Arquivo para A Juventude Politizada - Daniele Barreto
15
abril
2015
Comentando a matéria: “Preconceito às avessas – Juventude X Incompetência”

Oi, pessoal, bom dia!!!

Estava zapeando pela net, lendo notícias em portais baianos, nessa madrugada, (gente que não dorme rsrs), e me deparei com o blog do Matheus Pastori (o Fora da Curva, no Aratu OnLine) tratando de um assunto que sempre me trás desconforto: o preconceito com o jovem, que tem, muitas vezes, sua imagem aliada à incompetência.

Enquanto lia o texto, não resisti a fazer comparações mentais com o “mundo da política”, no qual o jovem enfrenta muitos problemas. Dia desses, comentei aqui algumas das dificuldades que passei por ser mulher e trabalhar na área (e olhe que não tenho nenhuma pretensão política, meu lugar mesmo são os bastidores). E o fato de ser jovem piora tudo!

Em 2013, incomodada com tanto boicote e dificuldades impostas à jovens lideranças, lancei a série A Juventude Politizada com entrevistas a jovens políticos baianos que expuseram sua trajetória, ideologia e compromissos. O resultado em acessos e comentários foi extremamente satisfatório, mas com a correria e outros projetos, terminei finalizando a série em sua primeira temporada mesmo.

Desde o início do ano que venho pensando em lançar a segunda temporada, com mais entrevistas e englobando jovens de mais partidos políticos. Ontem, coincidentemente, reelaborei o projeto, que vai contar com entrevistas escritas com vários jovens e com vídeos meus falando sobre as dificuldades de um jovem político, bem como estatísticas de candidatos, estatísticas de eleitos (prefeitos, deputados estaduais, deputados federais), jovens que marcaram a história. Então, a 2ª Temporada do “A Juventude Politizada” vem com tudooo!!! Uhu!!! Será lançada na primeira semana de junho, e já contactei uma parte dos entrevistados. Será incrível! ;-) (depois gravo um vídeo contando mais)

jovens-polc3adtica1

Foi aí que, quando menos espero, me deparo com esse texto no site do Aratu Online, e aproveitei para contar a novidade e trazer o artigo do Matheus para vocês, com comentários meus.

Como fazemos na série “Comentando a matéria”, trago o texto de Matheus em outra cor (azul) e o meu em preto itálico.

Preconceito às avessas – Juventude X Incompetência

A generosidade em admitir novas gerações em seja lá quais forem as áreas é louvável, assim como é a aceitação de que este ou aquele talento não faz necessária uma folha de papel para se comprovar. Na maioria dos anos da faculdade estamos cumprindo um rito de passagem para obter um aval social exigido em sermos aceitos como isto ou como aquilo.

Realmente, em qualquer área vemos a dificuldade em admitir jovens talentos. Na política, especificamente, isso se acrescenta ao fato de que ninguém quer “passar o bastão”. Investir em jovens significa, mais do que concorrência, dividir espaço com o novo e o imprevisível – dois fenômenos que nenhum político aceita.

A imprevisibilidade decorre do fato de o jovem ser questionador e trazer muitas novas ideias à agremiações obsoletas e – em sua maioria – meras legendas de aluguel. Lidar com quem trás novas formas de pensar e refletir o mundo não é fácil, especialmente se as gerações anteriores se acostumaram a vencer pelo dinheiro, tirania e coronelismo que ainda imperam na nossa política (e a baiana pode ser citada como destaque nacional nesses quesitos).

Quanto a dividir espaço… hahaha Olha, nem em sonho! Espaço é poder, e poder é algo que nenhum político quer e nem vai abrir mão para quem quer que seja. Eu não conheço grandes políticos que investem em jovens lideranças para além de uma propagandinha na TV e meia dúzia de posts nas redes sociais enaltecendo “a presença dos jovens na política”. Na realidade, na prática, é muito diferente e oportunidades só são dadas ou oferecidas (por ninguém dá nada a ninguém na política) quando se trata de transferir o capital político hereditariamente. (vou trazer para vocês um vídeo mostrando como a maioria dos jovens que ingressam na política e se destacam nacionalmente estão ligados à famílias já tradicionais na área, estou fazendo o levantamento em sites de diagnóstico do Congresso).

