Arquivo para É Seu Direito - Daniele Barreto
23
abril
2015
É Seu Direito: Alto índice de jovens negros mortos é genocídio

Olá, pessoal,

Tô aqui, na madrugada dessa quinta-feira acessando o site da Câmara dos Deputados e separando algumas matérias cujas discussões vou levantar aqui no blog durante o dia. E para nossa sessão É Seu Direito de hoje, trago uma matéria sobre a Audiência Pública que ocorreu na Comissão de Direitos Humanos sobre a violência contra a juventude negra. (leia AQUI o último texto do “É Seu Direito” sobre a PEC da demarcação de terras indígenas)

Ontem (quarta-feira, 22), em debate na Câmara, por iniciativa da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, autoridades, religiosos e artistas questionaram a atuação do Estado, criticaram a violência policial e denunciaram o que chamam de “genocídio” da juventude negra.

img20150422155425724204MED

Foto de Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O debate foi as focado na situação do Distrito Federal e entorno, mas a questão principal- mortes de jovens negros – pode ser abrangida para todo os estados do país. Segundo os debatedores, a polícia age de forma diferente em comunidades periféricas, o que denuncia a discriminação contra os negros.

“Existe, no Brasil, um genocídio da juventude negra. Os dados são gravíssimos. Morrem mais jovens negros no Brasil do que o total de mortes em conflitos armados de qualquer país do mundo”, deputado Orlando Silva (PCdoB-SP)

Vou levantar alguns tópicos que li na matéria sobre a Audiência Pública:

  • Prevenção

Para os participantes, é necessário que se adotem medidas para prevenir as mortes na periferia causadas por ações do Estado, que deve preparar melhor seus agentes.

  • Preconceito

Os negros ao a maioria as vítimas de assassinatos, mas para um dos debatedores, o deputado Major Olimpio (PDT-SP), a culpa não é da polícia. E completou que é necessário defender o bom policial – maioria esmagadora.

  • Repressão

Se discutiu que o Estado é racista e sustenta a ideia do “genocídio” – tendo um braço armado que o executa, tendo como principal vítima o jovem negro, que é mais está vulnerável (4 X mais do que o jovem não negro).

Hoje, os homicídios são a principal causa de morte de jovens de 15 a 29 anos no Brasil. Dos mais de 55 mil homicídios, quase 80% foram de negros.

  • Ampliação do debate

Paulo Pimenta (PT-RS) – presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara – quer estender o debate a outros estados brasileiros.

Foi criada na Câmara, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Violência contra Jovens Negros. (vou escrever outros posts aqui sobre isso, mas já podemos ampliar o debate com os vídeos sobre o “Populismo Penal e a redução da maioridade penal” e “5 Motivos para ser contra a redução da maioridade“). Esse será tema recorrente em nossos diálogos por aqui, não se pode continuar indiferente a essa barbárie.

(texto com base na matéria do Thyago Marcel)

Acompanhe nossos posts “É Seu Direito“:

Fique ligado no blog porque no horário de almoço devo conseguir um tempinho para trazer um texto sobre a diminuição do número de ministérios e vamos falar também sobre o aumento do Fundo Partidário (e a relação com o momento de crise política no país).

Me encontre nas redes sociais para conversarmos sobre os acontecimentos políticos do país diariamente:

 Facebook | FanPage | Twitter | Instagram


16
abril
2015
É Seu Direito: PEC da demarcação de terras indígenas

Oii, gente!!!

