» Artigo: Tribuna da Bahia - Daniele Barreto
18
dezembro
2014
Artigo: Tribuna da Bahia

Oi, pessoal!!!!!!!!

Feliz que ontem tem artigo meu no Jornal Tribuna da Bahia!!!!

Postagem no Face

Eita!!! Dia acabando, cheguei em casa agora, cansadaaaaa, mas ainda dá tempo postar uma selfie ostentação de informação, com a Tribuna da Bahia, e de luzinhas de Natal hahahaha Teve artigo meu na página 6, “Ponto de Vista”, hoje!!!!! Uhuuuulll!!!! É tão bom ver um texto meu num jornal que leio desde a adolescência. Meu coração se enche de alegria, força e entusiasmo! Feliz e grata! Demais!

se sentindo realizada.

No texto, trato da ausência de uma oposição nacionalmente que represente os anseios do eleitor. E o não comparecimento de Aécio a uma manifestação por ele convocada indica uma falta de compromisso e respeito com que deposita em seus discursos uma expectativa de país melhor.

10407152_767542466656943_6646557094143650061_n

Aécio Neves já cansou

Na semana passada, Aécio Neves convocou o eleitor de oposição a participar de uma manifestação que estava sendo organizada em São Paulo. Em um vídeo e postagens nas redes sociais, conclamava: “mais do que nunca, precisamos estar mobilizados. Vamos pra rua, em todas as cidades do país”. O ato político ocorreu. Mas Aécio não foi “pra rua”! Certamente já cansou de carregar o pesado fardo de ser oposição nesse país – posição que figurou durante os últimos cinco longos meses.

Aécio Neves vem tentando, desde junho, forjar um personagem que não emplacará na novela da política brasileira: o de opositor combativo – o que ele jamais será, porque nunca foi.

O tucano não é uma novidade no cenário político brasileiro – como alguns tentam fazer parecer, com o discurso mudancista -, portanto, não podemos avaliar suas declarações e posicionamentos durante a campanha eleitoral, e nos meses que se seguiram, de forma isolada. Tampouco podemos analisar sua trajetória considerando apenas esse (curto e peculiar) período de arroubo oposicionista.

Enquanto Senador, Aécio silenciou diante dos maiores escândalos do país (nos quais incluo o Mensalão); além disso, desafio o leitor a citar um único posicionamento relevante do mineiro sobre os temas da agenda política nacional nos últimos 10 anos. Víamos muito mais Álvaro Dias (esse, sim!, opositor com legitimidade) e Sérgio Gerra nos noticiários e nos debates partidários do que o ex-candidato à Presidência.

Em quatro anos, Aécio não usou a Tribuna do Senado para nenhuma manifestação politicamente relevante, nem bradou contra a corrupção (como fez nos debates eleitorais na TV, tentando fazer parecer que esse é um hábito ou caraterística sua como político). Não combateu o PT em seu estado (com o qual vira e mexe se alia nos bastidores), tampouco arregaçou as mangas para fazer campanha para os candidatos da oposição nos últimos anos (todos sabemos que lavou as mãos na campanha de Serra em 2010, e por esse motivo nem muito bem se relacionam).

O “Aécio Oposicionista Combativo” que vimos emergir em 2014 é um “Lulinha Paz e Amor”: uma criação de marketing para ocupar um espaço e corresponder a uma expectativa “de mercado”. O “Aécio Oposicionista Combativo” não existe nos corredores do Senado, ele não existe em sua trajetória política, ele nunca existiu!

Aécio é omisso e usa o silêncio como ferramenta política. Não fez nem fará uma oposição combativa porque se constitui na verdade em um bom observador de oportunidades e não aguentará mais alguns meses com a “carga” que ser oposição impõe. Aécio Neves: não vai viajar o país, voltará a sumir da Tribuna do Senado, não se pronunciará diante de novos casos de corrupção, não agitará os movimentos de juventudes dos partidos de oposição, não se engajará em temas da agenda política nacional, não defenderá pautas do eleitor de oposição, não ouvirá demandas dos parlamentares de oposição, não reestruturará seu partido…

E não aguentará muito tempo travestido desse personagem que criou para as Eleições 2014 por três motivos: falta de traquejo com o povo; preguiça-democrática; e ausência de hábito. E isso foi o que o levou a não comparecer à manifestação que convocou. Com sua ausência, explicitou que pouco se preocupa com as expectativas que gerou em uma parcela (significativa e desavisada) da população! Por estar nos últimos meses brincando de ser oposição, terminou provando que não liga a mínima para os milhões de brasileiros que entregaram seus votos e perspectiva de nação para seu bem montado personagem.

Diante das expectativas e esperanças que fez brotar no eleitorado de oposição, sua ausência na manifestação foi, no mínimo, desrespeitosa! E se somarmos sua ausência à forma como conduz sua trajetória política, perceberemos que não muito demorará para ruir a sua recém criada imagem de “representante legítimo da oposição”: por não se fazer legítimo e por não saber fazer oposição.

Veja os artigos publicados em 2014 no Jornal Tribuna da Bahia: Vlog – Artigo Publicado no Jornal Tribuna da Bahia , Vagão Rosa: segregação e reforço do machismo.

Clique AQUI e leia o último artigo publicado no Jornal Tribuna da Bahia.

Uma excelente noite de quinta-feira a todos!!! Siga-nos nas redes sociais e debata política interaja conosco:

Facebook / FanPage / Twitter / Instagram

Bjo.