nas redes sociais livremente. Ademais, o arcabouço jurídico que possuímos, a começar pela própria Constituição da República, já assegura liberdade de expressão e manifestação. Em caso de excesso e crimes, bastaria acionar a Justiça invocando regras como o Código Penal e Código Civil, que já dispõem sobre a proteção penal e civil daqueles que venham a sofrer danos morais e materiais. Então, para que mexer nisso, com tantos problemas maiores no país a se resolver?

Agora, o que não podemos deixar de perceber é que o projeto é uma iniciativa de um governo que não gosta de ser criticado, que reage muito mal às observações negativas feitas pelos meios de comunicação e cidadãos livres, e que hoje a internet é o principal meio de divulgação para quem se opõe a ele; isso por que a maioria das demais mídias (rádio, TV) vive de publicidade oficial e se curva a elogiar o governo para não perder sua principal fonte de recursos. Nesse cenário, não é difícil perceber que a internet se torna um “problema” para quem tem planos de se perpetuar indefinidamente no poder.

Com a chancela da Câmara dos Deputados, onde tem maioria, o governo acaba de abrir uma porta para controlar o conteúdo na internet, onde a liberdade nos países democráticos é absolutamente ampla e irrestrita. 

Na terça-feira, após a aprovação, percebemos alguns defensores do projeto afirmarem que o Brasil será pioneiro, que sai na frente com uma legislação que  traça regras para o tema. Olha, se nenhum outro país que preze pela democracia tem apresentado projetos dessa natureza, para mim, a aprovação do “Marco Civil” ontem é motivo de preocupação e não comemoração.

Daniele Barreto é advogada, consultora política, blogger e colunista. Escreve na página www.danielebarreto.com.br


26
março
2014
Comentário político na rádio 93FM, sobre o “Marco Civil da Internet” – 26.03.14

Olá, amigos, ontem foi aprovado na Câmara dos Deputados o projeto de lei do “Marco Civil da Internet”, que agora segue para votação no Senado e posterior sanção presidencial.

O projeto foi tema do comentário político que fiz hoje na rádio 93FM, às 18h, no programa Opinião.

Para ouvir, clique no link: http://danielebarreto.com.br/?p=3925

E vocês, possuem opinião formada sobre o assunto?

Abraços.


01
março
2014
Resumo Político de janeiro: assuntos mais comentados no Facebook

Olá, genteee,

olha, fevereiro acabou, as águas de março já estão jogando duro aqui em Salvador, e nós vamos fazer aquela sopinha quente pra esquentar o corpo retrospectiva dos fatos políticos mais babado, confusão e gritaria comentados em janeiro (estamos atrasados um mês porque em janeiro eu estava com preguiça não tive tempo para lavar o cabelo postar, ok? ;-) ).

Vou colocar os assuntos mais comentados em “print”, mas se você quiser comentar, pode entrar lá na página do Face e paquerar minhas amigas solteiras deixar sua opinião, ok?

Vamos lá:

(leia mais…)


27
fevereiro
2014
STF absolve mensaleiros por formação de quadrilha

Boa noite, gente,

Dirceu, Genoíno, Delúbio e outros mensaleiros foram absolvidos hoje pelo crime de formação de quadrilha, pelo STF.

Para expressar meu sentimento diante da decisão, fico com as palavras da amiga Geísa Bião:

“O presidente do STF lamenta, e eu desespero, enquanto cidadã, professora de Direito Penal, muitas vezes “espremida” pelos alunos, que querem explicações (com toda razão) sobre absurdos como esses… Dizer o quê de ensinar uma matéria, hoje, aplicada 90% das vezes à grande massa estigmatizada? Revoltada… Se o STF, por conveniência, decide contrário às provas dos autos, o que se pode esperar dos demais tribunais? O que nós, profissionais do Direito, estamos fazendo, então, ao estudarmos/aplicarmos/ensinarmos leis que não são cumpridas pelo tribunal que, reza a lenda, foi criado para proteger a Constituição?”


25
fevereiro
2014
Artigo publicado no portal Brasil 247: Secretário Municipal se ressente do fim dos “pelourinhos”

Bom dia, amigos,

Passei uns dias viajando, desligada do mundo, não por vontade, mas pela péssima conexão da TIM no local onde eu estava. Ontem, ao acessar alguns sites para saber as novas da política nessa semana de folia momesca, tomei um susto: há quem se ressinta pelo fim dos pelourinhos.

E quem se ressente é um gestor público ocupante de um dos mais importantes cargos na terceira maior capital do país.

Não escrevi sobre o assunto de imediato por acreditar que a minha inicial indignação ao ler a declaração do indivíduo não seria boa companheira das letras. Esperei-a passar.

Não passou! …
Hoje escrevi um artigo sobre o assunto que foi publicado no portal Brasil 247/Bahia.

Leia no link http://www.brasil247.com/ ou abaixo:

O grave ressentimento do fim dos pelourinhos

Na última semana, ao acessar portais de notícias para informar-se sobre as novas da política ou inteirar-se da folia momesca, o internauta mais atento percebeu que há quem se ressinta do fim dos “pelourinhos”. E quem se ressente é um gestor público ocupante de um dos mais importantes cargos na terceira maior capital do país.

O secretário municipal da Fazenda, Mauro Ricardo, durante entrevista a uma rádio, afirmou – ao ser questionado sobre a demora na cobrança de que está devendo IPTU – que: “Antigamente se botavam as pessoas no pelourinho para poder pagar as suas dívidas. Infelizmente hoje não é mais assim. Hoje é a Justiça. É a Justiça quem define e o prazo; o prazo é estabelecido pela Justiça.”

A parte se tratar de uma frase debochada, infame, sarcástica, merecedora de todo repúdio possível e de extremo mal gosto, o secretário demonstra, no mínimo, desconhecimento da história da terra que o acolheu como gestor e falta do – tão necessário a quem pleiteia a cadeira na qual se encontra sentado – bom senso.

Primeiro: não, secretário, não eram simplesmente açoitados “devedores” no pelourinho. Tampouco os de “IPTU”. Não pretendo – nem vou – dar aula de história a quem já se tem por certo ser escolarizado (e muitíssimo bem, caso contrário não teria ocupado os cargos de: auditor fiscal da Receita Federal, Secretário Municipal de Finanças na gestão do prefeito José Serra, Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, secretário da Fazenda no governo Kassab, Presidente da Companhia de Saneamento de Minas Gerais, Presidente da Fundação Nacional de Saúde), mas vale avisar ao gestor que eram martirizados homens e mulheres negros, vítimas de todo tipo de barbárie física e psicológica, submetido a sevícias sexuais de toda ordem e chicoteados até a morte. Motivo? Certamente não eram as suas “dívidas do IPTU”, mas o “bel prazer” de gente poderosa (quem sabe até de muitos “fazedores de justiça” que não aceitariam, se submetidos na época, obedecer aos ditames das leis e aos prazos).

É absolutamente chocante que alguém declare “ressentimento” pelo não uso de tais práticas nos dias de hoje. E eu não estou exagerando, nem deturpando o que foi dito pelo gestor. Não! Caso ele afirmasse o uso da prática, eu poderia não concluir tal ressentimento. Mas ao utilizar a expressão “infelizmente” ele demostra claramente “ressentimento” pelo desuso do tronco e do chicote.

Sim, por que se alguém diz que “infelizmente” não pode amarrar um ser humano no tronco e açoitar – seja lá por que motivo – como se inanimado fosse, está, por óbvio, assumindo sua insatisfação com a extinção da prática. Não há outra interpretação. Ou há outro significado para “infelizmente” que eu desconheço?

Vejam só…

Que na Bahia existem ainda hoje muitos coronéis, sabe-se.

Que muitos deles sobrevivem mandando e desmandando na política baiana, sabe-se.

Que ainda há muitos nutrindo uma relação de “escravo X senhor” com seus funcionários em suas casas, fazendas, gabinetes etc, sabe-se.

Que muitos deles circundam o Secretário citado e frequentam os mesmos corredores que ele, sabe-se.

Mas o que não sabíamos é o desconhecimento de história, o ímpeto sarcástico e a falta de trato de alguém com tão vasto currículo e habilidade/proximidade com o poder…

O secretário já enviou nota à imprensa alegando que seu comentário não teve cunho racista ou preconceituoso e que se tratou de um erro. É o que se esperava dele, é o de praxe: nota na imprensa, gerenciamento de crise de imagem e, nos próximos dias, algumas ações que nos façam esquecer o “mal entendido”. Isso é o óbvio quando um gestor comete um equívoco desta natureza e grandeza.

Mas uma “nota-de-praxe” não minimiza nem retira o caráter preconceituoso e debochado da afirmação proferida ao vivo. Não dá para apagar com uma “nota” o desrespeito dito em bom som. Não dá pra aceitar “gerenciamento de crise de imagem” quando o que se está questionando é uma postura inadequada de um gestor pago mensalmente com nossos impostos para tratar, com o mínimo de seriedade e respeito exigíveis, as questões públicas.

O fato é que é absolutamente intolerável que qualquer pessoa deboche da escravidão e dos hediondos castigos corporais que mutilaram aos milhares e levaram muitos à morte. Em se tratando de um gestor qualificado e a frente de uma pasta com tamanha responsabilidade, a afirmação e qualquer levante de defesa ou tolerância são ainda mais chocantes.

Ah, e como se não bastasse o desrespeito ao povo baiano (não só ao negro, mas a todo e qualquer baiano que tenha o mínimo de decência diante da história), ele também – com sua frase agora posta como “simples erro” – joga a população contra a Justiça, como se nela residisse todo o mal pela não cobrança aos inadimplentes. Como se em prazos e trâmites jurídicos residisse o não recebimento dos valores devidos pelos cidadãos que não honram com a obrigação de pagar o IPTU.

Eu já fui Procuradora Geral de um município, Alagoinhas – é certo que não com a dimensão e os problemas de Salvador -, mas sei que a questão da cobrança de inadimplentes não é bem como o Secretário afirmou. Há alternativas viáveis – jurídicas e administrativas – para cobranças mais adequadas do que informou ironicamente o carioca.

Mas é óbvio que esse não é o caminho mais rápido para encher os cofres de uma prefeitura de dinheiro. Dá resultados muito mais rapidamente aumentar a alíquota de IPTU sem critérios – apertando o cinto do bom pagador – e jogar a culpa na impossibilidade de chicotear e na ausência de uma Justiça célere – pra, no fundo, no fundo, justificar ineficiência estatal e pôr a “culpa” em outro Poder, nesse caso o Judiciário (ou mesmo passar a mão na cabeça do mal pagador, que, me regra não é o pobre, mas grandes empresários que contratam advogados tributaristas caros para se esquivar de seus obrigações).

