» Dica de livros para presente de Natal :) #Post2 - Daniele Barreto
17
dezembro
2014
Dica de livros para presente de Natal :) #Post2

Oiii, galera!

Falei no post anterior que voltaria com mais dicas de livros presentear e auto presentear no Natal, não foi? Pois então, olha eu aqui! rsrs Promessa cumprida! E nos próximos dias vamos ter vários posts com dicas para que você possa ajudar seus amigos e parentes a um 2015 com mais informação política e mais conhecimento/poder sobre seus direitos! Bacana!

Vamos lá! Olha, se falamos o ano inteiro sobre a necessidade da leitura como forma de crescimento pessoal, então na hora de dar um presente vamos correr para uma livraria, né? Mas nem sempre temos tempo para ir às livrarias físicas nem ficar lá rodando as prateleiras atrás das melhores obras. Por isso, comprar em sites especializados é sempre uma boa opção, pois podemos ler com mais calma obre as obras, além de pesquisar no google sobre o autor e a opinião d quem já leu.

Então, fiz uma listinha do que gosto e está em promoção no Submarino para ajudar vocês nas escolhas de Natal! Lembrando que está valendo auto presente! (e está valendo comprar para mim e mandar pelo Correio também hahaha)

Vamos a nossa lista de kits: PolíticaTOP 05 – Coleções Bacanas sobre Política para você Presentear no Natal. (clique AQUI para ver mais livros)

livros-natal2

Kit Livros – Especial Laurentino Gomes (1808 + 1822)

110491226G1COMPRE AQUI!

Descrição do site: Escritas por Laurentino Gomes – um dos mais influentes jornalistas da atualidade, reunimos duas obras que relatam os principais momentos da história brasileira. São elas:
Livro – 1808 –  A fuga da família real portuguesa para o Rio de Janeiro ocorreu num dos momentos mais apaixonantes e revolucionários do Brasil, de Portugal e do mundo. Guerras napoleônicas, revoluções republicanas, escravidão formaram o caldo no qual se deu a mudança da corte portuguesa e sua instalação no Brasil. O propósito deste maravilhoso livro, resultado de dez anos de investigação jornalística, é resgatar e contar de forma acessível a história da corte lusitana no Brasil e tentar devolver seus protagonistas à dimensão mais correta possível dos papéis que desempenharam duzentos anos atrás.
Livro – 1822 –  Um livro que desvenda os acontecimentos históricos com uma metodologia sem falhar e que se lê com um sorriso nos lábios. “Foi como um simples tropeiro, às voltas com as dificuldades naturais do corpo e de seu tempo, que D. Pedro proclamou a Independência.”
O livro 1822 pretende mostrar que país era este que a corte de D. João deixava para trás ao retornar a Lisboa, em 1821. Vai falar do Grito do Ipiranga, das enormes dificuldades do Primeiro Reinado, da abdicação de D. Pedro, em 1831, sua volta a Portugal para enfrentar o irmão, D. Miguel, que havia usurpado o trono, e a morte em 1834.

Coleção – Guia Politicamente Incorreto (3 livros)

111400242G1COMPRE AQUI!

Descrição do site: Duda Teixeira é jornalista e editor assistente de internacional da Veja. Conheceu a América Latina, já entrevistou cinco presidentes da região, vítimas do narcotráfico no México, índios perseguidos na Bolívia, dissidentes em Cuba, deputados chavistas na Venezuela e sindicalistas peronistas na Argentina. O jornalista Leandro Narloch foi repórter da revista Veja.
Guia politicamente incorreto da história do Brasil – Estudos recentes sobre a História do Brasil reavaliando conceitos arraigados – o ideal do bom selvagem e o massacre da Guerra do Paraguai, por exemplo – e desconstruir mitos. O resultado de pesquisas de historiadores que não se renderam à educação tradicional à qual todos somos passados a ferro na escola surge no livro “Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil” num texto bem humorado e fluido que nos leva a refletir sobre os papéis de mocinho e bandido.
Guia politicamente incorreto da América Latina – Tudo neste livro é contra as regras batidas com as quais se conta a história da América Latina. Não nos sentimos representados por guerrilheiros ou por indignados líderes andinos e suas roupas coloridas. Conhecemos bem as tragédias que nossos antepassados índios e negros sofreram, mas, honestamente, estamos cansados de falar sobre elas. E acreditamos que todos os povos passaram por desgraças semelhantes, inclusive aqueles que muitos de nós adoram acusar. Acontece que na América Latina se vai além: escolhem-se como heróis justamente os homens que mais atrapalharam a política, mais arruinaram a economia, mais perseguiram os cidadãos.
Guia Politicamente incorreto da filosofia – Não importa o quanto você acha que é bom, leitor. Você não é. Separar o lixo reciclável, chamar um negro de não caucasiano e não rir das piadas preconceituosas daquele amigo que, no fundo, tem mais caráter que você, não te torna uma pessoa boa. Na verdade, te transforma em um chato com fortes tendências autoritárias. No terceiro livro da coleção Politicamente Incorreto, o filósofo Luiz Felipe Pondé desbrava, com a ironia costumeira, a história do politicamente correto através do pensamento de grandes filósofos, como Nietzsche, Darwin e o escritor Nelson Rodrigues, entre muitos outros. O mundo não tem salvação.

Kit Livros – Coleção Guia Politicamente Incorreto (5 Volumes)               

119739478G1COMPRE AQUI!

