Arquivo para Palestras - Daniele Barreto
25
maio
2015
Palestra na UCSAL: Os protestos no Brasil e o momento político atual

Gente,

Na semana passada participei de um debate na Universidade Católica de Salvador, com o tema: Os protestos no Brasil e o momento político atual, a convite do professor Cláudio André Souza. E foi uma grande alegria por motivos diversos. Primeiro porque discutir política com jovens entusiasmados é o que mais enche nossa vida de esperança nesse país, né? E lá encontrei mais de 80 garotas e garotos com brilho nos olhos, indagações e muita vontade de conhecer formas de melhorar o Brasil. Além disso, durante minha graduação (que fiz em Direito na UEFS), participei, como ouvinte, de diversas palestras na UCSAL, então, anos depois, voltar à faculdade podendo colaborar mais ativamente de uma discussão foi fantástico. E muito enriquecedor!

Olha essa sala enorme lotada!!! (e a foto nem pegou todo mundo rs)

10931721_837753286295550_9201407924409196834_n

Baseado no tema proposto, inicialmente, o professor Cláudio mostrou o vídeo “A Culpa é das Estrelas: a manifestação“, um curta metragem produzido pelos grupos de pesquisa Opinião Pública e Centro de Convergência de Novas Mídias, ambos da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

O vídeo foi gravado durante as manifestações do dia 12 de abril de 2015, em Belo Horizonte, visando traçar o perfil ideológico dos participantes.

Vale a pena você conferir:

Em seguida, a professora Helcimara Telles (UFMG) apresentou, em vídeo, um estudo conclusivo sobre o perfil dos manifestantes.

11246253_837753149628897_6874317326479087555_n

Após, iniciei minha fala. A princípio, fiz uma comparação das manifestações de 2013 e 2015, para em seguida abordar a composição atual da Câmara dos Deputados – sem o qual não conseguimos avaliar com precisão os rumos do país e as causas de muitos dos fatos que estamos assistindo.

Sobre a manifestações, falei sobre o fato gerador de cada uma, o período em que ocorreram, o perfil simplificado dos participantes, a forma como trataram a aproximação de políticos e partidos políticos, as pautas reivindicadas, a “vilania” atribuída à presidente Dilma e a anistia aos demais políticos. Embasei a fala em alguns textos que acho interessante dividir com vocês do blog também (e para o caso de algum aluno da faculdade acessar e desejar conhecer mais sobre o que foi debatido):

11266532_837753202962225_6921962748329524943_n 11060912_837753352962210_8558302420617463817_n

Segue um resuminho do professor Castells sobre as diferenças entre as manifestações:

O movimento de 2013 teve êxito, pois anulou o aumento das tarifas. O movimento no Brasil causou a reação política mais positiva de um governo no mundo. Dilma se conectou com ele. Mas o aparato do PT bloqueou a possibilidade de reforma. Marina Silva deve seu fugaz êxito na campanha eleitoral justamente por ter se identificado com a crítica que se fazia nas ruas. Porém, não pôde resistir à ofensiva publicitária do PT e ao fato de que seu fundamentalismo evangélico não caiu bem entre a classe média intelectual. Considero significativo que duas pessoas que disputaram a Presidência do Brasil – Marina e Dilma – haviam respondido positivamente ao movimento.

Já em 2015, é a classe média e media alta quem  às ruas. E chegou-se a pedir a impugnação da presidente. O grupo que pede um golpe de Estado é pequeno e considero impossível que isso ocorra. Mas o significado é que existam cidadãos e políticos que o queiram.

2013 e 2015 se conectam com as recentes manifestações em outras partes do mundo porque mostram que a sociedade que quer expressar-se, hoje em dia, se expressa em movimentos espontâneos, coordenados pela internet, e presentes na rua.”

Em seguida, relatei uma “Radiografia do Novo Congresso”, citando inicialmente o presidente da Casa – Eduardo Cunha – e abordando algumas questões:

  • quem é ele
  • o que pensa
  • quem o elegeu presidente (oposição e baixo clero)

11113759_837753379628874_2725157996076171524_n

E abordei a composição da Casa, vou aproveitar para citar algumas informações para vocês:

  • a Câmara teve uma renovação de 46,78% – o que não é tão verdadeiro porque a maioria dos “novos” já ocupavam outros cargos;
  • partidos como o PT, PMDB, PSDB, DEM tiveram queda no número de parlamentares;
  • crescimento de parlamentares dos partidos nanicos (ah, falo sobre isso em um vídeo, clique AQUI);
  • pulverização dos partidos políticos – o que dificuldades nas negociações (também explico isso num VÍDEO);
  • o perfil econômico da maioria é liberal e socialmente conservador;
  • é populista e messiânico.

Ah, e expliquei quais as pautas principais das bancadas maiores (como a ruralista, evangélica e empresarial) e das que diminuíram (como a sindical e ambientalista).

11209422_837753232962222_6289012021184213861_n 11052406_837753312962214_3026756192706117292_n

Comentei com os alunos sobre o documento radiografia_do_novo_congresso_-_legislatura_de_2015_a_2019, do DIAP. (pode clicar no link que acessa a pesquisa)

Em seguida, o professor Cláudio abordou as manifestações de 2013 e 2015 e pesquisas sobre as movimentações das bancadas do governo e oposição, durante o governo Lula e Dilma. Após, ele abriu para as perguntas dos participantes e foi fantástico: muitos alunos participaram com dúvidas e explanações extremamente pertinentes. Abordaram especialmente a importância do engajamento político!

Fiquei muito feliz com a oportunidade, aprendi muito e fiquei eufórica quando acabou (levei um tempão pra conseguir pegar no sono, quando cheguei em casa, ainda animada com os debates hahahaha). Espero voltar mais vezes à UCSAL! ;-)

Ah, se vocês tiverem dúvidas sobre os temas ou participou do debate e quer fazer mais perguntas, não se acanhe. rsrs Deixe sua pergunta aqui nos comentários, nas redes sociais ou por e-mail.

E deixe também sua opinião!

Me encontre nas redes sociais para conversarmos mais sobre política:

 Facebook | FanPage | Twitter | Instagram