Deixo, como cidadã e pagadora de impostos (sem um único dia de atraso), uma sugestão ao Secretário recém-desembarcado em terras baianas: mais seriedade no trato com a história e com o bolso do soteropolitano.


20
fevereiro
2014
Coluna “Política à Flor da Pele” de hoje: Os 05 passos para fiscalizar a cota parlamentar dos deputados federais

Olá, amigos,

a coluna “Política à Flor da Pele” desta semana já está no ar:

Leia aqui:

Os 05 passos para fiscalizar a cota parlamentar dos deputados federais

O texto é de hoje é um tutorial explicando como fiscalizar a cota parlamentar dos deputados federais.

A ideia surgiu da seguinte forma: eu JÁ faço isso há anos. Sempre que tenho um tempinho, corro para o site da Câmara dos Deputados e fuço como está sendo gasta a verba de gabinete e cota parlamentar de alguns deputados federais. No início, não é fácil fiscalizar os deputados pelo site (ninguém acha que políticos facilitariam nosso trabalho com uma página simples, né? #sonho), então tive que acessar muitas vezes, gastar horas e horas para conseguir descobrir direito quais informações conseguiria através da página… Com o tempo, fui pegando a “manha” e hoje já entro rapidinho e consigo levantar as informações que quero/preciso.

Por sempre fazer isso, já tinha MUITAAA vontade de dividir com vocês os “macetes” de como conseguir fazer a fiscalização. Então, pesquisei e vi que simplesmente NÃO existe um foto tutorial na história da internet brasileira que ajude os cidadãos que querem realizar a fiscalização. EURECA! rsrs Logo corri aqui para o blog para fazer um post nesse formato para ajudar cada um de vocês a fiscalizar seu deputado (caso ele tenha sido eleito) ou qualquer outro.

Vale chamar atenção: se o deputado que você votou na última eleição ganhou, aproveite para dar uma checada no que ele andou fazendo nesses anos todos com a verba de gabinete dele. Mas, lembre-se que, tendo ele sido eleito ou não, você terá que votar no próximo outubro e é bom que, desde já, comece a buscar informações sobre seu candidato a deputado federal. Se você pretende votar em alguém que JÁ TEM MANDATO, fuçar a verba de gabinete e/ou cota parlamentar dele é uma boa forma de adquirir algumas informações, tá certo?

Esse é um post inicial para avaliarmos como estão gastando a cota para exercício da atividade parlamentar.

Na próxima semana, vou escrever post sobre o que é e como gastam a verba de gabinete. (lembrando que esses dois valores não são tudo que os deputados recebem, há outros tantos benefícios – vamos falar sobre todos, suas diferenças e no que podem ser aplicados.) (leia mais…)


02
fevereiro
2014
Foto tutorial: 05 passos para fiscalizar a cota parlamentar de deputados federais

Oi, amigos, tudo bem?

Hoje trago um post mais do que especial para vocês: o passo-a-passo para que você possa fiscalizar seu deputado federal.

A ideia surgiu da seguinte forma: eu JÁ faço isso há anos. Sempre que tenho um tempinho, corro para o site da Câmara dos Deputados e fuço como está sendo gasta a verba de gabinete e cota parlamentar de alguns deputados federais. No início, não é fácil fiscalizar os deputados pelo site (ninguém acha que políticos facilitariam nosso trabalho com uma página simples, né? #sonho), então tive que acessar muitas vezes, gastar horas e horas para conseguir descobrir direito quais informações conseguiria através da página… Com o tempo, fui pegando a “manha” e hoje já entro rapidinho e consigo levantar as informações que quero/preciso.

Por sempre fazer isso, já tinha MUITAAA vontade de dividir com vocês os “macetes” de como conseguir fazer a fiscalização. Então, pesquisei e vi que simplesmente NÃO existe um foto tutorial na história da internet brasileira que ajude os cidadãos que querem realizar a fiscalização. EURECA! rsrs Logo corri aqui para o blog para fazer um post nesse formato para ajudar cada um de vocês a fiscalizar seu deputado (caso ele tenha sido eleito) ou qualquer outro.

Vale chamar atenção: se o deputado que você votou na última eleição ganhou, aproveite para dar uma checada no que ele andou fazendo nesses anos todos com a verba de gabinete dele. Mas, lembre-se que, tendo ele sido eleito ou não, você terá que votar no próximo outubro e é bom que, desde já, comece a buscar informações sobre seu candidato a deputado federal. Se você pretende votar em alguém que JÁ TEM MANDATO, fuçar a verba de gabinete e/ou cota parlamentar dele é uma boa forma de adquirir algumas informações, tá certo?

Esse é um post inicial para avaliarmos como estão gastando a cota para exercício da atividade parlamentar.

Na próxima semana, vou escrever post sobre o que é e como gastam a verba de gabinete. (lembrando que esses dois valores não são tudo que os deputados recebem, há outros tantos benefícios – vamos falar sobre todos, suas diferenças e no que podem ser aplicados.)

Chega de papo e vamos “aos finalmente”:

O primeiro passo é: acessa o site da Câmara dos Deputados: 

Portal da Câmara dos Deputados

Vai abrir a seguinte página:

Quando abrir a página, você deve procurar a aba “Deputados” e colocar o mouse em cima.

Após, aparecerá uma série de tópicos, clique em “Conheça os deputados”.

Vai abrir a página abaixo, na qual você poderá escolher o estado, partido políticos e pesquisar os deputados relacionados ao filtro escolhido. Caso você queira pesquisar todos os deputados de um determinado partido, ou saber quais os deputados de um estado específico, sugiro que utilize esses filtros.

Mas, no nosso caso, vamos pesquisar diretamente pelo nome. Assim, você deve colocar o cursor em “Escolha o deputado” e escolher na lista que aparece. Eu escolhi o primeiro nome. Depois, é só clicar em “Pesquisar”. Veja indicação abaixo: 

Agora, está aberta em sua frente a página do deputado federal cuja cota parlamentar você pretende pesquisar. Nessa página, há uma série de informações úteis, mas vamos ao local onde você vai abrir os gastos referentes à verba (local indicado pelo cursor na foto abaixo), clique em “Cota Parlamentar”:

Pronto. Abrirá a página abaixo, onde você poderá pesquisar mês a mês os gastos com a cota parlamentar do deputado. Escolha o mês e ano, clique em “Listar” e verá todos os gastos daquele período (apresentados em notas fiscais para ressarcimento).

Eu escolhi o mês 11 (novembro) de 2013 e abriu o descritivo abaixo:

Você pode ir avaliando mês a mês e clicando em “Detalhar todas as despesas”, quando poderá consultar os CNPJ’s das empresas que receberam o dinheiro.

UFA! Bastante conteúdo, né? Sei que é difícil no começo, até porque o dia-a-dia nos impõe pouco tempo para dedicarmos a ações como essas, mas é imprescindível que tenhamos ânimo e vontade cidadã para fazer a nossa parte. E isso não se restringe apenas a votar, mas também acompanhar o exercício dos mandatos dos nossos representantes. 

Espero que o post possa ajudar vocês.

Deixem os comentários aqui, no Face ou Twitter. Podem enviar dúvidas, sugestões de assuntos para postagens, informações adicionais, críticas… fiquem a vontade. :-)

E… MÃOS A OBRA!!! Vamos utilizar bem essa ferramenta de exercício da cidadania. (leia mais…)


21
janeiro
2014
O medo causado pela inteligência

Olá, amigos,

esses dias no Twitter, recebi uma indicação de um amigo, Luiz Frederico, de Brumado, que eu lesse o texto “O medo causado pela inteligência”. Eu li e não poderia deixar de compartilhar com vcs. :-) Nem vou tecer nenhum comentário, nem vou dizer (rs) o quanto tenho, cada vez mais, no trabalho diário com políticos, me identificado com o que está escrito aqui.

O medo causado pela inteligência

José Alberto Gueiros

Quando Winston Churchill, ainda jovem, acabou de pronunciar seu discurso de estréia na Câmara dos Comuns, foi perguntar a um velho parlamentar, amigo de seu pai, o que tinha achado do seu primeiro desempenho naquela assembléia de vedetes políticas.

O velho pôs a mão no ombro de Churchill e disse, em tom paternal:

– “Meu jovem, você cometeu um grande erro. Foi muito brilhante neste seu primeiro discurso na casa. Isso é imperdoável. Devia ter começado um pouco mais na sombra. Devia ter gaguejado um pouco. Com a inteligência que demonstrou hoje, deve ter conquistado, no mínimo, uns trinta inimigos. O talento “assusta.”

E ali estava uma das melhores lições de abismo que um velho sábio pode dar ao pupilo que se inicia numa carreira difícil.

A maior parte das pessoas encasteladas em posições políticas é medíocre e tem um indisfarçável medo da inteligência.

Isso na Inglaterra. Imaginem aqui no Brasil.

Não é demais lembrar a famosa trova de Ruy Barbosa:

“Há tantos burros mandando em homens de inteligência que às vezes fico pensando que a burrice é uma ciência”.

Temos de admitir que, de um modo geral, os medíocres são mais obstinados na conquista de posições.

Sabem ocupar os espaços vazios deixados pelos talentosos displicentes que não revelam o apetite do poder.

Mas é preciso considerar que esses medíocres ladinos, oportunistas e ambiciosos, têm o hábito de salvaguardar suas posições conquistadas com verdadeiras muralhas de granito por onde talentosos não conseguem passar.

Em todas as áreas encontramos dessas fortalezas estabelecidas, as panelinhas do arrivismo, inexpugnáveis às legiões dos lúcidos.

Dentro desse raciocínio, que poderia ser uma extensão do Elogio da Loucura de Erasmo de Roterdan, somos forçados a admitir que uma pessoa precisa fingir de burra se quiser vencer na vida.

É pecado fazer sombra a alguém até numa conversa social.

Assim como um grupo de senhoras burguesas bem casadas boicota automaticamente a entrada de uma jovem
mulher bonita no seu círculo de convivência, por medo de perder seus maridos, também os encastelados medíocres se fecham como ostras à simples aparição de um talentoso jovem que os possa ameaçar. 

Eles conhecem bem suas limitações, sabem como lhes custa desempenhar tarefas que os mais dotados realizam com uma perna nas costas, enfim, na medida em que admiram a facilidade com que os mais lúcidos resolvem problemas, os medíocres os repudiam para se defender.

É um paradoxo angustiante.

Infelizmente temos de viver segundo essas regras absurdas que transformam a inteligência numa espécie de desvantagem perante a vida.

Como é sábio o velho conselho de Nelson Rodrigues:
“Finge-te de idiota e terás o céu e a terra”.

O problema é que os inteligentes gostam de brilhar.