Descrição do site:
Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil. (Livro 1) – Nesse livro, o jornalista Leandro Narloch prefere adotar uma postura diferente que vai além dos mocinhos e bandidos tão conhecidos. Ele mesmo, logo no prefácio, avisa ao leitor: “Este livro não quer ser um falso estudo acadêmico, como o daqueles estudiosos, e sim uma provocação. Uma pequena coletânea de pesquisas históricas sérias, irritantes e desagradáveis, escolhidas com o objetivo de enfurecer um bom número de cidadãos.”
Guia Politicamente Incorreto da América Latina (Livro 2) – Che Guevara, Fidel Castro e Salvador Allende são os alvos desta vez. Retoma alguns dos personagens e fatos marcantes da história da América Latina para mostrar que a história não aconteceu exatamente como aprendemos na escola. “Fidel Castro foi capitalista”, “Che Guevara ordenava torturas” ou “os Incas aprovaram a dominação espanhola” são algumas das afirmações polêmicas que os autores defendem e explicam por meio de outras correntes de pesquisa histórica rejeitadas como oficiais.
Guia Politicamente Incorreto da Filosofia (Livro 3) – O filósofo Luiz Felipe Pondé desbrava, com a ironia costumeira, a história do politicamente correto através do pensamento de grandes filósofos, como Nietzsche, Darwin e o escritor Nelson Rodrigues, entre muitos outros.
O Guia Politicamente Incorreto da Filosofia não é um livro sobre a história da filosofia, mas sim um ensaio sobre a filosofia do cotidiano.
Guia Politicamente Incorreto do Futebol (Livro 4) – Guia Politicamente Incorreto do Futebol marca um golaço nas velhas ideias sobre o esporte.  O jeito mais fácil de parecer especialista em futebol é repetir ideias com as quais quase tudo mundo concorda.
Guia Politicamente Incorreto do Mundo (Livro 5) – Cintos de castidade na idade Média? Eles nunca existiram – pelo contrário, manuais de medicina da época diziam que o prazer sexual era essencial à saúde das mulheres. Milhares de crianças foram exploradas nas fabricas inglesas do século 19? Está certo, mas é interessante lembrar que a revolução industrial, pela primeira vez, tornou o trabalho infantil desnecessário. E lembra aquela história de que as guerras e a miséria na África são consequência das fronteiras artificiais criadas pelos europeus? Há quase 30 anos historiadores e economistas africanos deixaram de acreditar nela abaixo da superfície, a história não é tão simples quanto aquele professor militante costumava nos ensinar.

Kit Livros – Fernando Henrique (2 Livros)

114555004G1COMPRE AQUI!

Descrição do site: Fernando Henrique Cardoso é um sociólogo, cientista político e político brasileiro. Em Pensadores que inventaram o Brasil, Fernando Henrique Cardoso dialoga com seus mestres sobre os temas recorrentes que unificam o volume: o embate entre Estado e sociedade civil, o legado da colonização, as vicissitudes da democracia, os entraves ao desenvolvimento econômico, a promoção da justiça social.

Mas, além da fina análise dos textos, sempre feita com grande verve narrativa, o ex-presidente contextualiza obras e autores, muitas vezes tratando do impacto pessoal que os últimos lhe causaram.
Pensadores que inventaram o Brasil é assim leitura obrigatória para entender as visões que deram forma às tentativas clássicas de explicação do país, e um convite a refletir sobre a relevância dessas análises ante os desafios do futuro.

Kit Livros – Coleção A Ditadura (4 Volumes)

119739494G1COMPRE AQUI!

Descrição do site: Durante três décadas, o jornalista Elio Gaspari reuniu documentos inéditos e fez uma exaustiva pesquisa sobre o governo militar no Brasil. A obra é dividida em dois conjuntos: As Ilusões Armadas e O Sacerdote e o Feiticeiro.
A Ditadura Envergonhada (Vol.1) – As ilusões armadas reúne os livros A ditadura envergonhada e A ditadura escancarada. Nos primeiros anos após o golpe de 1964, o governo militar ainda relutava em se assumir como uma ditadura, daí o título A ditadura envergonhada. 
A Ditadura Escancarada (Vol.1) –  Com a edição do AI-5, no final de 1968, que suspendeu direitos constitucionais, a ditadura se revela. São reconstituídos os momentos mais tenebrosos do regime, como a prática da tortura contra os opositores do regime e a violência empregada contra os guerrilheiros do Araguaia, um dos últimos núcleos de resistência política.
A Ditadura Derrotada (Vol.3) –  ‘A ditadura derrotada’ é o primeiro volume da série ‘O sacerdote e o feiticeiro’, que são respectivamente os generais Ernesto Geisel e Golbery do Couto e Silva. A ditadura derrotada detalha os antecedentes desses dois importantes personagens, concentrando-se na articulação que os levou ao poder e também na vitória do partido de oposição nas eleições de 1974.
A Ditadura Encurralada (Vol.4) – A ditadura encurralada, culmina com a exoneração do general Sylvio Frota do cargo de ministro do Exército. Naquele momento, o presidente Ernesto Geisel punha um ponto final na anarquia militar que tomava conta do país. Desse relato fazem parte episódios como o assassinato do jornalista paulista Vladimir Herzog em outubro de 1975, nas dependências de uma unidade do Exército, fato que contribuiu para azedar a relação entre a Presidência e setores das Forças Armadas.

Uma excelente quarta-feira a todos!!!

Siga-nos nas redes sociais e debata política interaja conosco:

Facebook / FanPage / Twitter / Instagram

Bjo.