Não questiono, todavia, graduações, mestrados, doutorados e MBA’s. Não, de forma alguma. Que bom que possuímos meios de mensurar nossos conhecimentos. O que é temível são as barreiras ingenuamente impostas por uma concepção – paradoxalmente –  tão antiquada quanto infantil, além de egoísta, da parte de quem está vendo desabrochar novas promessas, e, em deliberado, tenta fazer com que elas não se cumpram.

Na política ainda há o agravante de que nenhuma formação técnica valerá de nada sem boas indicações. Aliás, quando observo nosso cenário, sempre tenho a impressão de que possuir conhecimento técnico, ter experiência e informação são “requisitos negativos”, ou seja, vão depor contra você porque ninguém quer aquele jovem empoderado e inteligente te ofuscando. De nada valerá seus rios de livros e certificados na parede se você não ler, digerir e aplicar um único livro: “As 48 leis do poder” – e esse, boa parte dos políticos que conheço, já nasce sabendo.

Se a experiência traz sabedoria, certamente também carrega consigo vontade – e até orgulho – de a passar adiante. Além do mais, pense nisso: ao dizer que todos os jovens são incompetentes, você está dando a eles o direito de rebater que, bem, então todo o resto é obsoleto.

Pois é amigos, espero não ter assustado vocês. rsrs A ideia não é essa! Mas alertar sobre a importância de ter conhecimento, estudo. educação política, mas, acima de tudo: conhecer o terreno que está pisando – sem isso, de nada valerão suas armas. E saiba que, independentemente da agremiação, se ela não for do seu pai (literalmente e metaforicamente, de algum padrinho, obviamente), alguns dos seus piores inimigos estarão nela. Ao seu lado!

Nos próximos posts você terá mais informações sobre o jovem na política e as trajetórias de quem luta bravamente nessa área. Não perca: A Juventude Politizada, em sua segunda temporada a partir de junho.

E você, o que acha do assunto?

Aguardo vocês nas redes sociais!!!

 Me encontre nas redes sociais para conversarmos mais sobre política:

 Facebook | FanPage | Twitter | Instagram


13
junho
2013
Série “A Juventude Politizada”

Olá, amigos do blog, tudo bem?

Olha, hoje resolvi colocar alguns posts especiais: as entrevistas realizadas na série “A Juventude Politizada” da coluna “Política à Flor da Pele”. Para quem me conhece a menos de um ano, vou explicar… Há mais de um ano atrás, a coluna “Política à Flor da Pele” publicou uma série especial com entrevistas a jovens que fazem a diferença na política. Intitulada “A Juventude Politizada” (título auto-explicativo hahaha), a série abordava a história e militância de jovens baianos que se dedicam à política de forma competente, séria e profissional – especializando-se e buscando sempre levar adiante as suas causas. Para mim foi uma grande satisfação e aprendizado entrevistá-los e aprender um pouco mais! E esta felicidade se renova em ver que eles continuam na vida política, se destacando cada vez mais. Essa série foi ao ar em meados de dezembro de 2011 e fevereiro de 2012. Na época eu ainda não tinha blog e não postei as entrevistas aqui! O que venho fazer agora, especialmente por se tratar de informações atemporais e exemplos de vida que devemos sempre seguir.

Os entrevistados foram: Gabriel Oliveira (PT), Tiago Assis (PSDB), Bruno Alves (DEM), Nestor Neto (PMDB) e Nelsinho Fontes (PP). E as entrevistas você confere agora, nos posts que coloquei no blog:

Clique no link para ler a entrevista:

http://danielebarreto.com.br/2013/06/13/2411/

Clique no link para ler a entrevista:

http://danielebarreto.com.br/2013/06/13/relembre-a-serie-a-juventude-politizada-entrevista-com-bruno-alves/

Clique no link para ler a entrevista:

http://danielebarreto.com.br/2013/06/13/relembre-a-serie-a-juventude-politizada-entrevista-com-nestor-neto/

Clique no link para ver a entrevista:

http://danielebarreto.com.br/2013/06/13/relembre-a-serie-a-juventude-politizada-entrevista-com-nelsinho-fontes/

 Clique no link para ler a entrevista:

http://danielebarreto.com.br/2013/06/13/relembre-a-serie-a-juventude-politizada-entrevista-com-tiago-assis/

Espero que vcs gostem das entrevistas e que seja um estímulo aos que curtem política!