 

  • Gostaram do texto? Bjs.


24
dezembro
2013
Retrospectiva 2013: “Dany Barreto Entrevista”

Olá, genteee, tudo bem?

Inicialmente, gostaria de deseja um Feliz Natal a todos!!! Que essa data imprima em nossa vida o verdadeiro significado do nascimento de Cristo e nos marque como um momento de renovação dos bons sentimentos!!!  [noel] [arvore] [angel]

Hoje, como não poderia deixar de ser, teremos dois posts muito especiais. O primeiro: uma retrospectiva do “Dany Barreto Entrevista” – nossa série de entrevistas a políticos de projeção nacional iniciada em 2013 e que vem fazendo sucesso na web.  [cool][felizdemais] A série teve repercussão em sites, jornais e blogs que noticiaram seu lançamento; bem como teve seu conteúdo publicado nos 30 jornais e sites da coluna “Política à Flor da Pele”.

Quando idealizei a série, imaginei-a como uma oportunidade de entrevistar alguns dos políticos com mais relevante atuação no cenário político nacional, e como uma possibilidade de perguntarmos di-re-ta-men-te a eles todas as dúvidas e fazermos todas as cobranças que temos como cidadãos. Sabe aquelas perguntinhas ácidas [bravo] que ninguém tem coragem de fazer a grandes políticos? hahaha Então, são essas que fazemos aos “caras”!

Esse ano, foram 03 grandes entrevistados e o debate político “pegou fogo” nos posts da série nas redes sociais. Por isso, resolvi fazer uma retrospectiva das entrevistas contando algo novo: o que me levou à escolha por essas três figuras.

O primeiro entrevistado foi o Senador Randolfe Rodrigues.

Filiado ao PSOL do Amapá, Randolfe é professor universitário, formado em história e Direito, elegeu-se em 1998 e 2002 deputado estadual do Amapá. Em 2010 foi o senador mais votado do estado com 203.259 votos, o mais jovem integrante do Senado na atual legislatura. Desde que chegou à Casa, marcou presença com posicionamentos firmes e sua atuação o rendeu prêmios em várias categorias do “Congresso em Foco 2012“: “Parlamentar de Futuro” (eleito pelos internautas); Combate ao Crime Organizado; Defesa da Democracia; e da Segurança Jurídica e Cidadania (nas três categorias eleito pelos jornalistas). Na entrevista, Randolfe falou da atuação do seu partido no Congresso Nacional, da relação com a presidente Dilma e de vida pessoal. Também destacou seu ingresso na militância estudantil, um exemplo e referência a ser seguido por todo jovem que pretende ingressar na política partidária.  [palmas]

Leia entrevista na íntegra: http://danielebarreto.com.br/2013/07/16/dany-barreto-entrevista-o-senador-randolfe-rodrigues/

O segundo entrevistado foi o Senador Álvaro Dias.

Filiado ao PSDB do Paraná, é maior opositor dos governos petistas de Lula e Dilma. Ex-vereador de Londrina (PR), ex-deputado estadual, ex-deputado federal (obteve a maior votação proporcional da história do Paraná, foi eleito Senador em 1982 (foi Vice- líder do PMDB), Álvaro foi eleito governador em 1986 com 72% dos votos válidos (apontado pelo Data Folha o governador mais popular do país). Em 1998, retorna ao Senado – desta vez com 65% dos votos -, oportunidade na qual presidiu duas Comissões Parlamentares de Inquérito: a CPI do Futebol e a CPMI da Terra. Membro titular das CPIs dos Bingos e dos Correios).  [palmas]Vence as eleições para o Senador em 2006, pela terceira vez. Foi escolhido pelo “Congresso em Foco” o melhor Senador do país. Foi eleito vice-presidente do Senado Federal e, em julho de 2007, recebeu em San Diego, na Califórnia, o diploma de Doutor honoris causa em Administração Governamental (Doctor of Government Administration) pela Southern States University. Recebeu o Prêmio do Mérito Legislador 2008. Em 2009, propôs a criação da CPI da Petrobras, passando a ser titular da comissão, assim como da CPI das ONGs e da CPI dos Cartões Corporativos. Em 2010, foi relator das mudanças na Lei Pelé. Hoje, Álvaro Dias conversa conosco sobre o Mensalão e as disputas internas do PSDB pela indicação do candidato a Presidente da República. Na entrevista, além do início da trajetória política, ele destacou sua atuação no Senado e criticou programas do governo.

Vale a pena ler a entrevista na íntegra: http://danielebarreto.com.br/2013/09/19/dany-barreto-entrevista-o-senador-alvaro-dias/

O terceiro entrevistado foi o deputado federal Cândido Vaccarezza.

Filiado ao PT de São Paulo, um dos maiores articuladores do partido e coordenador do Grupo de Trabalho da Reforma Política.  É considerado o um dos políticos mais influentes do Congresso Nacional, conforme atesta pesquisa feita pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar, figura na lista dos “melhores deputados” do Prêmio Congresso em Foco, foi líder do governo na Câmara, sendo responsável por viabilizar os planos Brasil sem Miséria e Brasil Maior, a política de aumento real do salário mínimo, o Super Simples Nacional, o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego – Pronatec, o Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos (Funpresp), o marco civil da internet e a prorrogação da Desvinculação de Receitas da União (DRU). Fundador do PT, já exerceu diversos cargos na direção nacional e estadual. Vaccarezza, na entrevista, falou das ações do governo Dilma e da sua atuação frente ao Grupo que estuda e elabora a Reforma Política.  [palmas]

Leia entrevista de Vaccarezza na íntegra: http://danielebarreto.com.br/2013/10/09/dany-barreto-entrevista-o-deputado-federal-candido-vaccarezza/

O “Dany Barreto Entrevista” voltará em 10 de março de 2014, logo depois do Carnaval – que é quando vamos encontrar assessoria de políticos disposta a viabilizar entrevistas, né? hahahaha  [pulapula] Brincadeirinha! Na verdade, voltará nessa data totalmente repaginado, com novo layout e uma nova forma de entrevistar, com mais participação, mais interatividade e com perguntas dos internautas. Como se trata de ano eleitoral, o “Dany Barreto Entrevista” será um canal direto do INTERNAUTA com os POLÍTICOS! [feliz]

Participe! Não deixe de mandar suas sugestões de entrevistados, suas perguntas e críticas.

 [edit] Quais políticos vocês gostariam que eu entrevistasse?

Então, não perca: nosso encontro está agendado e confirmado para o dia 10/03/2014!  [relogio] (leia mais…)


21
novembro
2013
Coluna “Política à Flor da Pele”: País de ‘faz-de-contas’…

Oi, genteeee,

vamos à coluna “Política à Flor da Pele” de hoje? O texto está abaixo, mas convido você a acessar a lista de jornais e sites parceiros da coluna para acompanhar as publicações também no veículo do seu estado/região. Clique AQUI  e leia a coluna “Política à Flor da Pele” em um dos veículos parceiros”. Já são 30 parceiros em todo o país.

 

País de ‘faz-de-contas’…

Era uma vez um país chamado Brasil…

Olha, não tem como começar a coluna de hoje sem lançar mão desse manjadíssima frase que inicia dez entre os dez mais belos contos de princesas e castelos pelo mundo afora. Mas, utilizo-o para trazer uma história sem princesas e sem castelos, mas com muita fantasia. Para ser mais exata, uma “fantasia coletiva” chamada Brasil.

E não são raros os casos de “fantasia coletiva” no país.

A gente faz de conta que o presidente da Câmara dos Deputados não está envolvido numa série de escândalos e, por isso, em qualquer país minimamente sério, – no mínimo – não teria legitimidade para ocupar o cargo. Fazemos de conta que o presidente do Senado, Renan Calheiros… (ah, sobre Renan não vou nem falar, gente; deu preguiça). Fazemos de conta que basta uma Reforma Política para resolver todos os problemas morais (que resistirão a mais dura e complexa mudança no ordenamento jurídico pátrio) que envolvem nossas eleições. E fazemos de conta que que nosso Congresso tem legitimidade para fazer uma Reforma Política.

Para fazer de conta que o povo está saindo da miséria, por exemplo, temos um jeitinho muito nosso: diminuir os valores da faixa de renda per capita considerada ‘classe média’ e ‘alta’. E para fazer de conta que temos altos índices de alfabetização, passamos de ano todos os alunos sem condição para tanto, de forma indiscriminada; afinal, para um país ser mesmo de ‘faz-de-conta’ tem que apresentar números e não resultados. Fazemos de conta que que não somos um país de analfabetos funcionais. Fazemos de conta que problemas sociais relacionados à juventude, idosos, negros e homossexuais se resolvem com estatutos e curas.

Fazemos de conta que todos os problemas da saúde pública estão resolvidos com importação de médicos cubanos. Fazemos de conta que Obama está preocupado com o eleitoreiro discurso de Dilma sobre a espionagem americana. Fazemos de conta que propaganda institucional é fonte de informação sobre os governos. Fazemos de conta que não sabemos que as maiores redes de comunicação sobrevivem dos valores pagos pelos governos a título de publicidade oficial, o que termina por comprometer – nesse país que não prima pela ética – os programas jornalísticos. Fazemos de conta que não compreendemos que os discursos oficiais são elaborados por bem estruturadas e talentosas equipes de marketing político. Fazemos de conta que a Justiça funciona e sua morosidade não compromete as decisões e o próprio Poder. 

E porque estou falando isso, hoje?

Nesta madrugada, o Congresso Nacional anulou a sessão do Senado de 2 de abril de 1964, que declarou vago o cargo de presidente da República. Explicando melhor: o senador Pedro Simon apresentou no Senado um projeto de resolução que torna sem efeito a sessão que declarou a vacância da Presidência da República naquela data. Na sessão, entendeu-se que João Goulart havia abandonado o país, mas na verdade ficou comprovado que ele estava no Rio Grande do Sul. Sendo assim, Pedro Simon (a quem tenho grande admiração), visa anular a destituição do então presidente.

O que nosso Congresso fez na noite passada foi… NADA! Ops, foi anular a sessão citada com o argumento técnico de que João Goulart estava no Rio Grande do Sul e, portanto, a decisão de destituí-lo da Presidência da República não poderia ter sido tomada.

Pronto! Já botamos Jango de volta no cargo de Presidente.

Agora, a gente anula os atos da Ditadura e faz de conta que ela nunca existiu. Aí, fica tudo resolvido, né?!

(leia mais…)


10
outubro
2013
Recordação: Participação no Programa Tribuna Independente (Rede Vida)

Olá, genteee, hoje vai rolar “momento recordação” aqui no blog! hahahaha Eu estava olhando umas fotos de 2011 e resolvi fazer esse post sobre o programa Tribuna Independente que participei no dia 09 de junho de 2011, na REDEVIDA de Televisão, sobre o livro da conceituada biógrafa Regina Echeverria: “Sarney, a Biografia”.