A agenda política do país está pegando fogo. Mas enquanto alguns projetos de maior apelo popular chamam a nossa atenção e a monopolizam, muitos e muitos outros tramitam na Câmara dos Deputados longe dos olhos dos cidadãos e da fiscalização. Não podemos perder de vista duas questões:

  1. Muitos projetos estão sendo postos em pauta para votação aproveitando que o povo está focado nas manifestações. Além de desviar o olhar do Parlamento, os deputados aproveitam a onda de protestos para agilizar a votação de projetos que desagradam a presidente Dilma. Aproveitam o embalo do povo contra a gestora, e apressam-se em passar tais projetos: com o povo contra Dilma, fica mais fácil conseguir adesão popular para votações que desagradam a ela e ao PT. Atenção a isso, galera!
  2. A mídia tem interesse em determinados assuntos. Nem tudo a interessa. E os motivos do desinteresse são inúmeros. Um deles: a pauta prejudica interesses comerciais, financeiros, empresariais dos grupos políticos que as detêm. Então, não tem porque abordar o assunto e chamar a atenção do povo para tal projeto. Claro que não gostamos do mimimi de “mídia golpista” ou “mídia manipulada”. Acho isso muito demodê, (hahaha) mas não dá para fechar os olhos ao fato de que os veículos de comunicação também interferem na agenda política do país dizendo o que interessa ou não ao povo saber.

Estou dizendo tudo isso para lembra-los da importância de, pelo menos uma vez por semana, entrar nos sites da Câmara dos Deputados e do Senado para conhecer o que está sendo votado e discutido. Assim, você consegue informações técnicas, conhece sobre os temas e a tramitação de uma série de matérias que não ganham destaque na mídia, mas que podem interessar diretamente a você. (eu entro nesses dois sites todos os dias, mas se você não trabalha na área, sinceramente, não precisa tanto)

Depois da diquinha básica, vamos a um tema que me interessa muito e que não vendo abordado como eu acredito que deveria: a demarcação de terras indígenas. Inclusive, por causa do Dia do Índio, aconteceu uma sessão hoje na Câmara na qual o assunto foi debatido.

img20150416144213529336MED

(a foto é da Agência Câmara)

Vou explicar melhor aqui no nosso post da série “É Seu Direito“!!!

PEC 215/00

A PEC 215/00 transfere do Poder Executivo para o Legislativo a decisão sobre a demarcação de terras indígenas. Pela legislação atual a demarcação é competência do Poder Executivo e é feita pelo Ministério da Justiça (com auxílio da Fundação Nacional do índio – Funai).

Ontem, o presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha recebeu caciques e pajés para numa audiência no gabinete, na qual afirmou que não tem pressa para a aprovação dessa proposta. O cacique baiano Nailton Muniz Pataxo disse que os índios vão protestar pacificamente pela não aprovação e que estão preparados para o enfrentamento.

Hoje, deputados e lideranças indígenas pediram o arquivamento dessa PEC. Os índios estão acampados a semana toda no gramado do Congresso Nacional, protestando contra esse projeto de emenda à CF. O debate, segundo representantes dos índios, não deve se ater à disputa entre o governo e oposição, mas sim conscientizar sobre a vida e existência desses povos.

Inconstitucionalidades

Há quem defenda que a PEC tem inconstitucionalidades:

  • porque a demarcação de terras indígenas gera despesas para a União, e só quem pode criar essas despesas é o Poder Executivo;
  • porque o direito dos povos indígenas seria cláusula pétrea (estamos falando tanto em cláusulas pétreas esses dias que vou terminar gravando um vídeo explicando melhor o que significa isso).

População indígena

A população indígena tem um crescimento médio maior que a população brasileira. Isso se deve às conquistas de terras. Retroceder seria colocar em risco a diversidade cultural e tradições indígenas. Por isso, alguns deputados e índios pedem para que se vote contra a PEC.

Bancadas no Congresso

A bancada que defende os indígenas é pequena, mas a bancada da motosserra é grande. Por isso, se entende que os direitos e garantias individuais dos índios estão ameaçados pela votação que pode acontecer ainda esse semestre na Câmara dos Deputados.

Arquivamento

A PEC poderá arquivada, mantendo a legislação como se encontra atualmente e a concentração – isso seria o ideal – poderá se voltar para a demarcação imediata das terras cujos processos estão pendentes.

E você, o que acha desse assunto?

Aguardo vocês nas redes sociais!!!

 Me encontre nas redes sociais para conversarmos mais sobre política:

 Facebook | FanPage | Twitter | Instagram