Debata política conosco no Facebook: https://www.facebook.com/daniele.barreto.7 e na Fan Page: https://www.facebook.com/pages/Blog-Daniele-Barreto/391459007585501. Adicione também no Twitter para conversarmos mais sobre as notícias políticas do dia: https://twitter.com/DanyBarretto.

Beijos, Dani.


13
junho
2013
Relembre a série “A Juventude Politizada”: entrevista com Gabriel Oliveira

Olá, amigos, bom dia!

Você conhece a coluna “Política à Flor da Pele”? Em 2011 e 2012, publiquei – nos veículos parceiros da coluna – a série “A Juventude Politizada” e hoje venho relembrar as entrevistas com os jovens que militam por causas nobres e engrandecem a política baiana. Aos que gostam de política, com certeza, os depoimentos desses jovens são uma grande inspiração. [pula] Nosso primeiro post é sobre Gabriel Oliveira!

Gabriel Oliveira – Um jovem militante petista
No cenário, incomum para alguém com menos de um ano de vida, predomina a cor vermelha.

Novembro de 2011, o pequeno garoto Omin, no colo da mãe, sorri para as fotos e rouba as atenções! No cenário, incomum para alguém com menos de um ano de vida, predomina a cor vermelha. Omin – por certo mais habituado ao debate político (pelo menos a ouvi-lo) do que muitas pessoas que ostentam décadas a mais – participa de seu primeiro evento partidário: o Congresso da Nova Tendência da Esquerda do PT, na Bahia.

Lutar por um mundo melhor para o seu Omin é (mais) uma mola propulsora para a militância política e social do pai… Omin é filho de Gabriel Oliveira. E a popularidade dos dois no PT não é fruto do acaso: a do primeiro deve-se a sua simpatia e sorriso fácil; a do segundo, a sua trajetória no Centro Acadêmico, DCE da UFBA e militância político-partidária. Gabriel, 27 anos, é filiado ao Partido dos Trabalhadores, ex-Secretário da Juventude do PT/BA e atua na Coordenação de Políticas de Juventude do Governo do Estado da Bahia.

Gabriel é o entrevistado que inaugura a série “A Juventude Politizada!”, da coluna “Política à Flor da Pele”. (leia mais…)


13
junho
2013
Relembre a série “A Juventude Politizada”: entrevista com Bruno Alves

Olá, amigos, bom dia!

Você conhece a coluna “Política à Flor da Pele”? Em 2011 e 2012, publiquei – nos veículos parceiros da coluna – a série “A Juventude Politizada” e hoje venho relembrar as entrevistas com os jovens que militam por causas nobres e engrandecem a política baiana. Aos que gostam de política, com certeza, os depoimentos desses jovens são uma grande inspiração. [pula] Nosso entrevistado é sobre Bruno Alves!

Bruno Alves – um jovem militante do Democratas

Dia 12 de agosto de 2011, o Jornal Folha de São Paulo publica, na disputada coluna “Poder”, a foto de um jovem negro sob o título “A esquerda não é dona da periferia, diz garoto-propaganda do DEM”. A frase foi destacada das inserções do Partido Democratas, veiculadas na televisão. Na foto da Folha de São Paulo, o garoto está ao lado da família, em uma casa de um bairro popular de Salvador. No vídeo, que teve milhares de acessos no Youtube, a estrela do filme fala com naturalidade, caminha à vontade e informa: “Só porque sou jovem e moro na periferia, alguns políticos pensam que eu tenho que ser de esquerda”! 
 
Ao contrário do que muitos acharam, a campanha não era estrelada por um ator. O protagonista é Bruno Alves: protagonista da propaganda do DEM e protagonista das mudanças que quer ver na sociedade… Bruno é filiado ao Partido Democratas e não precisa que demagogos expliquem o que é trabalhar desde o final da infância, lutar para vencer obstáculos e viver num bairro da periferia de um dos Estados mais violentos do país. Essa é uma realidade que ele conhece de perto, em seus 27 anos vivenciando o bairro do Pau Miúdo e o Pelourinho – por onde caminha com seu tio Clarindo Silva, conhecido como “síndico do Pelourinho”, tamanha a devoção e zelo pelo patrimônio histórico e cultural! 
 