O convite para participar do programa como Consultora Política – debatendo o tema com a escritora do livro e o editor – partiu do prof. Dr. Humberto Dantas, com o qual fiz cursos de iniciação política, marketing político, partidos políticos em São Paulo (na Fundação Mário Covas, na Fundação Konrad Adenauer – ele também leciona na USP e na Escola de Sociologia e Política). Mas esse estudo sobre a biografia de Sarney começou com o curso “Jornalismo Cultural” que fiz na Cásper Líbero, sob a orientação do queridíssimo Daniel Piza (in memorian), na época Diretor Executivo do Jornal Estadão. Para avaliação de final de curso, deveríamos escrever uma resenha sobre alguma obra, livro, espetáculo, filme, CD, DVD… algo ligado à cultura! Como não me dou e sempreeee tenho que falar de política, resolvi escrever sobre o livro da Regina (recém lançado na época).

No texto, defendi a biografia de Sarney como sendo uma possibilidade histórica de obtermos a versão “dele” (não é auto-biografia, mas é biografia autorizada) sobre os fatos mais importantes da nossa história republicana. E todo direito ele tem de expressar suas versões e toda obrigação nós – que gostamos ou trabalhamos com a política – temos de ler e entender um pouco mais do que se passa na mente do maior personagem vivo da nossa história (sim, maior, porque a ele se renderam TODOS os presidentes desde o seu ingresso na política). Após conhecer meu estudo sobre a biografia do maranhense, o professor Humberto Dantas me indicou para participar do programa!

O livro foi publicado pela Editora Leya. LeYa | Mediabooks // Leya Brasil // LEYA – BIS. O âncora do programa foi o Paulo Shimizu Júnior.

Vamos lembrar do programa com algumas fotos?

Clique em “Leia mais” e veja mais fotos do programa. (leia mais…)


09
outubro
2013
Dany Barreto Entrevista… o deputado federal Cândido Vaccarezza

Hoje no “Dany Barreto Entrevista” conversamos com o deputado federal Cândido Vaccarezza, do PT de São Paulo, um dos maiores articuladores do partido e coordenador do Grupo de Trabalho da Reforma Política.  É considerado o um dos políticos mais influentes do Congresso Nacional, conforme atesta pesquisa feita pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar, figura na lista dos “melhores deputados” do Prêmio Congresso em Foco, foi líder do governo na Câmara, sendo responsável por viabilizar os planos Brasil sem Miséria e Brasil Maior, a política de aumento real do salário mínimo, o Super Simples Nacional, o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego – Pronatec, o Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos (Funpresp), o marco civil da internet e a prorrogação da Desvinculação de Receitas da União (DRU). Fundador do PT, já exerceu diversos cargos na direção nacional e estadual.

 

* Militância e trajetória política

Colunista: Deputado, você é baiano e médico, tendo se mudado para São Paulo para fazer residência. Como se deu o ingresso na política na capital paulista?

Vaccarezza: Quando vim para SP eu já era filiado ao PT, pela Bahia. Fui eleito pelo primeiro diretório regional do PT Baiano, mas renunciei porque me mudei. Vim completar o estudo de medicina. Transferi o titulo em 1983.

Colunista: E como você, que um dia protagonizou a re-fundação da UNE – em uma época em que a instituição realizava movimentos importantes – vê hoje a cooptação desta pelo governo federal, se transformando em apenas mais um braço do estado aparelhado?

Vaccarezza: Eu não concordo que a UNE esteja aparelhada pelo governo federal. A diretoria tem tido independência. Na divisão dos royalties, por exemplo, a posição da UNE é uma e do governo é outra.

* Reforma Política e Movimentos

Colunista: Deputado, após as inúmeras manifestações populares, pelo fim da corrupção e por melhor prestação de serviços públicos, o Planalto resolveu realizar uma reforma política. Você acha que este é realmente o clamor das ruas, foi isso que levou milhares de pessoas a se manifestarem por todo o país?

Vaccarezza: Não acho que as ruas pediam uma reforma política, o que dá pra afirmar que existiu um forte clamor na rua: manifestação contra a corrupção, contra o aumento das tarifas de transporte e pela melhoria de qualidade dos serviços públicos quando se dizia padrão Fifa. Ao lado disso, manifestação contra políticos e contra todos os partidos – do Psol ao DEM. Interpretar clamor das ruas como alguns políticos tem feito é tentar colocar nos movimentos bandeiras que não fizeram parte. Acho que existe muita instrumentalização na interpretação do movimentos este ano. (leia mais…)


19
setembro
2013
Dany Barreto Entrevista… o Senador Álvaro Dias

O segundo bate-papo do “Dany Barreto Entrevista” é com o senador Álvaro Dias, do PSDB do Paraná e maior opositor dos governos petistas de Lula e Dilma. Ex-vereador de Londrina (PR), ex-deputado estadual, ex-deputado federal (obteve a maior votação proporcional da história do Paraná, foi eleito Senador em 1982 (foi Vice- líder do PMDB), Álvaro foi eleito governador em 1986 com 72% dos votos válidos (apontado pelo Data Folha o governador mais popular do país). Em 1998, retorna ao Senado – desta vez com 65% dos votos -, oportunidade na qual presidiu duas Comissões Parlamentares de Inquérito: a CPI do Futebol e a CPMI da Terra. Membro titular das CPIs dos Bingos e dos Correios). Vence as eleições para o Senador em 2006, pela terceira vez. Foi escolhido pelo “Congresso em Foco” o melhor Senador do país. Foi eleito vice-presidente do Senado Federal e, em julho de 2007, recebeu em San Diego, na Califórnia, o diploma de Doutor honoris causa em Administração Governamental (Doctor of Government Administration) pela Southern States University. Recebeu o Prêmio do Mérito Legislador 2008. Em 2009, propôs a criação da CPI da Petrobras, passando a ser titular da comissão, assim como da CPI das ONGs e da CPI dos Cartões Corporativos. Em 2010, foi relator das mudanças na Lei Pelé. Hoje, Álvaro Dias conversa conosco sobre o Mensalão e as disputas internas do PSDB pela indicação do candidato a Presidente da República.

* Militância e trajetória política

Colunista: Senador, você iniciou a militância política ainda muito jovem, em Londrina – cidade na qual venceu seu primeiro pleito para vereador. Porque essa opção pela política?

Senador Álvaro Dias: A minha participação na política estudantil foi decisiva na definição dos rumos de minha trajetória. Ao presidir o Diretório Acadêmico Rocha Pombo na Faculdade em Londrina, digamos que foi inoculado o “vírus” da atividade política. Foi essa vivência ainda nos limites do campus universitário que selou meu itinerário na vida pública.

* O Planalto e Eleições 2014

Colunista: Em 1989, você disputou a indicação do candidato do PMDB à presidência da República com Ulysses Guimarães, Waldyr Pires e Íris Rezende. 21 anos depois, viveu alguns meses de indicado a candidato a vice-presidente, na chapa de José Serra, quando teve o nome substituído pelo do ex-deputado inexpressivo Índio. O Planalto é o propósito maior da sua trajetória política?

Senador Álvaro Dias: Não é crível que alguém que ingressou na vida política, detentor de mandato popular, renegue a pretensão de um dia ser alçado pelo voto popular ao cargo de 1º mandatário da nação. Não se trata de uma mera veleidade. É uma postulação lícita. Mas não posso afirmar que tenha sido esse o propósito que me guiou. Jamais atropelei o consenso em busca da imposição de meus eventuais objetivos. A esse respeito me permito invocar o Padre Antônio Vieira: “Mais fácil é unir distâncias e vontades, que casar opiniões e entendimentos.”

Não é crível que alguém que ingressou na vida política renegue a pretensão de um dia ser alçado pelo voto popular ao cargo de 1º mandatário da nação.

Colunista: No final de agosto, José Serra sondou alguns aliados – inclusive você – para discutir a realização de prévias no PSDB visando à escolha do candidato à Presidência da República e afirmou que “Quero conhecer logo o meu candidato a presidente, para que ele possa percorrer o país e mobilizar os nossos filiados.” Falar, em pleno 2013, em mobilizar filiados, com uma militância esquerdista tão aguerrida e há décadas organizada, faz o PSDB parecer um partido que sempre corre atrás de uma inserção na sociedade que ele não consegue alcançar. Está na hora de renovar os quadros do partido e adotar uma postura (mais do que um discurso) de efetiva aproximação com o povo?

Senador Álvaro Dias: Primeiramente, relembro que sou autor de um projeto para disciplinar a realização de eleições primárias para a escolha do candidato à Presidência da República.  Aprovado no Senado, seguiu para Câmara dos Deputados onde já foi apreciado pela Comissão de Constituição e Justiça e aguarda inclusão na ordem do dia. A minha proposta não pretende obrigar os partidos a realizarem eleições primárias, mas, sim, propiciar as condições materiais e institucionais para que os partidos possam optar por fazê-las, mediante a assistência da Justiça Eleitoral que garanta aos partidos e coligações os meios e a lisura necessários ao processo de escolha do seu candidato a Presidente da República. Não há dúvida de que a nossa inspiração é o modelo americano que propicia, a cada quatro anos, o confronto de ideias entre os candidatos do mesmo partido para que possa ser escolhido um que concorrerá à Presidência da República, já tendo as suas idéias sido aprovadas pela maioria dos simpatizantes de sua legenda. (leia mais…)


17
setembro
2013
Bate-papo: “O que nunca te falaram da Política!”

Olá, genteeeee, PRE-PA-RA!!!!!!!!!

Vem aí o bate-papo: “O que nunca te falaram da Política!”

Como vocês sabem, acredito na Educação Política como ÚNICA forma de mudarmos o país! Para isso, precisamos divulgar informações consistentes e, juntos, nos orientarmos quanto às formas de fiscalizarmos e “pegarmos no pé” dos políticos. Essa ideia do bate-papo surgiu em conversa com um ex-professor e visa justamente discutir formas de efetivamente mudarmos o cenário político no Brasil. Assim, montamos um formato de evento no qual os participantes vão poder perguntar livremente sobre qualquer assunto! Tendo em vista que lido há 14 anos com política, acredito que posso falar um pouco não da teoria, mas do que efetivamente ocorre nos bastidores e por detrás dos palanques, gabinetes e holofotes. Não pouparemos nomes e nem deixarei de dizer TODAS  as práticas que nossos gestores, independentemente de partidos políticos, adotam para fazer desse país um lugar com educação de péssima qualidade, índices altíssimos de pobreza, saúde caótica e órgãos públicos carcomidos pela corrupção.

É isso! Chegou a hora de falar! hahaha

Agradeço ao professor Eduardo Teles pelo convite para o bate papo com os alunos do Colégio Dínamo (instituição na qual estudei e nutro profundo carinho), em Alagoinhas (BA)!!! Vai ser DEMAIS!!!  #Cidadania #Política #Democracia#Alagoinhas

Depois conto aqui no blog tudooo que aconteceu no bate-papo com os alunos do colégio Dínamo. (leia mais…)


26
julho
2013
Série de entrevistas é destaque no Jornal Diário Bahia

Obaaa, além da coluna “Política à Flor da Pele”, temos mais post hoje.

Venho dividir com vocês uma alegria: olha quem está no Jornal Diário Bahia: eu! rs Na coluna social da jornalista, publicitária, apresentadora de TV e MINHA AMIGA Manuela Berbert. Uma honra!!! O jornal Diário Bahia circula em Itabuna, Ilhéus e região; e pode ser lido no site DIÁRIO BAHIA.

Você pode acompanhar o trabalho de Manuela no Perfil e FanPage do Facebook, Twitter e Instagram (@manuelaberbert). Aos amigos da região de Itabuna e Ilhéus, indico que assistam sempre o programa Bem Pensado, na TVI, canal 3 ou pela internet às 14h (www.tvitabuna.com.br).

Leia texto na íntegra:

A consultora política Daniele Barreto estreia uma série de entrevistas com os maiores nomes da política nacional em seu blog (www.danielebarreto.com.br) que vem se destacando pela abordagem leve de temas espinhosos da política nacional atraindo leitores de diversas faixas etárias pela interatividade com o aporte nas redes sociais. Natural de Alagoinhas-Ba, Dani é advogada e pós graduada em Direito do Estado, tem especialização em Marketing Político Eleitoral. E reside em Salvador. Jogue duro, Dani.

Comente no Facebook!

Agradeço a Manu de coração pela divulgação da série e pelo carinho!!!! (leia mais…)


26
julho
2013
Coluna “Política à Flor da Pele” – 26/07/13

Oi, genteeee,

vamos à coluna “Política à Flor da Pele” de hoje? O texto está abaixo, mas convido você a acessar a lista de jornais e sites parceiros da coluna para acompanhar as publicações também no veículo do seu estado/região. Clique AQUI  e leia a coluna “Política à Flor da Pele” em um dos veículos parceiros”. Já são 28 parceiros em todo o país.

Coluna “Política à Flor da Pele”
 
Malandro é malandro e mané é mané
Uma historinha pra aprendermos um pouco mais de “política no Brasil” nessa sexta-feira…
Era uma vez um senhor chamado Raimundo Carreiro. Ele era Secretário geral do Senado, quando em março de 2007 apresentou uma identidade na qual constava que ele nasceu em 1946 e tinha 60 anos, podendo aposentar-se pela Casa. A aposentadoria se deu com salário integral – a remuneração bruta alcança hoje R$ 44 mil (sim, senhores, eu não repeti o “4” equivocadamente nãoooo… são R$ 44 mil mesmooo). (leia mais…)


23
julho
2013
Projeto destaque: Tiririca quer ampliar Minha Casa Minha Vida

Olá amigos do blog, tudo bem?

Em maio estreamos uma novidade no blog: o “Projeto de Lei da Semana”. Os posts têm duas peculiaridades: não são semanais, como o nome faz crer, e são dedicado a NÃO falar mal de políticos. hahaha Puxado, né? Mas é possível. Ou quase possível…

É o seguinte: vou sempre publicar texto sobre algum Projeto de Lei (PL) de parlamentares – de todo o país – que efetivamente façam a diferença (em outras palavras: projetos que sirvam pra alguma coisa, né? Porque boa parte… Opa, nada de falar mal nesse post!).

Olha, reclamamos tanto de políticos que exercem seu mandado atuando em prol dos seus próprios interesses pessoais e de bancadas específicas (pra dizer o mínimo), que, ao ver projetos que visam o bem comum, nos espantamos. E são esses os exemplos que traremos aqui no blog nos posts “Projeto de Lei da Semana”.

O primeiro post foi sobre uma iniciativa do deputado federal Roberto Freire (PPS/SP): um PL que propõe vedar a decretação do segredo de justiça em ações instauradas em decorrência de ato ou omissão de agente público em função de seu cargo (LEIA). A publicação do blog teve ampla repercussão no site e redes do deputado (VEJA).

Hoje, trago um PL do deputado federal Francisco Everardo Oliveira Silva (PR/SP). Você nunca ouviu falar nele? Ouviu sim. É o deputado Tiririca! (não ria, o projeto é bom, pô! Juro!)

Projeto do Deputado Tiririca amplia programa Minha Casa Minha Vida

É o seguinte: a Câmara dos Deputados está analisando o Projeto de Lei 5094/13 que estende os benefícios do Programa Minha Casa Minha Vida para a aquisição de trailers e motor-homes usados por populações itinerantes. #AchoDigno

É importante salientar que se trata de grupos que não se enquadram na exigência legal de terem residência fixa para que consigam se beneficiar do programa do governo. Para Tiririca, isso é um absurdo porque se estima 25 mil artistas de circo em atividade no país – pessoas que devem ser beneficiadas também. (leia mais…)


16
julho
2013
Dany Barreto entrevista… o Senador Randolfe Rodrigues

O primeiro bate-papo do “Dany Barreto Entrevista” é com o senador Randolfe Rodrigues, do PSOL do Amapá. Professor universitário, formado em história e Direito, elegeu-se em 1998 e 2002 deputado estadual do Amapá. Em 2010 foi o senador mais votado do estado com 203.259 votos, o mais jovem integrante do Senado na atual legislatura. Desde que chegou à Casa, marcou presença com posicionamentos firmes e sua atuação o rendeu prêmios em várias categorias do “Congresso em Foco 2012“: “Parlamentar de Futuro” (eleito pelos internautas); Combate ao Crime Organizado; Defesa da Democracia; e da Segurança Jurídica e Cidadania (nas três categorias eleito pelos jornalistas).

Militância e trajetória política

Colunista: Eleito senador mais jovem da legislatura, em 2010, o senhor sempre esteve à frente de movimentos estudantis e sociais… Conta pra gente um pouco mais do início de sua trajetória política e quais as suas influências ideológicas. Porque se deu a opção, ainda jovem, pelo ingresso na política partidária?

Senador Randolfe Rodrigues: Nasci na cidade de Garanhuns, em Pernambuco. Depois, mudei-me para o Amapá e, logo no começo da juventude, participei do movimento estudantil, onde iniciei minha carreira política. No início dos anos 90, junto com a geração cara pintada eu comecei a dar os primeiros passos nas frentes de luta do movimento estudantil. No Amapá, eu ajudava a liderar as passeatas pelo Fora Collor, organizava grêmios nas escolas secundaristas e participava de todo tipo de debate político que aparecia pela frente.  Meu pai, Januário Martins, era urbanitário e sindicalista do PT, foi sempre meu incentivador e minha grande inspiração. Mas cedo rompi com a corrente dele e me juntei aos grupos mais à esquerda do partido. Sou formado em história pela Universidade Federal do Amapá e em direito pela faculdade Seama (Associação Educacional da Amazônia), também sou mestre em políticas públicas pela Universidade Estadual do Ceará. Pelo Amapá, fui eleito deputado estadual em 1998 e reeleito em 2002.

Deixei o PT em 2005 para fundar o PSOL no Amapá.

Colunista: Assim que chegou ao Senado, o senhor lançou sua candidatura à presidência contra José Sarney – marcando posicionamento firme contra acordos políticos espúrios quem mantêm caudilhos a frente da Casa que, no ano anterior, 2010, se viu envolta em escândalos que abalaram a já chamuscada imagem dos seus pares. Mas em 2013, você não concorreu e a disputa se deu entre Renan Calheiros e Pedro Taques. O que motivou essas duas decisões: a de concorrer em 2011 – recém chegado – e a de não apresentar seu nome em 2013 – quando já possui mais experiência na Casa? A motivação em 2011 teria sido meramente política, para afrontar seu inimigo histórico no Amapá José Sarney?

Senador Randolfe Rodrigues: Em 2011 existia um falso consenso estabelecido e ninguém queria se insurgir contra a candidatura de Sarney. Minha candidatura foi para denunciar esse falso consenso, e apresentar um contraponto ao que representava a candidatura de Sarney. Para dizer que não estava tudo bem. O senado tinha passado por uma gravíssima crise, notadamente com o que ocorreu relacionado aos atos secretos, e a sociedade brasileira não aprovava esse episódio. Eu, em nome do meu partido, o PSOL, apresentei um programa alternativo ao Senado. Esta minha candidatura do PSOL em 2011, encorajou outros senadores de outros partidos em 2013. Vi que o nome do Senador Pedro Taques, reunia as mesmas condições que eu em 2011. Por isso, entendi que a candidatura de Taques me representava.

Manifestações pelo Brasil

Colunista: Senador, com esse histórico de militância política, como você vê os protestos que tomaram as ruas do país num coro contra a corrupção e por melhores serviços públicos? (leia mais…)


08
julho
2013
Estreia do “Dany Barreto Entrevista”

Oi, genteeeeee! É com muita satisfação que lançamos mais um projeto do blog: o “Dany Barreto Entrevista“! O projeto consiste na realização de entrevistas com os políticos mais baphônicos do momento! rsrs Queremos saber tudo o que eles pensam e como conduzem sua atuação e articulação no Congresso Nacional, nos Ministérios, como se movimentam nos bastidores e o que efetivamente vêem fazendo pelo povo. Aqui não vai ter mimimi (hahaha), queremos prestação de contas dos mandatos e explicações sobre os posicionamentos que adotam. [pulaalegria]

As entrevistas serão escritas e todos vocês que nos acompanham pelas redes sociais e pelo blog podem sugerir entrevistados e nos enviar perguntas. [pulapula] Serão sempre publicadas no blog e na coluna “Política à Flor da Pele” (Conheça os jornais e sites que publicam a coluna).

Então, fique ligado:

Aproveito para agradecer a cada um de vocês que sempre nos apoia em projetos de cidadania! Obrigadaaaaa!

E peço-os que clique nos ícones “tweetar” e “curtir” aqui abaixo para divulgar o “Dany Barreto Entrevista”. Cole o link também em seu mural do Facebook e envie por e-mail aos seus amigos! [palmas] [loveyouuu]

Clique AQUI e debata política conosco no Facebook, acesse a nossa Fan Page do blog e adicione também no Twitter para conversarmos mais sobre as notícias políticas do dia.