Bruno é o segundo entrevistado da série “A Juventude Politizada!”, da coluna “Política à Flor da Pele”.  (leia mais…)


13
junho
2013
Relembre a série “A Juventude Politizada”: entrevista com Nestor Neto

Olá, amigos, bom dia!

Você conhece a coluna “Política à Flor da Pele”? Em 2011 e 2012, publiquei – nos veículos parceiros da coluna – a série “A Juventude Politizada” e hoje venho relembrar as entrevistas com os jovens que militam por causas nobres e engrandecem a política baiana. Aos que gostam de política, com certeza, os depoimentos desses jovens são uma grande inspiração. [pula] Nosso entrevistado é sobre Nestor Neto!

Nestor Neto: um jovem militante peemedebista

Quem vê um jovem aguerrido palestrando sobre Política para dezenas de crianças e adolescentes em uma escola no município de Salvador possivelmente estranhará a foto tirada em novembro de 2011, em Brasília, ao lado do vice-presidente da República Michel Temer. A imagem do paulista que trilha carreira pública desde 1983 – e que já se viu envolvido na Operação Castelo de Areia e na Operação Caixa de Pandora, ambas da Polícia Federal – contrasta com o rapaz idealista que costuma em sua militância ou nas redes sociais instigar a todos que não percam a capacidade de indignação frente ao comportamento reprovável de alguns políticos e que cobrem soluções para os problemas sociais que afligem o povo brasileiro.  
 
O militante peemedebista que ladeia Temer é Nestor Neto. Filiado ao Partido do Movimento Democrático do Brasil, Nestor mora na Mata Escura – populoso bairro de Salvador, cujos cem mil habitantes possuem diversos problemas urbanos relacionados ao transporte público, limpeza pública e esgotamento sanitário. O bairro também abriga a Penitenciária Lemos de Brito, maior do Estado. O local simboliza o ecletismo religioso de Salvador, com muitas igrejas evangélicas, católica e um tradicional terreiro de candomblé; mas carece de praças e áreas públicas de lazer – assim como de segurança, não se diferenciando, nesse aspecto, de nenhum outro bairro da capital baiana.  
 
Nestor Neto é o terceiro entrevistado da série “A Juventude Politizada!”, da coluna “Política à Flor da Pele”(leia mais…)


13
junho
2013
Relembre a série “A Juventude Politizada”: entrevista com Tiago Assis

Olá, amigos, bom dia!

Você conhece a coluna “Política à Flor da Pele”? Em 2011 e 2012, publiquei – nos veículos parceiros da coluna – a série “A Juventude Politizada” e hoje venho relembrar as entrevistas com os jovens que militam por causas nobres e engrandecem a política baiana. Aos que gostam de política, com certeza, os depoimentos desses jovens são uma grande inspiração. [pula] Nosso entrevistado é sobre Tiago Assis!

Tiago Assis – um jovem militante tucano

Ele tem a política no sangue, mas relutou em se render à vocação. Estudioso, extremamente dedicado à leitura e

inicialmente resistente à trajetória política – embora filho de ex-prefeito de cidade no interior da Bahia – nosso entrevistado de hoje optou por uma consistente formação acadêmica.

Graduado em Direito, pós-graduado em Direito do Estado e professor universitário, o jovem militante tucano fala com desenvoltura sobre políticas públicas, filosofia, ciência política, humanidades… Aguerrido defensor da social democracia, o baiano Tiago Assis faz do conhecimento técnico um instrumento na elaboração e implementação de um projeto político norteado por nobres causas.

Tiago é o quarto entrevistado da série “A Juventude Politizada!”, da coluna “Política à Flor da Pele”.

Daniele Barreto, “Política À Flor da Pele”: O que faz Tiago Assis, além da militância partidária?

Tiago Assis – PSDB: Sou advogado, graduado em Direito pela Universidade Católica do Salvador, pós-graduado em Direito do Estado, pela Universidade Federal da Bahia. Gosto de realizar leituras sobre filosofia, política, psicologia, lingüística… Adquiri a paixão pela leitura em função do incentivo do meu pai, que é médico e sempre gostou de literatura, cinema, arte. (leia mais…)