Veja o banner do “Dany Barreto Entrevista” na nossa página do Facebook!

(leia mais…)


22
junho
2013
Curtas do Facebook: principais discussões!

Amigos,

em maio, inaugurei as postagens “Curtas do Facebook: principais discussões”, quando citarei aqui no blog os debates políticos que tivemos no Facebook durante as últimas semanas! É uma forma de divulgarmos as opiniões e ampliarmos as discussões dos temas. Abaixo, você encontra frases e posts que escrevi nas redes sociais e o link para também participar dos debates! :-)

Leia e participe também!!!

Sábado, 22 de julho:

O povo do PT (especialmente quem tem cargo) foi instruído a escrever, a cada 10 palavras, 9 vezes a palavra “golpe”, foi? Siiiim, porque é só o que se lê nas postagens dos mesmos sobre as manifestações! Olha, o negócio dessa turma, pelo visto, é seguir cartilha e apavorar a população que tem pouco acesso à informação (estratégias de governos que abominam o fato de – um dia – perder o PODER – único propósito deles)! Lamentável!

Clique AQUI e debata conosco no Facebook!

Sexta-feira, 21 de junho:

Não assisti ao último jogo do Brasil, na quarta-feira, nem vou assistir mais nenhum. Cansei dessa encenação de jogador fabricado, de comentarista com assento no Comitê organizador, de pousar de país do futebol …! Chega desse espetáculo cretino e dissimulado! TV desligada em todos os jogos da Copa das Confederações. É o mínimo que posso fazer!

Clique AQUI e debata conosco no Facebook!

Sexta-feira, 21 de junho:

Na mão de quem estão as armas? Quem clama para que eles não sigam em frente?
Não é difícil perceber a intenção de alguns “manifestantes” – especialmente os que foram convocados por partidos políticos!

Clique AQUI e debata conosco no Facebook!

Sexta-feira, 21 de junho:

Pegou mal demais para a Globo esconder do Brasil as manifestações em Salvador (onde a Polícia Militar agiu com muita violência), ignorando os fatos, sem realizar a cobertura ao vivo e, no final, pondo uma matéria manipulada, que apenas mostrava objetos sendo queimados numa rua qualquer. Pegou muito mal! Está todo mundo comentando nas redes sociais.
A troco do que fizeram isso? Quais os motivos?

Clique AQUI e debata conosco no Facebook!

Sexta-feira, 21 de junho:

Não aceitem essa manobra da mídia de ficar falando que já houve uma “vitória”! Querem fazer crer que os ganhos se esgotam na já conquistada diminuição das tarifas em alguns municípios e que, com isso, os protestos devem cessar. O povo foi gritar sua indignação não só por isso. Há muito o que ser conquistado com as manifestações. É POR TUDO!
AMANHÃ VAI SER MAIOR!

Clique AQUI e debata conosco no Facebook!

Quinta-feira, 20 de junho:

“A Globo platinada está ignorando a Bahia ou é impressão minha???????? É safadeza demais!” – Samuelita Santana
Concordo! A Globo não deu qualquer ênfase às manifestações em Salvador. Para ser bem clara, as ignorou! Não mostrou na cobertura ao vivo, tampouco nos telejornais. Uma cena, no máximo, quando a manifestação já tinha acabado – e mostrando apenas objetos sendo incendiados no meio de uma rua. Falta de profissionalismo e respeito com o povo baiano! #VocêsNãoEnganamMais #VivaADemocraciaDasRedesSociais

Clique AQUI e debata conosco no Facebook!

Quinta-feira, 20 de junho:

Claro que sou contra a destruição do patrimônio público por vândalos. Mas destruição maior presenciamos todos os dias em escolas, hospitais, delegacias, Fóruns, prefeituras…

Clique AQUI e debata conosco no Facebook!

Quinta-feira, 20 de junho:

Amigos que estão participando de manifestações por todo o país: o patrimônio público é de todos, é nosso! AJUDE a Polícia Militar nessa luta contra quem decidir degradá-lo!

Clique AQUI e debata conosco no Facebook!

Quarta-feira, 19 de junho:

Os “R$ 0,20” foram só a gota d´água, a ponta do iceberg…

Clique AQUI e debata conosco no Facebook!

Quarta-feira, 19 de junho:

Gente, o governo subsidiar a tarifa de transporte público significa que os LUCROS dos empresários do setor serão plenamente mantidos e quem pagará por isso continuarão sendo as mesmas pessoas: NÓS – só que de outra forma! A tarifa não aumentará, em alguns casos até diminuirá… Mas pagaremos com o dinheiro dos nossos impostos, afinal, dinheiro para subsídio é dinheiro público, e dinheiro público é… de qualquer forma… NOSSO, fruto dos nossos impostos! Esse dinheiro deveria ser investido em outras necessidades e não no pagamento de subsídios a tarifas para manter intactos os lucros dos empresários que sequer investem em qualidade do serviço que oferecem. Isso NÃO É DIMINUIR tarifa, isso é, na verdade, mera MANOBRA! A conta vem pra gente de qualquer forma! O mesmo ocorre com a isenção de impostos para o setor. O prejuízo é nosso! Rapaz… mas esse país… olha…

Clique AQUI e debata conosco no Facebook!

Terça-feira, 18 de junho:

MANIFESTAÇÕES EM ALAGOINHAS, BAHIA:
“Facefriends, algumas pessoas ficaram de se encontrar hoje na Biblioteca Municipal às 18:00 para falar sobre as pautas do movimento como também organizar uma passeata. Eu estarei lá. Junte-se a nós para cuspir esta espinha da garganta.” – via Adroaldo Fonseca Narciso Reis

Clique AQUI e debata conosco no Facebook!

Terça-feira, 18 de junho:

Bom dia a todos! Menos aos políticos corruptos que na noite passada receberam uma prova de que as coisas vão começar a mudar por aqui… embora a maioria ainda esteja pensando que “isso não vai dar em nada” ou “daqui a pouco esse fogo apaga e tudo volta ao ‘normal'”. Engano dos que pensarem assim… Quando uma nação desperta, dificilmente voltará a adormecer como se nada tivesse acontecido!

Clique AQUI e debata conosco no Facebook!

Segunda-feira, 17 de junho:

Cadê o pessoal que escreveu sábado no Face que quem vaiou Dilma foram os classe média e alta que tinham dinheiro para pagar ingressos? E os mais de 200.000 manifestantes que tomaram as ruas de todo o país contra a corrupção e os investimentos altos na Copa, e a favor de mais investimentos em educação, saúde, transporte público, são o que? As vaias e as manifestações são o despertar de um povo que não agueta mais tantos desmandos, tanta manipulação e tanta farsa, tanta roubalheira, sejam elas promovidas por qualquer corja que for, seja lá de que partido for!

Clique AQUI e debata conosco no Facebook!

Sábado, 15 de junho:

E a cara de Dilma bolada com a falha do som (prévia da Copa) e as (muitas, muitas, muitasss) vaias?!?!
#CopaDasConfederações

Clique AQUI e debata conosco no Facebook!

Sexta-feira, 14 de junho:

MANIFESTAÇÕES NO SUDESTE 

Tem que saber a mando de quem algumas pessoas colocam panos para esconder o rosto (indício de que “vão aprontar!”) e ingressam em manifestações pacíficas para causar baderna e destruição do patrimônio público e privado! De quem é o intetesse em descaracterizar as manifestações do Rio de Janeiro e São Paulo, passando a impressão à população de que são apenas vândalos sem razão? Dos manifestantes ordeiros é que não é!!! Como já assistimos “pacificações fakes” com bandidos de morros sendo avisados pelo noticiário nacional com três dias de antecedência que seus locais de “trabalho” seriam invadidos (nada como um acordo!), não custa pergunta: descredibilizar as manifestações interessam a mais alguém que não seja o próprio governo do Rio e São Paulo?!??

Clique AQUI e debata conosco no Facebook!

Segunda-feira, 10 de junho:

VIOLÊNCIA NA BAHIA
A morte de uma senhora atingida por uma bala perdida (de um assaltante de loja) na porta de um shopping no Itaigara (Salvador, Bahia) escancara o que de pior temos: uma segurança pública caótica e falida! Mas o pior não é constatar que o governador nada faz para remediar a situação, e sim ver que – anestesiada – a população segue sem gritar, sem nada dizer, sem nada exigir… assistindo a banalização da violência e o estado de barbárie que se instalou na Bahia!

Clique AQUI e debata conosco no Facebook!

Debata política conosco no Facebook: https://www.facebook.com/daniele.barreto.7 e na Fan Page: https://www.facebook.com/pages/Blog-Daniele-Barreto/391459007585501. Adicione também no Twitter para conversarmos mais sobre as notícias políticas do dia: https://twitter.com/DanyBarretto. (leia mais…)


19
junho
2013
Violência nas manifestações pelo país

Olá, amigos,

As manifestações continuam por todo o país. Ontem, ainda que sem convocação oficial dos organizadores dos movimentos nos estados (na maioria ainda não há organizadores), milhares de pessoas saíram às ruas para protestar e manifestar a insatisfação com os rumos políticos do país. Mas, em meio à esperança e despertar, presenciamos alguns supostos manifestantes depredando o patrimônio público e espalhando o medo e a violência. Sobre isso, vou traçar duas questões.

Primeiro:

Tem que saber a mando de quem algumas pessoas colocam panos para esconder o rosto (indício de que “vão aprontar!”) e ingressam em manifestações pacíficas para causar baderna e destruição do patrimônio público e privado! De quem é o interesse em descaracterizar as manifestações do Rio de Janeiro e São Paulo, passando a impressão à população de que são apenas vândalos sem razão? Dos manifestantes ordeiros é que não é!!! Como já assistimos “pacificações fakes” com bandidos de morros sendo avisados pelo noticiário nacional com três dias de antecedência que seus locais de “trabalho” seriam invadidos (nada como um acordo!), não custa pergunta: descredibilizar as manifestações interessam a mais alguém que não seja o próprio governo do Rio e São Paulo?!??

[Comente no post do FACEBOOK também]

Ademais, há uma outra questão há a se avaliar: a bandidagem já assola o país e certamente há muitos dos seus “representantes” nas manifestações também.

Nesse aspecto, cito a colocação absolutamente perfeita de Maryelle Barreto no Facebook:

“Só para explicar:
90% são manifestantes e 10% são bandidos.
Esses 10% não viraram bandidos nos manifestos, eles SÃO bandidos, arruaceiros e ladrões o ano inteiro, que já deveriam estar presos. O patrimônio público está sofrendo parte do que nós sofremos todos os dias: atos de violência e assaltos, pelos mesmos. Esse é um dos motivos de estarmos indo para rua: PAZ!
#vemprarua”

[Comente no post do Facebook também]

Importante salientar que em todas as imagens divulgadas pela mídia, vemos claramente que a maioria dos manifestantes pediam que os baderneiros cessassem seus atos e tentavam, em vão, controlar a situação. A manifestante Amanda Cimeco (segundo a Folha de São Paulo) afirmou que: “Nós gritávamos ‘ sem vandalismo’, e eles gritavam ‘com vandalismo'”.

Não seria imprevisível que isso aconteceria. Com uma educação de país subdesenvolvido, com a ausência de educação formal e vias de acesso à informação de qualidade, nosso povo vai se formando analfabeto funcional e sujeito aos “ensinamentos” trazidos pelo programas sensacionalistas que invadem a casa de cada um de nós glamourizando a violência gratuita.

Nada do que vimos de violento e destruidor se difere do que presenciamos diariamente, nas ruas, nas esquinas, nas escolas depredadas por alunos sem educação e base familiar, nas salas de aula cujos professores são agredidos por alunos, nas guerras entre torcidas rivais, nos milhares que são mortos durante latrocínio, nos jovens queimados vivos porque não possuem dinheiro para entregar a bandidos cruéis, nos blogueiros que são assassinados por esse país por denunciarem “mal feito” de empresários e políticos… (leia mais…)


18
junho
2013
Muito político “fazendo a cínica” e apoiando as manifestações

Boa noite amigos,

As manifestações pululam no país. Seja contra a tarifa de ônibus, a corrupção, os gastos excessivos com a COPA, a economia que toma rumos preocupantes… E não só nas ruas, mas também nas redes sociais, muito tem protestado.

Mas um fato curioso chama minha atenção:

a quantidade de políticos de todos os estados e partidos se manifestando a favor dos protestos populares. Tendo em vista o aparecimento de alguns deles na TL do meu Twitter e no Feed de Notícias do Facebook, resolvi fazer uma pesquisa geral em redes sociais de deputados (estaduais e federais), senadores, prefeitos, vereadores… A dissimulação impera!

Na boa?!?!

É duro ficar lendo posts nas redes sociais de “políticos ficha suja e ladrões” elogiando a manifestação! Tem cara aí com 10 gerações de banditismo político na família… que passa dia e noite em conchavos pra fraudar licitações… que comanda roubalheira em órgãos públicos no interior dos estados… que tem empresa/consultoria fantasma… que tem notório envolvimento com bandidos… que manda emendas para cidade do interior pra roubar dinheiro público através de contratos com empreiteiras com cartas marcadas… que teve pai cassado por improbidade… que é alvo de sei lá quantas investigações do Ministério Público… que rouba o dinheiro de verba de gabinete apresentando “nota fria”… cuja família há 30 anos explora a seca no nordeste para ter votação e enriquecer roubando o povo miserável… que já ocupou cargos públicos e comandou/facilitou desvios de verbas… que há muito não consegue justificar seu patrimônio (quando declarado)!

E vem elogiar a democracia? Vem falar de cidadania? Vem dizer que o povo tem que sair às ruas? Vem falar que o povo tem que cobrar mesmo?

Ah, tá! Tenha dó!

Estão em casa degustando o seu vinho importando comprado com dinheiro público, no seu sofá fruto de licitação fraudada, em seu apartamento pago por empreiteiro falando de cidadania? Da importância de manifestações democráticas? De apoio às manifestações?

Chatice um monte de político sujo postando “mensagenzinha” de apoio ao protesto! E não são poucos os exemplos de políticos que se encaixam no que estou falando não…

“Mêu”, o protesto é “CONTRA VC”, cara! NÃO “FAZ A CÍNICA”!

#MeIrritei #ProntoFalei #CinismoTemLimite

Debata política conosco no Facebook: https://www.facebook.com/daniele.barreto.7 e na Fan Page: https://www.facebook.com/pages/Blog-Daniele-Barreto/391459007585501. Adicione também no Twitter para conversarmos mais sobre as notícias políticas do dia: https://twitter.com/DanyBarretto. (leia mais…)


13
junho
2013
Série “A Juventude Politizada”

Olá, amigos do blog, tudo bem?

Olha, hoje resolvi colocar alguns posts especiais: as entrevistas realizadas na série “A Juventude Politizada” da coluna “Política à Flor da Pele”. Para quem me conhece a menos de um ano, vou explicar… Há mais de um ano atrás, a coluna “Política à Flor da Pele” publicou uma série especial com entrevistas a jovens que fazem a diferença na política. Intitulada “A Juventude Politizada” (título auto-explicativo hahaha), a série abordava a história e militância de jovens baianos que se dedicam à política de forma competente, séria e profissional – especializando-se e buscando sempre levar adiante as suas causas. Para mim foi uma grande satisfação e aprendizado entrevistá-los e aprender um pouco mais! E esta felicidade se renova em ver que eles continuam na vida política, se destacando cada vez mais. Essa série foi ao ar em meados de dezembro de 2011 e fevereiro de 2012. Na época eu ainda não tinha blog e não postei as entrevistas aqui! O que venho fazer agora, especialmente por se tratar de informações atemporais e exemplos de vida que devemos sempre seguir.

Os entrevistados foram: Gabriel Oliveira (PT), Tiago Assis (PSDB), Bruno Alves (DEM), Nestor Neto (PMDB) e Nelsinho Fontes (PP). E as entrevistas você confere agora, nos posts que coloquei no blog:

Clique no link para ler a entrevista:

http://danielebarreto.com.br/2013/06/13/2411/

Clique no link para ler a entrevista:

http://danielebarreto.com.br/2013/06/13/relembre-a-serie-a-juventude-politizada-entrevista-com-bruno-alves/

Clique no link para ler a entrevista:

http://danielebarreto.com.br/2013/06/13/relembre-a-serie-a-juventude-politizada-entrevista-com-nestor-neto/

Clique no link para ver a entrevista:

http://danielebarreto.com.br/2013/06/13/relembre-a-serie-a-juventude-politizada-entrevista-com-nelsinho-fontes/

 Clique no link para ler a entrevista:

http://danielebarreto.com.br/2013/06/13/relembre-a-serie-a-juventude-politizada-entrevista-com-tiago-assis/

Espero que vcs gostem das entrevistas e que seja um estímulo aos que curtem política!

Debata política conosco no Facebook: https://www.facebook.com/daniele.barreto.7 e na Fan Page: https://www.facebook.com/pages/Blog-Daniele-Barreto/391459007585501. Adicione também no Twitter para conversarmos mais sobre as notícias políticas do dia: https://twitter.com/DanyBarretto.

Beijos, Dani.


13
junho
2013
Relembre a série “A Juventude Politizada”: entrevista com Gabriel Oliveira

Olá, amigos, bom dia!

Você conhece a coluna “Política à Flor da Pele”? Em 2011 e 2012, publiquei – nos veículos parceiros da coluna – a série “A Juventude Politizada” e hoje venho relembrar as entrevistas com os jovens que militam por causas nobres e engrandecem a política baiana. Aos que gostam de política, com certeza, os depoimentos desses jovens são uma grande inspiração. [pula] Nosso primeiro post é sobre Gabriel Oliveira!

Gabriel Oliveira – Um jovem militante petista
No cenário, incomum para alguém com menos de um ano de vida, predomina a cor vermelha.

Novembro de 2011, o pequeno garoto Omin, no colo da mãe, sorri para as fotos e rouba as atenções! No cenário, incomum para alguém com menos de um ano de vida, predomina a cor vermelha. Omin – por certo mais habituado ao debate político (pelo menos a ouvi-lo) do que muitas pessoas que ostentam décadas a mais – participa de seu primeiro evento partidário: o Congresso da Nova Tendência da Esquerda do PT, na Bahia.

Lutar por um mundo melhor para o seu Omin é (mais) uma mola propulsora para a militância política e social do pai… Omin é filho de Gabriel Oliveira. E a popularidade dos dois no PT não é fruto do acaso: a do primeiro deve-se a sua simpatia e sorriso fácil; a do segundo, a sua trajetória no Centro Acadêmico, DCE da UFBA e militância político-partidária. Gabriel, 27 anos, é filiado ao Partido dos Trabalhadores, ex-Secretário da Juventude do PT/BA e atua na Coordenação de Políticas de Juventude do Governo do Estado da Bahia.

Gabriel é o entrevistado que inaugura a série “A Juventude Politizada!”, da coluna “Política à Flor da Pele”. (leia mais…)


13
junho
2013
Relembre a série “A Juventude Politizada”: entrevista com Bruno Alves

Olá, amigos, bom dia!

Você conhece a coluna “Política à Flor da Pele”? Em 2011 e 2012, publiquei – nos veículos parceiros da coluna – a série “A Juventude Politizada” e hoje venho relembrar as entrevistas com os jovens que militam por causas nobres e engrandecem a política baiana. Aos que gostam de política, com certeza, os depoimentos desses jovens são uma grande inspiração. [pula] Nosso entrevistado é sobre Bruno Alves!

Bruno Alves – um jovem militante do Democratas

Dia 12 de agosto de 2011, o Jornal Folha de São Paulo publica, na disputada coluna “Poder”, a foto de um jovem negro sob o título “A esquerda não é dona da periferia, diz garoto-propaganda do DEM”. A frase foi destacada das inserções do Partido Democratas, veiculadas na televisão. Na foto da Folha de São Paulo, o garoto está ao lado da família, em uma casa de um bairro popular de Salvador. No vídeo, que teve milhares de acessos no Youtube, a estrela do filme fala com naturalidade, caminha à vontade e informa: “Só porque sou jovem e moro na periferia, alguns políticos pensam que eu tenho que ser de esquerda”! 
 
Ao contrário do que muitos acharam, a campanha não era estrelada por um ator. O protagonista é Bruno Alves: protagonista da propaganda do DEM e protagonista das mudanças que quer ver na sociedade… Bruno é filiado ao Partido Democratas e não precisa que demagogos expliquem o que é trabalhar desde o final da infância, lutar para vencer obstáculos e viver num bairro da periferia de um dos Estados mais violentos do país. Essa é uma realidade que ele conhece de perto, em seus 27 anos vivenciando o bairro do Pau Miúdo e o Pelourinho – por onde caminha com seu tio Clarindo Silva, conhecido como “síndico do Pelourinho”, tamanha a devoção e zelo pelo patrimônio histórico e cultural! 
 
Bruno é o segundo entrevistado da série “A Juventude Politizada!”, da coluna “Política à Flor da Pele”.  (leia mais…)


13
junho
2013
Relembre a série “A Juventude Politizada”: entrevista com Nestor Neto

Olá, amigos, bom dia!

Você conhece a coluna “Política à Flor da Pele”? Em 2011 e 2012, publiquei – nos veículos parceiros da coluna – a série “A Juventude Politizada” e hoje venho relembrar as entrevistas com os jovens que militam por causas nobres e engrandecem a política baiana. Aos que gostam de política, com certeza, os depoimentos desses jovens são uma grande inspiração. [pula] Nosso entrevistado é sobre Nestor Neto!

Nestor Neto: um jovem militante peemedebista

Quem vê um jovem aguerrido palestrando sobre Política para dezenas de crianças e adolescentes em uma escola no município de Salvador possivelmente estranhará a foto tirada em novembro de 2011, em Brasília, ao lado do vice-presidente da República Michel Temer. A imagem do paulista que trilha carreira pública desde 1983 – e que já se viu envolvido na Operação Castelo de Areia e na Operação Caixa de Pandora, ambas da Polícia Federal – contrasta com o rapaz idealista que costuma em sua militância ou nas redes sociais instigar a todos que não percam a capacidade de indignação frente ao comportamento reprovável de alguns políticos e que cobrem soluções para os problemas sociais que afligem o povo brasileiro.  
 
O militante peemedebista que ladeia Temer é Nestor Neto. Filiado ao Partido do Movimento Democrático do Brasil, Nestor mora na Mata Escura – populoso bairro de Salvador, cujos cem mil habitantes possuem diversos problemas urbanos relacionados ao transporte público, limpeza pública e esgotamento sanitário. O bairro também abriga a Penitenciária Lemos de Brito, maior do Estado. O local simboliza o ecletismo religioso de Salvador, com muitas igrejas evangélicas, católica e um tradicional terreiro de candomblé; mas carece de praças e áreas públicas de lazer – assim como de segurança, não se diferenciando, nesse aspecto, de nenhum outro bairro da capital baiana.  
 
Nestor Neto é o terceiro entrevistado da série “A Juventude Politizada!”, da coluna “Política à Flor da Pele”(leia mais…)


13
junho
2013
Relembre a série “A Juventude Politizada”: entrevista com Nelsinho Fontes

Olá, amigos, bom dia!

Você conhece a coluna “Política à Flor da Pele”? Em 2011 e 2012, publiquei – nos veículos parceiros da coluna – a série “A Juventude Politizada” e hoje venho relembrar as entrevistas com os jovens que militam por causas nobres e engrandecem a política baiana. Aos que gostam de política, com certeza, os depoimentos desses jovens são uma grande inspiração. [pula] Nosso entrevistado é sobre Nelsinho Fontes!

Nelsinho Fontes: um jovem militante pepista

Para definir o entrevistado de hoje com apenas uma palavra, eu uso a baianíssima expressão: “retado”. Por se tratar de um vocábulo com vários significados, já explicito a minha intenção: “resolvido”, “decidido”, “agitado”.

O militante pepista é a mais fiel representação dessas acepções da palavra que permeia os diálogos nas ruas das cidades da Bahia. Aguerrido defensor do seu partido – mesmo quando o prefeito de Salvador, líder do Partido Progressista na Bahia, tem altíssimos índices de rejeição – esse jovem é um dos mais conhecidos representantes do Subúrbio de Salvador.

 E não é pra menos! Desde a manutenção de um site que revela as belezas naturais, cultura, entretenimento e gastronomia de alguns soteropolitanos bairros populares, passando pela intensa militância política, Nelsinho (como é carinhosamente chamado, inclusive no meio político) é “só realizações”. Ele congrega – em torno de ideias que valorizam a dignidade de uma população que apenas é lembrada pela grande mídia nos noticiários policiais – artistas famosos, políticos de diversas legendas, apresentadores de televisão, badalados cantores, aguerridos líderes comunitários…

 E a agenda de Nelsinho é intensa: o pepista não perde uma só reunião que objetive exigir melhorias para o Subúrbio, comparece às manifestações e negociações com líderes locais, e ainda apresenta o webprograma “Conexão Subúrbio”; que você pode assistir acessando o site http://suburbionews.com.br/2011/index.php… Assistir DEPOIS de ler nossa entrevista, claro… (rs)

Nelson é o quinto entrevistado da série “A Juventude Politizada”, da coluna “Política à Flor da Pele”. (leia mais…)


13
junho
2013
Relembre a série “A Juventude Politizada”: entrevista com Tiago Assis

Olá, amigos, bom dia!

Você conhece a coluna “Política à Flor da Pele”? Em 2011 e 2012, publiquei – nos veículos parceiros da coluna – a série “A Juventude Politizada” e hoje venho relembrar as entrevistas com os jovens que militam por causas nobres e engrandecem a política baiana. Aos que gostam de política, com certeza, os depoimentos desses jovens são uma grande inspiração. [pula] Nosso entrevistado é sobre Tiago Assis!

Tiago Assis – um jovem militante tucano

Ele tem a política no sangue, mas relutou em se render à vocação. Estudioso, extremamente dedicado à leitura e

inicialmente resistente à trajetória política – embora filho de ex-prefeito de cidade no interior da Bahia – nosso entrevistado de hoje optou por uma consistente formação acadêmica.

Graduado em Direito, pós-graduado em Direito do Estado e professor universitário, o jovem militante tucano fala com desenvoltura sobre políticas públicas, filosofia, ciência política, humanidades… Aguerrido defensor da social democracia, o baiano Tiago Assis faz do conhecimento técnico um instrumento na elaboração e implementação de um projeto político norteado por nobres causas.

Tiago é o quarto entrevistado da série “A Juventude Politizada!”, da coluna “Política à Flor da Pele”.

Daniele Barreto, “Política À Flor da Pele”: O que faz Tiago Assis, além da militância partidária?

Tiago Assis – PSDB: Sou advogado, graduado em Direito pela Universidade Católica do Salvador, pós-graduado em Direito do Estado, pela Universidade Federal da Bahia. Gosto de realizar leituras sobre filosofia, política, psicologia, lingüística… Adquiri a paixão pela leitura em função do incentivo do meu pai, que é médico e sempre gostou de literatura, cinema, arte. (leia mais…)


27
maio
2013
Corrupção sem fim: quadrilha desviou milhões em licitações de obras públicas

Bom dia, amigosss!!!

Segundona de muita dedicação e trabalho! Em AGOSTO estarei lançando muitas novidades no blog e já estou com a mão na massa! Vocês vão adorar!!! :-)

Mas para começar a semana com um pouco mais de esperança no país, nada melhor do que ler essa matéria do site do Senador Álvaro Dias:

Corrupção sem fim: quadrilha desviou milhões em licitações de obras públicas

PF27Mais de 100 homens da Polícia Federal realizam nesta segunda-feira uma operação em três estados – Bahia, Espírito Santo e Minas Gerais – para cumprir 45 mandados judiciais, sendo 10 mandados de busca e apreensão, 21 mandados de sequestro de valores, bens móveis e imóveis e 14 mandados de prisão. Segundo a PF, quadrilhas formadas por empresários e servidores públicos desviavam dinheiro de licitações nesses estados. As apurações apontam um desvio que pode superar a quantia de R$ 5 milhões. A quadrilha operava com obras públicas em áreas diversas da construção civil, pavimentação de vias públicas, manutenção de estradas e de locação de máquinas para a limpeza urbana. Essas obras não eram sequer fiscalizadas e os servidores públicos envolvidos no esquema atestavam a sua conclusão mesmo quando incompletas ou inexistentes. As empresas investigadas emitiam notas fiscais frias sobre trabalhos, que em muitos casos sequer teriam sido executados. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

É sempre bom ler uma matéria como essa e ver que TEM JEITO, SIM!!! E depende de cada um de nós, não fecharmos os olhos para a corrupção, não acharmos que todo político “é assim mesmo”, e cobrar dos órgãos competentes. Um dia, mais cedo ou mais tarde (esperamos que o quanto antes), quadrilhas que se formam em milhares de municípios pelo país serão descobertas e seus crimes (contra NÓS, contra nossas famílias, contra a saúde do povo brasileiro, contra a educação) punidos! E temos que manter essa chama da esperança acesa. Já vi muita coisa trabalhando na política, mas creio que não deixar o negativismo tomar conta é uma obrigação como cidadã! (leia mais…)


13
abril
2013
Rondônia: conhecendo nossas riquezas

Queridos amigos-leitores do blog,

nos últimos dias estou no Norte do país. Mais especificamente no município de Porto Velho, Rondônia. Eu ainda não conhecia o estado e fiz uma longaaa pesquisa (aquela fuçada básica no Google… rs ❃) para me informar bem onde vinha parar (rs) e para que vocês possam viajar um pouco comigo!

É mais ou menos o seguinte… rs

Porto Velho é um município brasileiro e capital do estado de Rondônia. Está situada na margem direita do Rio Madeira, na Região Norte do Brasil e foi fundada pela empresa americana Madeira Mamoré Railway Company em 4 de julho de 1907, durante a construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, comandada pelo magnata norte-americano Percival Farquhar. Quem não deu isso em história, pelo menos lembra da série global, né? rsrs #GloboÉCultura rsrsrs ( (leia mais…)


08
fevereiro
2013
Clipping: O Assessorado na Mídia

Olá, amigos do blog,

conforme acertamos, toda sexta-feira tem “Dica de Marketing Político” aqui no blog, com textos, artigos, indicação de livros, novidades na área! Tenho recebido algumas sugestões de temas que estou pesquisando para que possamos apresentar sempre posts bem legais. =) Mas hoje o dia será diferente, vou trazer vários posts sobre assuntos ligados ao Marketing Político e a minha atuação profissional na prática. Gostaram da ideia? Nesta publicação, trago para vocês um clipping com matérias sobre um assessorado. Espero que vocês curtam e conheçam um pouco mais do trabalho e da atuação dele! Daqui a pouquinho vem outro post sobre Marketing Político. Aguardem! =)

CLIPPING: O Assessorado na Mídia | JANEIRO 2013 (leia mais…)


14
julho
2012
Educação política: incentive você também

Gente, como vocês sabem, eu adooooooro política!!! ;-)  [heart]

Leitora interessada no assunto, desde 25 de maio de 2011, posto no Facebook dicas de livros sobre cidadania, Direito, partidos políticos, marketing político, Democracia etc. – tudo registrado no álbum “Clube do Livro ‘Letras pela Cidadania'”.

Sempre que encontro (e leio, claro! rsrs) livros legais, posto a foto de capa e uma mini resenha. Além de links com outras notícias sobre a obra, dicas de onde comprar, preços, matérias sobre a obra…

Agora com o blog, vou colocar as dicas aqui também, como mais uma forma de divulgarmos bons livros que nos auxiliem no exercício da cidadania. Fiquem super a vontade para fazer o mesmo: sugerir, comentar, escrever sobre algo que estão lendo. (leia mais…)